Santos 3 x 1 Avaí

Na Vila Belmiro, com apenas 4.109 pagantes, o Santos derrotou o Avaí, conquistando sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro.










primeiro tempo foi em ritmo de treino, com apenas 4 finalizações e pouco futebol, dos dois lados. 

Tirando claro, o gol de Borges, aos 9 minutos (mesmo número de sua camisa), após escanteio cobrado por Alan Patrick e desviado por Zé Eduardo.

Se a partida estava sonolenta, no segundo tempo pouco mudou.

O Santos tentava jogadas de velocidade com arrancadas fantásticas de Arouca pelo meio, levando perigo ao time catarinense em várias oportunidades.

Até que, em cobrança de falta da intermediária, logo no início da segunda etapa, aos 6 minutos, de novo Alan Patrick cruzou na área e o oportunista Borges acreditou e colocou o pé: Santos 2 x 0.

Daí para o final, o Santos mostrou-se dependente da velocidade de Arouca, e de algumas arrancadas de Pará, pela direita, e Alex Sandro, pela esquerda.

Na etapa final, Danilo saiu machucado de campo, e preocupou a nação santista (mas o mesmo veio depois a público dizer que sua lesão não havia sido nada de grave, para alívio dos torcedores), saindo para a entrada de Roger.

Com a entrada de Roger, o técnico santista sacou o armador da equipe, Alan Patrick, e colocou Bruno Aguiar, para observar como o time se comportava com mais um zagueiro em campo.

O Avaí revelava sua imensa falta de técnica e criatividade para fugir da forte marcação santista.

A equipe catarinense se aproveitou da morosidade da partida para marcar seu gol, ao final da partida, em jogada iniciada pelo ex-santista Róbson, após cruzamento do também ex-santista George Lucas, em falha de marcação de Bruno Aguiar, que entrara a pouco tempo.

Bem próximo ao fim do jogo, saiu Zé Eduardo para a entrada de Richely, que, após excepcional passe de Arouca, finalizou na queda do goleiro, sacramentando a vitória santista, merecida.

E bem que Muricy avisou:

- O Borges não fugiu do normal. Eu posso falar dele, porque eu recebi ele no São Caetano vindo de Goiás. Eu disse na época que esse jogador tinha futuro. Aí você pega o histórico dele, foi artilheiro por onde passou. Ele põe para dentro mesmo.

Análise tática

O Santos iniciou o jogo em um 4-3-1-2, que, após a entrada de Bruno Aguiar, mudou para um 5-3-2.




















Santos em um 5-3-2, após as subtituições:






Análises Individuais

Rafael. Trabalhou pouco, mas foi seguro nos chutes de longa distância. Falhou ao não pular para tentar agarrar a bola no momento do gol havaiano.

Durval. Muito seguro, joga sério, compenetrado, marcando e se posicionando muito bem.

Bruno Rodrigo. Critiquei muito este jogador no último post, mas hoje foi eficiente, marcou bem e não comprometeu. Mas se adianta muito na marcação, deixando um buraco na linha da grande área.

Pará. Hoje jogou muito bem, apesar da visível falta de qualidade técnica. Correu bastante, apoiou no ataque, tabelou com Arouca e abriu bastante o jogo pela direita. Na marcação, não deixou o time do Avaí atacar por seu lado.

Alex Sandro. Marcou muito bem pelo lado esquerdo, utilizando-se bastante de sua avantajada força física. Deu algumas arrancadas, participando de jogadas de ataque com Arouca, e até arriscando um chute para o gol no final do jogo.

Adriano. Atuou com muita eficiência na marcação, impedindo com que o Avaí tentasse armar qualquer jogada pelo meio do campo (tanto é que a jogada de gol deles saiu pela lateral).

Arouca. Hoje foi o melhor do time. Correu muito, apoiou de forma fantástica, tentou se responsabilizar pela armação das jogadas de ataque, fazendo as vezes do apagado Alan Patrick, arrancando da defesa para o ataque com um pique impressionante. Chutou uma bola na trave e deu uma assistência para Richelly. O melhor do Santos em campo.

Danilo. Apenas regular. Auxiliou bastante na marcação, mas pouco subiu ao ataque. 

Alan Patrick. Cobrou o escanteio e depois a falta que resultariam em 2 gols santistas. Mas com a bola rolando não jogou bem, tocando muito a bola de lado e não armando as jogadas, como dele se espera. Se escondeu no jogo.

Zé Eduardo. Participou do primeiro gol e só. Hoje jogou muito mal. Perdia todas as bolas que recebia e não conseguia aproveitar nem criar jogadas de ataque. Mas se tornou um bom marcador.

Borges. Não apareceu muito no jogo, mas as oportunidades que teve não desperdiçou. Mostrou com isso ser oportunista, e que substituirá muito bem Zé Eduardo, Maikon Leite e Keirrison, todos de saída no final desse mês.

Roger. Entrou bem na partida, participou de algumas jogadas de ataque, mas ainda não demonstrou o futebol do Campeonato Paulista pelo Oeste. Ficou devendo.

Bruno Aguiar. Permaneceu em campo por pouco tempo, mas falhou no momento do gol do Avaí, pois permitiu ao atacante que marcava concluir.

Richelly. Jogou por menos de 5 minutos, teve uma oportunidade de gol e não desperciçou.

Notas

Rafael. 6
Durval. 6,5
Bruno Rodrigo. 6
Pará. 6,5
Alex Sandro. 6
Adriano. 7
Arouca. 8
Danilo. 6
Alan Patrick. 6,5
Zé Eduardo. 4
Borges. 7,5

Bruno Aguiar. 4
Roger. 6
Richelly. 7



2 comentários :

  1. Da suas notas concordo com todas,mas |Borges deveria receber um 9.Foi bem,marcou dois gols quase outros dois.No mais,valeu pelos 3 pontos.

    ResponderExcluir
  2. Valeu pelo comentário Neli, dei 7,5 para o Borges porque ele no jogo não apareceu muito, mas quando teve oportunidade fez o gol, o que é característica de um atacante, ao contrário do nosso Zé Eduardo que aprendeu a marcar e esqueceu como se faz gol...

    ResponderExcluir