Atlético Goianiense 2 x 0 Santos

O Santos joga mal, ressuscita mais um e leva "Olé" da torcida adversária.

Fonte: Adalberto Marques/Gazeta Press

Parece que o Santos gosta de ressuscitar os mortos, não?

Reviveu o Figueirense, lá nas primeiras rodadas, ajudou Atlético Paranaense e agora dá uma mão para o Atlético Goianiense.

A partir deste momento, precisamos nos preocupar seriamente quanto a dois aspectos: rebaixamento e desempenho da equipe.

Não importa o fato do Santos integrar a seleta lista dos únicos clubes nunca rebaixados para a série B do Campeonato Brasileiro (juntamente com São Paulo, Internacional, Cruzeiro e Flamengo).

Temos razões para acender a luz vermelha.

Quais seriam? Listo abaixo seis:

1 - O Santos perdeu para um time pequeno, da zona de rebaixamento, sem técnico, com quatro desfalques, e que foi derrotada cinco vezes em casa neste campeonato.

2 - O Santos vem jogando mal desde o confronto contra o Flamengo (só Neymar jogou naquele dia), e seu desempenho não melhorou desde então.

3 - Nas cinco últimas rodadas, acumulou 3 derrotas, 1 empate e 1 vitória [ Atlético-PR (3 x 2), Vasco (2 x 0), empate contra o Corinthians (0 x 0), vitória jogando mal contra o Ceará (1 x 0) e derrota para o Atlético-GO (2 x 0) ].

4 - Todos os jogadores entraram em todas as últimas 5 partidas sem nenhuma raça, garra, gana, empenho,  determinação, motivação, ambição e vontade de vencer.

5 - A desculpa dos três jogos a menos não cola mais. Hoje são dois. Além do mais, caso o Santos tivesse vencido esses jogos, ocuparia apenas na 11ª posição, com 21 pontos.

6 - Caso amanhã Atlético Mineiro e Grêmio empatem ou vençam seus respectivos jogos, o Santos voltará à zona de rebaixamento, na 17ª posição.


O jogo

Admito que esperava muito mais de um meio de campo formado por Adriano, Arouca, Henrique e P.H. Ganso.

Não só deles, mas principalmente da atitude do time em relação ao adversário.

O Atlético jogava livre no meio campo, totalmente sem marcação, com todos os espaços do mundo para realizarem suas jogadas.

Enquanto o Santos, quando chegava ao ataque, sofria com a "forte marcação" da equipe goiana.

Agora eu pergunto: se os jogadores santistas não conseguem passar pela defesa de um time do calibre de Atlético Goianiense, como acham que conseguirão se livrar da fortíssima marcação do Barcelona?

Algumas desculpas simplesmente não devem ser aceitas, tais como "a outra equipe jogou melhor", "a marcação do adversário era forte", "faltou somente o gol...", dentre outras.

Afinal, jogar melhor que o time adversário, sair da marcação e marcar gols são, no mínimo, preceitos básicos do futebol.

Tentando voltar ao jogo, percebo que não há muito o que comentar.

A principal observação é a seguinte: os jogadores entraram sem nenhuma, absolutamente nenhuma vontade, menosprezaram o time adversário, e perderam merecidamente o jogo.

E por pouco não levaram uma goleada, não fossem duas milagrosas defesas de Rafael.

Para fechar o circo, todas as substituições não deram em nada.

Um desastre completo, porém anunciado.


Análises Individuais

Rafael. Seguro nos chutes de fora da área, fez algumas grandes defesas e não falhou nos gols.

Durval. Ontem foi péssimo: lento e mal posicionado, falhou nos dois gols. No primeiro, ao tentar se adiantar para provocar um impedimento; no segundo, ao se posicionar mal dentro da pequena área.

Bruno Rodrigo. O pior do Santos no jogo. Extremamente lento, perdeu todas as divididas pelo lado direito da defesa, das quais em uma oportunidade resultaria no segundo gol atleticano. Quase marcou um gol de cabeça, o que não redimiria sua má atuação.

