Once Caldas 0 x 1 Santos

E no primeiro jogo das quartas de final da Libertadores deu Santos.













O Santos entrou em um 4-3-1-2, como previsto, com Léo e Jonathan atacando alternadamente, com Elano e Danilo apoiando no ataque, Adriano fixo como volante, e Neymar e Zé Eduardo se alternando no centro e nas pontas.

Durante toda a partida, o time teve uma excelente posse de bola, atacou diversas vezes, criou chances de gol, e não ficou na retranca, como no jogo contra o América do México.

No primeiro tempo, o Santos começou pressionando, como se jogasse em casa.

Tinha bastante posse de bola e marcava o adversário no campo de ataque, sob pressão.

O Once Caldas atacava com perigo sempre pelo lado direito da defesa santista, mas errava muitos passes e finalizava muito mal.

Até que a estratégia deu resultado.

Em rápida jogada de ataque, Neymar domina a bola e corre em direção ao meio da grande área. Zé Eduardo desloca os marcadores para a direita, deixando o caminho livre para Alan Patrick, que apareceu sozinho na direita. Neymar viu bem a jogada e meteu um passe de trivela, para Alan Patrick bater rasteiro, colocado, e fazer Santos 1 x 0.

No segundo tempo, o time do Santos iniciou uma blitz no adversário, marcando bem e recuperando a posse de bola com facilidade.

Atacávamos pelo lado esquerdo com certa facilidade, em triangulações com Alan Patrick, Neymar e Zé Eduardo.

O Once Caldas, por sua vez, estava muito nervoso, errava muitos passes, tentava cruzamentos sem sucesso e finalizava muito, mas muito mal, mostrando sua limitação técnica.

Da segunda metade do segundo tempo até o final da partida, a equipe colombiana pressionou muito, entrando com facilidade pelo lado direito da defesa santista, situação em que Bruno Aguiar fez pênalti no atacante colombiano, não marcado pelo juiz.

O Santos não soube tirar proveito da expulsão do jogador do Once Caldas e quase sofreu o empate.

No fim do jogo, o peixe mostrava um imenso cansaço, mas seus jogadores se dedicaram à marcaçaõ até o apito final.

Vamos às análises individuais.

Rafael: seguro em todas as bolas, saiu bem do gol e fez defesas firmes, que inspiraram confiança.

Durval: foi um verdadeiro monstro em campo. Não perdeu uma dividida, marcou muito bem, se adiantou para cortar bolas, ganhou todas de cabeça e tirou bolas perigosas dentro da grande área. Um dos melhores em campo.

Edu Dracena: ganhou todas pelo alto, marcou bem, mas se posiciona muito mal, tomou várias bolas pelas costas (como de costume), fez faltas bobas na intermediária.

Léo: foi eficiente na marcação e apoiou pouco. Saiu aos 15 do segundo tempo para a entrada de Alex Sandro.

Jonathan: alternou momentos de boa e má marcação, tomou muitas bolas pelas costas (tanto é que a maioria das jogadas do Once Caldas era pela direita da defesa santista), e apoiou pouco.

Adriano: foi um leão em campo, roubou muitas bolas, marcou bem, em alguns momentos foi o responsável pela transição entre a defesa e o ataque, mas foi afoito em alguns momentos e fez algumas faltas bobas. Um dos melhores em campo.

Danilo: prova a cada jogo que não sabe se marcar. Marcou muito mal, fez várias faltas bobas e conseguiu alguns desarmes. Tentou um chute a gol, isolando a bola. Foi muito mal.

Elano: no primeiro tempo jogou muito bem, deu qualidade no passe na transição defesa-ataque, correu bastante, se posicionava bem e marcava bem. No segundo tempo desapareceu, não marcou, não deu passes, sumiu no jogo. Foi substituído aos 45 para a entrada de Bruno Aguiar.

Alan Patrick: como eu disse em outro post, "talvez a lesão de PH Ganso tenha sido o melhor que aconteceu para o time", Alan Patrick fez muitas triangulações com Neymar e Zé Eduardo. Marcou bem, correu bastante, distribuiu vários passes (apesar de ter errado alguns). E o mais importante: não se escondeu no jogo. Me fez não sentir falta do Paulo Henrique Ganso.

Neymar: um dos melhores em campo. Correu, driblou, deu passe para gol, chutou, conseguiu faltas importantes para o Santos no campo adversário, apareceu sempre para o jogo, chamando a responsabilidade.

Zé Eduardo: ao contrário dos últimos jogos, Zé jogou muito bem. Mais pelas pontas, fez grandes triangulações com Neymar e Alan Patrick, não perdeu nenhuma bola, passou bem a bola para seus companheiros, fez bem o papel de pivô, levando a marcação, e tentou chutar (sem direção).

Alex Sandro: marcou bem e se posicionou mal, tomando muitas bolas pelas costas, mas apoiou bastante no ataque, se aproximando de Neymar e fazendo cruzamentos.

Felipe Anderson: correu bastante, mas errou muitos passes e perdeu muito a bola, não conseguindo fazer a transiçaõ meio-ataque.

Bruno Aguiar: marcou bem, mas fez um pênalti no final do jogo que poderia ter complicado o time.

Notas:

Rafael: 8
Edu Dracena: 7
Durval: 9
Jonathan: 6,5
Léo: 7
Adriano: 8,5
Danilo: 6
Elano: 6,5
Alan Patrick: 8,5
Neymar: 9
Zé Eduardo: 7,5

Alex Sandro: 6,5
Felipe Anderson: 6
Bruno Aguiar: 5,5

Essa é a minha visão do jogo.

Domingo tem Corinthians e amanhã haverá um post sobre as consequências da paternidade de Neymar.

Fiquem ligados!