Analisando o jogo do titulo




Ontem, a técnica predominou sobre a forca.

O futebol bem jogado venceu a pancadaria.

E o Santos foi campeão.


Analise Coletiva

O Santos iniciou o jogo em um 4-3-1-2, com Rafael, Edu Dracena, Durval, Danilo, Leo, Adriano, Arouca, Elano, Paulo Henrique Ganso, Neymar e Ze Eduardo (com poucas exceções, que timaco!).

Enquanto o Penarol jogava no 4-1-4-1, com duas linhas de marcacao.

O Peixe priorizava o toque de bola, as jogadas ofensivas, triangulacoes e a velocidade, partindo da velocidade dos laterais Danilo e Leo, da versatilidade de Danilo, da velocidade e forca física de Arouca, do passe refinado de Paulo Henrique Ganso e da capacidade de definicao de Neymar.

O Santos marcava por zonas, com exceção de Adriano, responsável unicamente por marcar o armador e principal jogador da equipe adversaria, Martinuccio, função que executou magistralmente, anulando o jogador uruguaio o jogo inteiro.

O Penarol marcava forte do meio de campo para trás, objetivando roubar bolas e sair rapidamente no contra-ataque, passando sempre a bola por Martinuccio, o qual distribuiria as bolas para Mier e Corujo, para se aproximarem do centroavante Olivera.

Mas, com Martinuccio anulado, as jogadas do time uruguaio não surtiam efeito.

Essa marcacao, principalmente no primeiro tempo, fez o Santos errar muitos passes.

O desenho tatico santista não mudou com a entrada de Alex Sandro, e depois a de Para.

O Santos foi imensamente superior ao Penarol em praticamente todos os fundamentos ate o final do jogo.

Prova disso é o numero de finalizacoes do Santos contra do Penarol, alem da ampla posse de bola santista durante toda a partida.

O 2 x 1 foi pouco... Leo, Ganso e Ze Eduardo perderam oportunidades incriveis, mas em se tratando de final de Libertadores, o resultado serviu da mesma forma.


Analises Individuais

Rafael. Sempre seguro o jogo todo, é capaz de transmitir essa segurança aos jogadores. Ontem não fez grandes defesas pois foi pouco exigido, mas saiu bem nas bolas aéreas e se adiantou em jogadas de ataque do Penarol. Foi simplesmente o Rafael que estamos acostumados: fantástico.

Edu Dracena. Ganhou todas pelo alto, foi seguro e não deu moleza para o ataque adversario. Foi bem e não comprometeu.

Durval. O xerifao da zaga santista, daqueles que não esta para brincadeira, que tira com chutao mesmo e faz cara feia, Durval foi excelente tanto em posicionamento quanto em marcacao, e nem seu gol contra foi capaz de estragar outra otima atuacao com a camisa branca. (Se bem que Durval conseguiu um feito inedito na historia do futebol: ser o único jogador que marcou 2 gols contra em finais de Copa Libertadores da América, pois havia feito o mesmo quando jogava a final de 2005 pelo Atletico Paranaense).

Danilo. No ataque, é muito bom, pois tem velocidade e toca bem a bola. Na defesa joga mal, pois marca e se posiciona mal, mas compensa com alguns desarmes, por conta de sua velocidade. Ontem foi assim, e, como elemento surpresa, marcou o segundo gol do Peixe, em um chute fantástico de esquerda. O que gosto de Danilo é que ele não se esconde nos jogos importantes. Parabens ao garoto.

Leo. Ele é um idolo da torcida santista por ter declarado seu amor ao clube tantas vezes e por correr com 35 anos como se fosse um menino de 20. Leo ontem ficou mais preso na marcacao e pouco apoiou, mas mostro raca, vontade e tecnica na marcacao, com direito a drible da vaca no meia uruguaio Corujo. Jogou muito bem.

Adriano. Um leão na marcação, anulando Martinuccio o jogo inteiro e impedindo jogadas de ataque do Penarol. Essencial nesse esquema tatico, Adriano é excepcional na marcação mas razoável com a bola nos pes, mas ontem não comprometeu nesse fundamento, apesar de ficar claro que precisa treinar passes.

