A CBF e seu burro calendário

A Confederação Brasileira de Futebol, com seu calendário, prejudica todo o futebol brasileiro.

Foto: EFE





- Pensamos prioritariamente na Seleção. Não é possível compatibilizar todas as questões e jogar pela Seleção ainda é importante. Precisamos enxergar para frente. O Brasileiro tem 38 rodadas e não será decidido em uma rodada, por um ou dois jogadores, mas por um grupo de atletas. Existe 2014 lá na frente e temos trabalhado pensando só nisso.

O pensamento de Mano Menezes reflete o pensamento da CBF e ratifica seu burro calendário.

Com isso, 10 jogadores que atuam no Brasil não participarão da 20ª e 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

São eles: Neymar, Ganso e Danilo (Santos), Fábio (Cruzeiro), Jefferson (Botafogo), Dedé (Vasco), Ralf (Corinthians), Lucas (São Paulo), Ronaldinho Gaúcho (Flamengo).

Com isso, Santos, São Paulo, Corinthians, Flamengo, Vasco, Botafogo e Cruzeiro serão prejudicados.

O Peixe será o mais prejudicado, pois cederá três jogadores, os quais desfalcarão a equipe nos jogos contra o Internacional, fora, no dia 31 de Agosto, e contra o Botafogo, dia 4 de Setembro, na Vila Belmiro.

O adiamento de jogos, caso ocorra, trata-se apenas de medida paliativa, pois no fundo mais prejudica que ajuda as equipes. Para se constatar esse fato não precisamos ir longe: observem como o Santos está sofrendo agora, com essa maratona de jogos todas as quartas e finais de semana.

Ou seja, adiar não resolve o problema, apenas mostra que ele existe, e pior, o agrava.

Enquanto todos os outros países, como Inglaterra, Alemanha, Itália, Espanha, não marcam rodadas dos campeonatos nacionais durante os jogos de suas respectivas seleções, no Brasil ocorre o inverso.

Com isso, criam-se anomalias: times fracos vencendo times fortes, e equipes fortes podendo perder o campeonato por causa de uma convocação.

"Ah mas tem que ter elenco". Sim e daí?

O elenco forte e numeroso deve existir mas o clube não se pode abrir mão de seus principais jogadores, pois por mais preparado que seja o elenco, certas peças são insubstituíveis (caso de Neymar).

A CBF, neste momento, mais atrapalha que ajuda.

Ironicamente, perde o próprio futebol brasileiro.

O mesmo a quem a entidade jura defender.

4 comentários :

  1. Reinaldo Fernandes19 de agosto de 2011 18:21

    Alex, seu comentário acima alivia, mas não justifica, senão o Flamengo, completo nâo seria goleado em casa pelo lanterna. O que acontece é que hoje o futebol é muito parelho senão veja: o Bahia empata com o Palmeiras aqui, o São Paulo perde para o Ceará e somenta empata com o America, o Atletico Paranaense está complicando para todo mundo (Santos, Corinthias, Cruzeiro, São Paulo) e assim vai. Tecnicamento hoje o futebol no Brasil é muito igual e ganha aquele que emocionalmente estiver melhor, mais confiante e para isso o Santos vai ter que dar uma quebrada nessa sequencia de resultados e más apresentações.
    Dizem que "cachorro morido por cobra, têm medo de linguiça" e a nossa cobra foi o Flamengo e aí estamos com medo de Coritiba, Atletico Goianiense, Corinthias,, etc. Enquanto o time não ganhar uma partida jogando bem, com confiança, esse drama ou esse medo vai durar, ou seja, faz gols, mas sabe que vai tomar mais do que fêz e não sabe como evitar....
    Infelizmente temos que aguardar esse momento e ficar torcendo que nos outros confrontos aconteça bastante empates, assim os intermediários nãos disparam tanto e podemos alcançá-los antes que a água bata na bunda....
    Quem sabe não é contra um Bahia que vêm em franca ascenção. Seria muito bom. Vamos torcer de novo.....

