Santos 0 x 0 Corinthians

Em um jogo brigado no meio campo, e com grandes desfalques, o Santos ficou no zero.

Foto: Fernando Borges/Terra


























Foi um jogo tecnicamente fraco, mas à beira do gramado pude constatar algumas coisas.

Primeiro, restou evidente que o Santos precisa treinar posicionamento ofensivo e jogadas de ataque.

Ontem toda vez que o Peixe subia ao ataque era uma bagunça só, no improviso, sem nada "preparado".

Cadê as triangulações com velocidade? O "passa e corre para receber"? A criatividade do meio campo? O drible? A velocidade no meio de campo?

Com isso, as jogadas de ataque de ataque acabaram sendo "empurradas" para as laterais, sobrando para Léo e Pará a função de levar o time para frente.

Ofensivamente, o meio era uma nulidade, criatividade zero, com as honrosas exceções de Arouca, durante a partida, e Elano no segundo tempo.

Defensivamente, o meio também ia muito mal, com, novamente, a exceção de Arouca.

Ibson foi péssimo na marcação, Henrique estava totalmente perdido no posicionamento defensivo (este último melhorando apenas no segundo tempo), e Elano e Diogo estavam muito lentos.


3-5-2 que nada!

Muricy entrou mesmo no 4-5-1, com Rafael, Edu Dracena, Durval, Pará, Léo, Arouca, Henrique, Ibson, Elano, Diogo e Borges, com destaque para o imenso buraco deixado na parte ofensiva do meio campo.


Que depois mudaria para um 4-4-2 com a entrada de Adriano e Alan Kardec, nos lugares, respectivamente, de Elano e Diogo.























Repararam o buraco no meio de campo? Pois é...

Ontem, por incrível que pareça, senti falta do Basílio, jogador santista que sempre entrava ao final dos jogos e deixava seu gol. 

Com o ponto conquistado, o Santos pula da 16ª para a 14ª posição, ainda com dois jogos a menos.

Falaram tanto de uma posição ganha pelo Corinthians e esqueceram da subida do Santos... ee imprensa...


Análises Individuais

Rafael. Seguro, não falhou durante a partida e saiu bem para cortar um cruzamento em bola parada.

Edu Dracena. Segurou bem a onda ali atrás. Foi preciso na marcação, ganhou todas de cabeça e não deu espaço para o time adversário.

Durval. Meio sumido na marcação e ainda tentava uns lançamentos à lá Gérson... que, diga-se de passagem, nunca funcionavam.

Pará. Exerce função muito importante em campo, a de sair pelas laterais para encontrar espaços no ataque. Mas não tem confiança o suficiente para efetuar as jogadas, e sempre acaba recuando a bola para os laterais. Ontem foi o Pará de sempre: razoável, com muitos erros mas muita disposição. Na marcação, um horror.

Léo. Correu demais e liderou as oportunidades de ataque santista pela lateral esquerda. Preciso também na marcação. Mas cansou e sumiu durante o segundo tempo.

Arouca. É tão bom jogador que tenta armar a equipe quando ninguém toma iniciativa. Outra ótima partida do regular Arouca.

Henrique. Totalmente perdido no posicionamento durante o primeiro tempo. Melhorou um pouco no segundo, mas ainda está muito longe de se apresentar como jogava no Cruzeiro.

Ibson. Um dos piores, se não o pior, em campo. Péssimo na marcação (cobre as jogadas longe demais, nunca dando o bote), perdido no posicionamento e errando muitos passes e lançamentos, mas muitos mesmo.

Elano. Mostrou um pouco mais de disposição em campo. Parece que vem se recuperando do jogo contra o Flamengo. Ontem pode-se ver sua técnica, mas também sua falta de velocidade. Além disso, Elano joga sempre como coadjuvante de outros jogadores... e ontem faltaram esses "outros jogadores". 

Diogo. Mostra disposição, mas é um jogador extremamente lento, prejudicando as jogadas de ataque. No primeiro tempo, voltou bastante para ajudar na marcação, mas no segundo tempo desapareceu de campo.

Borges. Teve uma oportunidade e perdeu.


Adriano. Entrou durante apenas 15 minutos, mas foram suficientes para impedir uma jogada de ataque da equipe da capital. Na minha opinião, merece vaga de titular nessa equipe.

Alan Kardec. Mostrou vontade, mas o pouco tempo em campo não permite melhor análise.


Muricy Ramalho. Escalou aparentemente o que tinha de melhor à sua disposição, mas insistiu em não sacar Ibson quando este jogava muito mal. Thiago Alves poderia ter entrado no lugar de Diogo, a fim de dar mais velocidade a equipe, assim como Felipe Anderson seria muito mais produtivo no lugar de Ibson. Fez suas escolhas do modo que achou correto.


Notas

Rafael. 6
Edu Dracena. 7
Durval. 6
Pará. 5,5
Léo. 6,5
Arouca. 7
Ibson. 1
Elano. 5,5
Diogo. 4
Borges. 5

Adriano. 6
Alan Kardec. sem nota



Estatísticas do jogo (fonte: Footstats) 

Cruzamentos:
Corinthians - 1 certo e 7 errados
Santos - 2 certos e 19 errados

Finalizações:
Corinthians - 2 certas e 8 erradas
Santos - 3 certas e 4 erradas

Desarmes:
Corinthians - 26 certos e 7 errados
Santos - 18 certos e 1 errado

Dribles:
Corinthians - 20 certos e 10 errados
Santos - 10 certos e 7 errados

Faltas cometidas:
Corinthians - 15
Santos - 22

Impedimentos:
Corinthians - 1
Santos - 6

Lançamentos:
Corinthians - 16 certos e 30 errados
Santos - 21 certos e 32 errados

Passes:
Corinthians - 318 certos e 27 errados
Santos - 281 certos e 39 errados

Perdas de Bola:
Corinthians - 49
Santos - 36

Rebatidas:
Corinthians - 39
Santos - 18

OBS: Reparem principalmente nos cruzamentos, faltas cometidas e impedimentos.