Bahia 1 x 2 Santos

E o Peixe venceu! Mesmo sem apresentar um grande futebol, ganha 3 pontos e escapa da zona de rebaixamento.




















Alívio.

Esse é o sentimento que predomina entre os santistas.

Mas também, por que não, preocupação?

Preocupação com a atuação da equipe, com a forma na qual saíram os gols (um de pênalti e outro em bola rebatida após escanteio), e no desempenho de Elano, Henrique e P. H. Ganso?

O Santos começou a partida como sempre começa: fazendo um gol. E foi de pênalti, sofrido por P.H. Ganso e cobrado com perfeição por Neymar.

Minutos depois, após excelente lançamento de Léo, o mesmo Neymar driblou o goleiro, e chutou no gol, ao que a bola bateu no zagueiro e saiu.

No resto da partida, o Peixe se retraiu, permanecendo apenas na defesa, segurando melancolicamente o 1 x 0, esperando levar o gol baiano... que saiu antes mesmo de terminar o primeiro tempo, em jogada de possível impedimento.

No segundo tempo, só deu Bahia, com o Santos contra-atacando esporadicamente em jogadas elaboradas por Neymar. Mas o gol finalmente saiu. Após um escanteio bem batido e rebatido pelo goleiro, Alan Kardec, que tinha acabado de entrar, colocou para dentro uma bola cabeceada por Henrique.

Mas no jogo só deu Bahia... duas bolas na trave... três grandes defesas de Rafael...

Essa é a parte ruim da história.

No entanto, devo admitir: em alguns momentos o nosso Peixe lembrou o da Libertadores, com dribles e jogadas de velocidade.

Terminou, no final, com 3 zagueiros.

Com o resultado, o Santos pulou para a 15ª posição, ainda com dois jogos a menos, além de ter vencido sua primeira partida fora de casa, somando agora 5 vitórias, 3 empates e 8 derrotas.


Formação tática

Muricy surpreendeu ao colocar Adriano na lateral direita, e escalou o Santos no mesmo 4-3-1-2, da seguinte forma:























Que no finalzinho mudou para um 5-3-2, para defender o resultado, após a entrada de Bruno Aguiar.























Análises Individuais

Rafael. Excelente enquanto esteve em campo, mostrou a coragem que nele não se via nos outros jogos, além de muita confiança. Foi o melhor santista no primeiro tempo. Saiu para a entrada de Vladimir (aliás, cadê o Aranha?)

Durval. Lento, lento... muito lento... não conseguiu acompanhar as jogadas rápidas do Bahia, nem no primeiro nem no segundo tempo.

Bruno Rodrigo. Esse então, nem se fala. O pior jogador santista em campo. O que levou de lançamentos nas costas, o que perdeu de corrida para os atacantes adversários não foi brincadeira! Bruno Rodrigo dá um bom zagueiro para a série B, mas não deveria compor esse elenco do Santos.

Adriano. Quebrou bem o galho como lateral direito, mas assustou em algumas oportunidades em que ia com muita vontade para bola e quase cometia pênaltis.

Léo. Ótimo no primeiro tempo, péssimo no segundo. E essa história se repete desde a lesão de Alex Sandro. Está claro que Léo não tem fôlego para aguentar as segundas etapas, motivo pelo qual as equipes adversárias exploram muito o lado esquerdo da defesa santista. Precisamos de um novo lateral esquerdo já!

Arouca. Marcou no meio de campo por Henrique, Elano e Ganso, além de tentar puxar alguns contra-ataques.

Henrique. Mais uma péssima apresentação. Contratado sob muita expectativa, o garoto me decepcionou.

Elano. Outro que fez uma péssima partida, além de mandar uma cobrança de falta na lua. Não se apresenta para o jogo, não corre, não marca, toca a bola sem correr para receber... seus únicos pontos fortes são os passes e lançamentos. Tomara que seja mesmo apenas uma "má-fase"... mas se continuar assim... (ah, e ele tem que parar de uma vez por todas de pensar em voltar à Seleção). Saiu para a entrada de Bruno Aguiar.

P.H. Ganso. Sem a bola, uma nulidade. Com ela, participou um pouco do jogo, mas se escondeu nos momentos em que o Santos levava pressão. Não foi o jogador decisivo que todos esperam, porém chega mais próximo à área, sob ordens do professor Muricy.

Neymar. Não foi brilhante, mas fez uma boa partida. Correu bastante, distribuiu bem as jogadas, cobrou escanteios e entortou alguns zagueiros baianos.

Borges. Pouco pegou na bola, mas deu o passe que originaria o pênalti em Ganso. Como o Santos jogou mais na defesa do que no ataque, a bola pouco chegou. E como Borges não é o tipo de jogador que volta para buscar a bola, não produziu. Saiu no final para a entrada de Alan Kardec.


Vladimir. Transmitiu segurança e não falhou, apesar dos constantes ataques adversários. E mais, defendeu difícil cobrança de falta no final do jogo.

Alan Kardec. Tocou, salvo engano, apenas uma vez na bola, e fez o gol da vitória. Já bastou.

Bruno Aguiar. Esse nem deu para avaliar.


Notas

Rafael. 7
Durval. 4,5
Bruno Rodrigo. 3
Adriano. 6
Léo. 5,5
Arouca. 6
Henrique. 4
Elano. 3,5
P.H. Ganso. 4
Neymar. 6,5
Borges. 5

Vladimir. 6,5
Alan Kardec. 6,5
Bruno Aguiar. sem nota


Melhores momentos da partida


4 comentários :

  1. Alex,Muricy faz um revezamento entre Aranha e Vladimir,cada um vai 2 vezes seguidas.mas,dos 3 goleiros ainda acho Vladimir o melhor.

    ResponderExcluir
  2. Discordo de vc anônimo, pra mim o Rafael ainda é melhor que os outros dois!!!

    ResponderExcluir