P. H. Ganso está afundando sua carreira

E se assim continuar corre sério risco de se tornar o próximo Keirrison, Kerlon, Lulinha...


Fonte: http://www.pop.com.br/esportes/

Quais atitudes levaram o jogador à situação atual?

Primeiro, cobrar publicamente uma valorização por parte do Santos, mesmo machucado, sem jogar, recebendo 130 mil por mês (ganhou quase R$ 1 milhão durante os 7 meses em que esteve parado).



Segundo, quando ainda estava machucado, revelou à Andrés Sanchez o desejo de sair do Santos e jogar na Europa ainda na janela do meio do ano.

- Realmente estão acontecendo conversas, mas não posso passar por cima do Santos. O problema é que ele (Ganso) quer ficar três meses no Brasil e ir embora. Isso o Corinthians não vai fazer. Ou ele fica aqui por temporadas ou continua a vida dele.

Terceiro, nunca negou incisivamente sua ida ao Corinthians, mas mudou de postura de um tempo para cá, chegando a afirmar:

- No Brasil, sempre vou honrar esse manto sagrado (o do Santos).

Quarto, sua arrogância ao falar de si mesmo lhe retira todo e qualquer carisma. Veja os exemplos abaixo:

- Deixei um companheiro na cara do gol, mas a equipe sofreu com o cansaço. Em algumas partidas vou ser brilhante e em outras vou ajudar mais na marcação (depois da partida Santos x Ituano, neste ano pelo Campeonato Paulista).

- Espero fazer jus à mística da camisa 10, mostrar o meu belo futebol" (antes da estreia da Seleção Brasileira na Copa América).

Quinto, os quatro fatos anteriores desgastaram sua relação com a torcida santista, que chegou a chamá-lo de mercenário.

Sexto, após o retorno da lesão, seu futebol não voltou a ser o mesmo do ano passado. Ganso já disputou 8 jogos desde que voltou aos gramados, e nada de adquirir ritmo de jogo.

Sétimo, perdeu a credibilidade da imprensa esportiva brasileira, a qual antes afirmara com todas as letras que "Ganso era o craque do time do Santos, não Neymar", e hoje a situação se inverteu: a desconfiança predomina sobre o futebol do jogador.

Oitavo, não recebeu propostas relevantes do futebol europeu nesta janela do meio de ano, ao contrário do amigo Neymar, quem o mundo inteiro deseja contratar.

Nono, está evidentemente triste com todos esses fatores acima citados (não aceitar aumento de salário, não receber propostas, perder a confiança da crítica esportiva, voltar jogando mal...)

Décimo, além de triste, tem jogado aparentemente com má-vontade, sempre andando em campo.

P.S. 1: O valor do contrato proposto pelo Santos era de 450 mil mensais, com 100% dos direitos de imagem para o atleta e a manutenção da multa rescisória. Ganso não quis. Desejava a redução pela metade da multa rescisória, não ligando para o aumento de salário.

P.S. 2: Luís Álvaro já admite a possibilidade de vendê-lo, o que parece ser o desejo do jogador: “Tivemos um conversa franca há cerca de dez dias. Agradeci a ele declarações publicadas dadas de respeito ao Santos e sobre o desejo de permanecer. Agora, o Ganso me disse o seguinte: ‘ainda estou indeciso’. Para mim, basta que ele diga que quer sair e a partir de janeiro terei atitudes pró-ativas no mercado. Não tenho interesses em vender, mas passo a ter se esse for o desejo dele. Vou ajudar a sair com a melhor proposta para ele e para o Santos”, disse Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente do Santos.

“Não tem isso de Corinthians. É o mesmo barulho que fizeram no começo do ano para desestabilizar o Santos, não dá certo. Nós temos confiança no jogador, é de muito caráter, e nunca nos passou nada sobre isso. Não há temor”

4 comentários :

  1. Pois é Alex, Até um tempo atrás o Ganso andava decepcionando os torcedores do Santos e os fãs de seu futebol, somente fora de campo, mas desde que voltou da contusão anda sendo uma decepção dentro de campo também. A falta de vontade que tem demonstrado em campo é algo de fazer inveja até ao Keirrisono.

    ResponderExcluir
  2. Nunca vi alguém tão mal assessorado. Em nenhuma área de atuação. Como é possível se desperdiçar tanto talento?
    A começar desse apelido forçado, tolo, que foi implantado pela imprensa na marra. A primeira vez que ouvi não acreditei: num jogo contra o Ipatinga, no campeonato brasileiro de 2008, o repórter Fernando Fernandes insistia com o narrador cada vez que ele tocava na bola: é Paulo Henrique, mas ele prefere ser chamado de Ganso...
    Enfim, um detalhe, tão estúpido quanto o "Neymar Jr", sem bem que este justificado como homenagem ao pai. Agora, todo mundo sabe que o Ganso é aquele peladeiro desengonçado, ruim de bola...
    Sobre seu baixo rendimento, quero apontar um fato: Ganso, ou Paulo Henrique, sempre foi lento. Desde esse jogo contra o Ipatinga isso saltava aos olhos (segundo o comentarista Neto, que não o conhecia, parecia que o jogador estava com "tiriça"). No time do Wagner Mancini, quando ele começou a firmar entre os titulares, isso também ficava evidente.
    Bom passe, excelente visão de jogo, mas lento, e por vezes some do jogo...
    Essa sua deficiência foi ofuscada quando jogou com os azougues do time de 2010: Arouca, Wesley, Robinho, Neymar e André corriam, deixavam a defesa adversária morta, e o aí ele podia desfilar seu estilo clássico pelo gramado.
    Hoje não temos um time tão veloz; na seleção, a mesma coisa. Por isso, o jogo dele não encaixa tão bem quanto no mágico primeiro semestre do ano passado.
    Abraços,
    Marco

    ResponderExcluir
  3. Excelente observação Marco! Lembro de ter comparecido à Vila Belmiro em alguns jogos quando o Paulo Henrique e o Neymar não eram tão conhecidos. A torcida via muito potencial em Neymar, mas reclamava demais do P.H. por causa de sua lentidão. Mas uma coisa certamente mudou: a vontade. Ano passado o jogador se esforçava, voltava para marcar, segurava a bola lá na frente (quem esquece a final contra o Santo André?)... e hoje não mais.

    Se ele estivesse jogando na Seleção Brasileira o que jogou em 2010 no Santos já estaria de bom tamanho.

    Mas muito bem observado! Ele só conseguia explorar seu potencial ao máximo com um time rápido, o do ano passado, que ficou lento com a entrada de Elano, principalmente, e Borges (mais brigador que corredor).

    Ano passado a equipe era velocidade pura: Léo, Pará, Arouca, Wesley, Robinho, Neymar e André (tirando a dupla de zaga e Ganso).

    E Ganso se encaixava como uma luva naquele esquema...

    ResponderExcluir