Arouca. O monstro da Vila, Arouca foi mal no primeiro tempo, parecia nervoso, errando passes de forma grotesca, mas demonstrando disposicao dentro de campo. Na segunda etapa, fez uma jogada maravilhosa que culminou no gol de Neymar, alem de ter sido o responsael por quase todas as transicoes entre meio e ataque santistas, sem falar que é um otimo marcador, com excelente forca física. Excelente atuacao.

Elano. Ontem correu mais que o habitual, chutou de longe com perigo e bateu falta com perigo, mas esta visivelmente ficando para trás dos outros jogadores quanto a velocidade e capacidade de marcação. Demonstrou vontade dentro de campo e ajudou a equipe, ainda que pouco.

Paulo Henrique Ganso. Considerando o fato de ter retornado de uma lesão, Ganso se movimentou bem o jogo inteiro, deu passes precisos, não caiu na catimba do adversario e não tentou fazer firulas desnecessarias. Apenas foi ele, Ganso. Ele não é rapido com a bola nos pes, desistam, mas isso é compensado com sua inteligencia, visao de jogo e passe preciso. Ontem jogou muita bola.

Neymar. O principal simbolo santista na conquista dessa Libertadores, Neymar apanhou muito o jogo inteiro, mas, por sorte, o juiz era outro, e marcou corretamente varias faltas. Mostrando a habilidade de sempre, correu bastante, partiu pra cima (como a torcida gosta) e por vezes voltava para ajudar a defesa. Furou em um lindo lançamento de Ganso no primeiro tempo, mas se redimiu no segundo e fez um maravilhoso gol, mostrando sua objetividade e oportunismo.

Ze Eduardo. Ze Eduardo é como o Para. Mostra muita disposicao, vontade, raca, garra, mas mostra sua limitacao tecnica. Não poderia ter perdido as duas oportunidades claras de gol que teve ontem, muito menos a que perdeu no primeiro jogo contra o Penarol. Atacante que não sabe fazer gol não pode ser atacante. Quando surge a oportunidade, tem que colocar pra dentro. Como Borges. Ponto. No entanto, não foi de todo ruim, pois correu muito o jogo todo, ajudou bastante na marcação e nas jogadas de ataque.

Alex Sandro. Entrou no lugar de Leo, cansado. Mas entrou muito mal, destoando dos companheiros. Marcava mal pelo lado esquerdo e apoiava sem sucesso o ataque santista. A jogada do gol saiu pelo lado de Alex Sandro, em uma falha de marcacao sua.

Para. Entrou após os 40 do segundo tempo e não teve tempo de mostrar serviço.


Notas

Rafael. 8
Edu Dracena. 7,5
Durval. 8
Danilo. 7,5
Leo. 7,5
Adriano. 8,5
Arouca. 8,5
Elano. 7
P.H. Ganso. 8
Neymar. 9
Ze Eduardo. 7

Alex Sandro. 5,5
Para. sem nota

3 comentários :

  1. Só um comentário sobre o lateral Alex Sandro, no lance que saiu gol do Peñarol: ele disputou a bola na linha da lateral, perdeua, mas quando tentou se levantar do chão, teve sua perna puxada pelo mesmo jogador que cruzou a bola, na frente do auxiliar, e não conseguiu alcançá-lo. Como é que ninguém comentou isso? Também fiquei pasmo com a "cegueira" de Cleber Machado, que pagou um mico ao gritar gol do Santos na bola que Ganso chutou pra fora, e Zé Eduardo ainda tentou fazer de cabeça; e no lance do Alex Sandro ele ficou falando coisa que não tinha nada a ver com a jogada. Ass. Paulo

    ResponderExcluir
  2. Valeu pelo comentario Paulo! Eu realmente nao tinha reparado no lance do gol, mas e verdade! Alex Sandro realmente foi puxado! Sobre o grito de Cleber Machado, eu estava assistindo ao jogo no Sportv e nao presenciei tamanha gafe. Pelo menos ele e santista...

    ResponderExcluir
  3. Outro fato curioso da final e ridiculo para o pais que sediara a copa do mundo de 2014 foi esquecerem de tocar o hino do Uruguai no inicio do jogo: ABSURDO!

    ResponderExcluir