Pará. Talvez o único jogador santista a mostrar garra e empenho dentro de campo, jogou bem o primeiro tempo. Já na segunda etapa fez tudo errado... marcou mal, não apoiou e falhou nos dois gols. No primeiro, em um erro de posicionamento, e no segundo porque ficou apenas olhando o adversário enquanto este corria pelo lado direito da defesa em direção à área.

Léo. Muito bem no primeiro tempo, marcando, correndo e apoiando, mas no segundo tempo desapareceu, permanecendo na marcação, por sinal ineficiente. Deve ter cansado no segundo período.

Adriano. Um dos poucos jogadores com uma atuação regular, nem horrível nem excepcional. Fazia bem a cobertura da zaga santista, e não teve culpa em nenhum dos gols adversários.

Arouca. Parece contaminado com a apatia do resto do time. Ontem alternava momentos de disposição e de "preguiça". Pouco apareceu no ataque e pouco fez na marcação.

Henrique. Mal no jogo, esperava muito mais dele. Parece totalmente desentrosado com a equipe, sem saber onde se posicionar, quem marcar e o que fazer. Muricy o aguentou até o segundo tempo, quando foi substituído por Diogo.

P.H. Ganso. Mostrou disposição nos primeiros 10 minutos, mas logo voltou ao seu "normal": não marcar, fazer passes precisos com visão de jogo privilegiada, e se "esconder" quando a coisa vai mal. Cadê aquele Paulo Henrique que chamava a responsabilidade para si na final do Paulista? Já passou da hora de readquirir ritmo de jogo. Por fim, acabou substituído por Felipe Anderson.

Neymar. Talvez pelo cansaço do jogo da Seleção Brasileira, ontem não teve uma grande atuação. Foi um jogador comum tentando fugir da marcação adversária, sem sucesso. Quase fez um gol de cobertura, chutou uma bola na trave, mas pouco apareceu na partida. Parecia desanimado.

Borges. Borges é um jogador que não participa do jogo. Ele some, se esconde, fica lá no cantinho dele... até que uma hora a bola chega e ele põe pra dentro. Mas ontem nem me lembro de ter ouvido seu nome na narração. Foi substituído no final por Alan Kardec.


Diogo. Entrou em campo e não fez absolutamente nada. Quase não tocou na bola.


Muricy Ramalho. O que aconteceu professor? Três derrotas nos últimos cinco jogos, perdendo para um time sem técnico, com quatro desfalques, que perdeu 5 jogos em casa, e na zona do rebaixamento?


Notas

Rafael. 5,5
Durval. 2
Bruno Rodrigo. 1,5
Pará. 3
Léo. 4
Adriano. 5
Arouca. 4,5
Henrique. 3,5
P. H. Ganso. 3
Neymar. 4,5
Borges. 2,5

Diogo. 1
Felipe Anderson. sem nota
Alan Kardec. sem nota

Muricy Ramalho. 3


Reveja as falhas da defesa santista:

7 comentários :

  1. Os principais responsáveis pelo fracasso do Santos no brasileirão são pela ordem, o Muricy e o Laor. O técnico escala mal e substitui pior ainda. Só no final do jogo quando já estava 2x0 ele entrou com o AK e o FA. Resultado: maior movimentação do ataque e duas bolas na trave. Bem antes disso, o técnico deles trocou um meia por mais um atacante. O Muricy mais uma vez não soube fazer a leitura do jogo. Tomou uma piaba tática maior ainda que no jogo contra o Fla, quando o Luxa mudou o esquema de marcação em cima do Neymar no segundo tempo. E naquela ocasião, o Muricy também não viu nada. E o Laor tem que parar de falar bobagens, tais como "Pará na seleção", e tomr as rédeas do departamento de futebol. A primeira providência é enquadrar o Muricy que parece não ter mais a mínima vontade de treianr o Santos. (Silverado).

