Palmeiras 3 x 0 Santos


Não pude assistir ao jogo ontem, então gravei a partida e a assisti hoje.



A atuação do Santos foi um desastre técnico.

No primeiro tempo, a diferença das duas equipes ficou nítida: o Palmeiras marcava forte na defesa santista, saía de seu campo com a bola nos pés, não errava passes, fazia ótimas triangulações na frente e passava facilmente o meio de campo adversário. O Santos, ao contrário, marcava de forma solta em seu campo defensivo - apenas cercando o adversário -, começava o jogo atrás com chutões, errava passes, não conseguia fazer a transição defesa-meio-ataque com a bola nos pés e não chegava com perigo ao campo palmeirense. Resultado: 3 x 0 para o alviverde.

No segundo tempo, o Peixe melhorou tecnicamente, com as entradas de Felipe Anderson, Roger e Thiago Alves, nos lugares dos ineficientes Richelly, Rodrigo Possebon e Diogo, respectivamente. O time naturalmente foi mais ofensivo, pois o Palmeiras se portava atrás para segurar o resultado, mas o alvinegro não logrou êxito nas finalizações e o resultado terminou o mesmo do primeiro tempo.

O Santos foi prejudicado pela CBF ao ceder 3 jogadores para a Seleção principal? Sim.

A CBF deveria paralisar o Campeonato Brasileiro - ou ao menos adiar automaticamente todos os jogos das equipes que tivessem seus jogadores convocados - durante a Copa América? Sim.

Esses argumentos podem ser usados como desculpas para a derrota? Não.

Só vence, empata ou perde quem jogou. 

O Santos de Muricy começou ontem o jogo em um 4-3-1-2 e terminou em um 4-2-1-3.

O Santos que acharia ser o melhor para a partida de ontem iniciaria a partida em um 3-5-2, com Rafael, Edu Dracena, Durval, Bruno Aguiar, Pará, Léo, Arouca, Danilo, Felipe Anderson, Thiago Alves e Borges.

3 zagueiros, 2 alas, 2 meias de ligação, 1 meia armador, 1 ponta e 1 centroavante.

Vamos às análises individuais.

Rafael. Foi regular na partida, mas falhou no segundo gol, ao sair mal da área.

Edu Dracena. Ganhou quase todas pelo alto, não falhou nos gols do Palmeiras, e, como sempre, cometeu faltas infantis.

Durval. Regular na partida, mas falhou no terceiro gol palmeirense ao se virar de costas para a bola (como? é... foi isso mesmo).

Pará. Muito mal no jogo todo, errou passes infantis, perde a bola com facilidade e suas chegadas ao ataque são ineficazes. Falhou no primeiro gol palmeirense, ao se posicionar mal, impedindo que o jogador Maikon Leite ficasse em posição de impedimento. Em compensação, volta bem para marcar e mostra raça... mas só isso não ganha jogo, nem compensa por sua falta de qualidade. Na minha opinião, deveria ser emprestado ou vendido pelo Peixe.

Léo. Um dos poucos que se salvou na partida, mesmo não tendo feito uma de suas melhores atuações, Léo tentava fazer jogadas pelo lado esquerdo, mas parecia que sempre estava jogando sozinho, pois nunca havia ninguém para passar a bola. Por isso, tentava resolver sozinho e perdia as jogadas. Pelo menos tentou.

Arouca. Apareceu bastante no primeiro tempo, tentou armar as jogadas e surgir no ataque como homem-surpresa, mas foi ineficaz. Sumiu no segundo tempo.

Danilo. Jogou bem na primeira etapa, com bons desarmes e puxando jogadas de ataque. Também sumiu na segunda etapa. Danilo parece que as vezes se esconde no jogo, assim como Elano.

Rodrigo Possebon. Outro que fez uma péssima partida, marcando mal, errando passes infantis e mostrando-se desatento com o jogo. Ainda é jovem, seu futebol pode melhorar muito. Foi substituído no segundo tempo por Roger.

Diogo. Lento, dribla quando não tem que driblar, erra muitos passes e se esconde no jogo. Assim se resumo Diogo ontem. Foi substituído merecidamente por Thiago Alves.

Richelly. Ao contrário das outras partidas, em que marcou gol e apareceu bem na ponta esquerda, o jogador pouco produziu pelo lado esquerdo, e toda vez que pegava na bola se voltava para trás para devolvê-la. Substituído por Felipe Anderson no segundo tempo.

Borges. No primeiro tempo perdeu todas as bolas em que tocou. No segundo tempo sequer teve a oportunidade de tocar nela. Fica difícil analisar, mas o acho um bom jogador que ontem só recebeu tijolos para chutar a gol.


Roger. Péssima partida. Toda vez que pegava na bola virava para trás e tocava de volta. Não conseguia fazer uma jogada individual sem cair no chão, além de errar muitos passes e perder a bola com facilidade.

Felipe Anderson. Movimentou bastante o jogo pelo meio e pelas pontas, arriscou alguns chutes a gol, deu bons passes e foi só. Regular, mas melhor, anos-luz melhor que Diogo.

Thiago Alves. O melhor jogador santista na partida, tocou pouco na bola mas as vezes que ela estavam em seus pés arriscou perigosos chutes a meta de Marcos. É rápido e habilidoso, e, com apenas 18 anos, mostra muito mais potencial que Richelly.


Notas

Rafael. 6
Edu Dracena. 5
Durval. 5
Pará. 3
Léo. 6,5
Arouca. 5,5
Danilo. 5,5
Diogo. 4
Richelly. 4,5
Borges. 4,5

Roger. 3
Felipe Anderson.  6
Thiago Alves. 7