    ResponderExcluir
  2. Será que vamos esperar a série B se tornar irreversível para demitir o Murici?
    Para não desfiar um rosário de impropérios contra o técnico vou resumir tudo em um único defeito: sãopaulino.
    Mas, tentando ser objetivo, vou apresentar alguns números:
    Pardal Batista: 11 jogos, 5 vitórias, 5 empates, 1 derrota. 23 gols a favor, 13 contra.
    Martelotte em 2011: 10 jogos, 6 vitórias, 1 empate, 3 derrotas. 20 gols a favor, 13 contra.
    Murici no Paulista: 6 jogos, 4 vitórias, 2 empates. 8 gols a favor, 1 contra.
    Murici na Libertadores: 10 jogos, 6 vitórias, 4 empates. 14 gols a favor, 7 contra.
    Murici no brasileiro (antes da Copa América): 8 jogos, 3 vitórias, 2 empates, 3 derrotas. 9 gols a favor, 10 contra.
    Murici no brasileiro (depois da Copa América): 7 jogos, 1 vitória, 1 empate, 5 derrotas. 9 gols a favor, 15 contra.
    Admito que o nível do Campeonato Brasileiro é superior ao do Paulista e mesmo da Libertadores. Mas nesses números não é admissível a desculpa dos desfalques, pois sofremos o ano inteiro com eles.
    Também concordo com o Reinaldo aí em cima que diz que o Brasileiro é o mais equilibrado. Mas deve haver algum motivo para as folhas salariais serem tão discrepantes, e a do Santos ser uma das maiores.
    Para mim, está claro que o Murici está fazendo de tudo para ser demitido, pois sabe que irá para a seleção. Ele veio para o Santos ganhar um título que faltava no seu currículo (Libertadores). Acabou o interesse. Por menos, os outros técnicos foram descartados

    ResponderExcluir
  3. Concordo em parte, mas mesmo assim o Santos deveria adiar as partidas, pois foi o único que cedeu três jogadores. A c.b.f. e selenike que se danem! O interesse pelas partidas cai e os estádios ficam vazios; patrocinador quer pôr seu nome em times com estrelas, não pernas de pau. É a tal bola de neve. Acho ridículo ele "mano-mané" desfalcar os clubes brasileiros para um amistoso merreca que nem no Brasil será, e para tentar salvar seu "bacon" às custas de uma seleção de quinta categoria, já que a Itália se recusou a enfrentar o Brasil.

    ResponderExcluir
  4. REINALDO, a goleada do Atlético Goianiense mostra apenas que esse time está crescendo na competição, assim como o Atlético Paranaense, todos devidamente revividos pelo Santos... (mas este último tem um diferencial, o excelente trabalho de Renato Gaúcho). Mas essencialmente é isso mesmo: temos que ganhar bem, jogando com confiança e partindo pra cima sem medo (outra vitória à lá 1 x 0 sobre o Ceará não vai adiantar de nada)... e o pior, mais para frente será muito difícil fugir da zona da degola.

    MARCO, primeiramente parabéns pelo trabalho de compilação! Eu até cheguei a pensar nisso hoje... pelo retrospecto do Santos a impressão que fica é que Muricy pegou o time "montado" por Dorival Júnior, Adilson Batista e Marcelo Martelotte, arrumou a defesa, e ganhou Paulista e Libertadores, e depois mostrou sua verdadeira cara no Brasileiro, com os resultados piorando a cada rodada... mas ainda discordo de você quanto a Muricy querer forçar essa saída, pois ainda há um título que seu mestre Telê Santana conquistou que ainda falta ao treinador santista: o Mundial Interclubes (apesar de eu admitir que o Muricy quando perguntado sobre o Mundial e o confronto com o Barcelona fala com um desânimo...). Felipão também balança no Palmeiras, assim como Mano Menezes na Seleção. Não daria para ter certeza que Muricy ocuparia esse cargo automaticamente caso houvesse a saída de Mano.

    PAULO GONÇALVES, adiar as partidas é medida paliativa, mas necessária na situação atual (trata-se da opção menos pior entre jogar sem os jogadores principais e atuar seguidamente). Quanto aos amistosos, penso eles serem importantes, pois serão os únicos meios de preparação do Brasil para a copa de 2014.

    Mas uma observação deve ser feita: o amistoso contra Gana foi obviamente bolado para salvar a pele de Mano Menezes, que ao final do ano deveria enfrentar Seleções como Itália e Espanha.

    ResponderExcluir