    ResponderExcluir
  2. E Muricy voltou ao seu normal nas entrevistas coletivas... sendo o rabugento de sempre. Antes, quando chegou ao Santos era só sorrisos.

    Mas acho cedo para se falar em dispensa a Muricy. No entanto, está claro que ele não está conseguindo passar confiança e foco à equipe, a qual parece abalada psicologicamente, e sem a mínima vontade de jogar.

    ResponderExcluir
  3. nota zero para todos ,tirante rafael 2 e neymar 1.Diogo menos zero.

    ResponderExcluir
  4. Confirmo o zero para a equipe como um todo.

    ResponderExcluir
  5. Discordo: Murici deve sair imediatamente, antes da situação ser irremediável.
    Reconheço nele duas qualidades: não se envolver em esquemas com empresários (e nesse meio, ser honesto é virtude, e não obrigação) e ter uma auto confiança acima da média.
    E mais: quando ele chegou ao Santos detectou nossas duas grandes fragilidades (que vinham da época do Dorival, pois Matelotte e Pardal passaram sem deixar marcas): o posicionamento sem a bola, ou seja a disposição para retomar a posse de bola, e o nervosismo, exarcebado nas reclamações contra árbitros, gols perdidos, adversários, imprensa, etc...
    Tanto é que ele chegou e emplacou 7 vitórias seguidas em mata-mata (3 no Paulista, 4 na Libertadores) sem grandes alterações táticas: apenas povoando o meio-campo com jogadores velozes (e nisso foi "ajudado" pela contusão do Ganso) e pegadores: Danilo, Adriano, Arouca e Elano. Quando o Jonathan machucou, pois o Danilo na lateral e o Ganso ou o Alan Patrick armando. E o outro "toque de mestre" foram as conversas no sentido de acalmar a equipe, fazendo-a esquecer do juiz e focar nas vitórias.
    Mas tudo isso se perdeu. Nos últimos seis jogos, quantas vezes vimos nossos jogadores andando em campo? Perdendo a bola e ficando com as mãos na cintura?
    E pior, o adversário voltou a ser o juiz. Roubando ou não, não é da competência do jogador falar da arbitragem. Isso só prejudica, aumenta o rancor dos apitadores contra o Santos, num efeito bola de neve.
    Isso está acontecendo porque o técnico perdeu o comando. Não sei se por insubordinação dos atletas ou por falta de visão dele mesmo, mas isso não importa.
    Também não sei que poderia substituí-lo, se é que tem alguém disponível, que tenha algum identificação com o Santos. Técnico, assim como jogador, não pode ser apenas um mercenário, tem que ter algum vínculo a mais com o time, assim como o Murici tem com o São Paulo: jogou lá, foi assistente do Telê e ganhou seus maiores títulos por lá.
    Mas o fato é que, se não trocarmos o técnico já, vamos manter essa media de 35% de aproveitamento de pontos, e nem vamos enfrentar o Barcelona: perderemos na semi para algum TP Mazembe da vida.
    Além de comemorarmos o centenário na série B...

    ResponderExcluir
  6. Não vi o jogo, mas quando liguei o rádio, foi no momento do primeiro gol do Atl-GO e o comentários do Ademir Quintino e equipe da Tupi-AM. Resumo: pelo que vi dos últimos jogos (fui aos jogos contra América-MG e Ceará, no Pacaembu), NOTA ZERO pra todo mundo, inclusive o maior responsável, Muricy, que não treina o time, está claro! Não tem ninguém mais para bater faltas e escanteios nesse time?

    ResponderExcluir
  7. Marco

    Ainda acho que o Muricy vai dar a volta por cima. Mas concordo quando você diz que o time se perdeu, tanto na marcação quanto na disciplina.

    Paulo

    O time não treina... esse é o pior problema... e sem treinar ninguém consegue fazer nada. Os jogadores estão cansados? Ótimo, faça um treino de posicionamento, de cortar bolas na área, de cabecear bolas na área, de toques 1 x 2 em velocidade, crie desconfortos, aperte o time...

    ResponderExcluir