Hoje o Santos entra para fazer história

Rapidamente, antes do jogo, vou comentar a postura tática das duas equipes:

O Santos em um 4-3-1-2, com Rafael, Edu Dracena, Durval, Danilo e Léo, Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso, Neymar e Zé Eduardo.

A novidade na equipe é P. H. Ganso, que, atuando como um articulador no meio de campo, proporcionará ao meio campo qualidade e precisão de passes, além de muita criação.

O que me preocupa com relação a Ganso é o fato dele não marcar. E a marcação hoje será essencial.

O Peñarol joga em duas linhas, em um 4-1-4-1, com Sosa, G. Rodríguez, Valdés, González, D. Rodríguez, Freitas, Aguiar, Corujo, Mier, Martinuccio e Olivera.

O Santos jogará com cautela, mas no ataque.

O Peñarol jogará recuado, como sempre jogou nessa Libertadores, com forte marcação e aproveitando-se dos contra-ataques, liderados por Martinuccio, pelo meio, que distribuirá bolas para Mier (na esquerda) e Corujo (na direita), chegando a bola até Olivera, o atacante grandalhão da equipe deles.

Retirado do Blog "Tabuleiro - por Eduardo Cecconi"

A marcação será basicamente essa:

Durval e Edu Dracena --> Olivera
Danilo ------------------> Mier
Léo --------------------> Corujo
Adriano ----------------> Martinuccio
Arouca -----------------> Freitas e Aguiar
Ganso ------------------> Freitas e Aguiar
Neymar ----------------> González
Zé Eduardo -------------> G. Rodríguez

O Santos marcará por zonas, e não individualmente, com exceção de Adriano, que o jogo inteiro correrá atrás de Martinuccio.

O Peñarol também marca por zonas, mas marca forte, em razão da força física e velocidade de seus atletas.

Observação importante

Fala-se tanto que o Peñarol ganhou todas fora de casa... mas a realidade é um pouco diferente.

Na fase de grupos, o time uruguaio levou de 5 x 0 da LDU (EQU) e de 3 x 0 do Independiente (ARG).

Vitória será no coração

Nenhum esquema tático será capaz de vencer a final da Libertadores.

"O emocional dos atletas é essencial", como diz José Mourinho, melhor técnico do mundo.

E hoje, nem a técnica do Santos nem a raça do Peñarol prevalecerá.

Erguerá a taça o time que se entregar de corpo e mente para essa partida.

Com certeza, a mais importante da vida desses atletas, ao menos até agora.

Nesse momento... só há uma coisa a dizer:

PRA CIMA DELES SANTOS!

RUMO AO TRI!