Seleção Brasileira e as chances dos jogadores do Santos



Rafael. Bom goleiro, seguro, ótimo no 1 contra 1, tem noção de posicionamento e não solta chutes de longa distância. Em compensação, tem na reposição de bola e principalmente nas bolas aéreas seus principais pontos fracos. Tem grandes chances de vestir a camisa 1 da Seleção Brasileira em 2018 e de ser reserva em 2014. Mas com a fase dos atuais goleiros da Seleção, poderia até se imaginar Rafael como titular na Copa do Mundo do Brasil.





Edu Dracena e Durval. Velhos (30 e 31 anos, respectivamente) e lentos, não têm mais espaço na amarelinha.

Léo. Mesmo caso acima, tirando apenas a lentidão. Léo tem 36 anos, e como corre!

Danilo. Atualmente com 20 anos, o lateral tem grandes chances de lutar pela lateral direita da Seleção, ainda mais com as recentes desconvocações de Maicon e a tentativa de buscar um novo nome para a posição. No entanto, ao ir para o Porto, Danilo pode tanto despontar no futebol mundial e ser comprado por um grande europeu como sumir do mapa. Então, fica como uma incógnita.

Arouca. Atualmente com 25 anos, estará próximo dos 28 na Copa de 2014. Mas tem todas as qualificações necessárias para vestir a camisa da Seleção Brasileira: boa capacidade de marcação, força física, velocidade, qualidade no passe e competência para atacar. Ninguém entende como ainda Mano Menezes não o convocou, levando em consideração que é anos-luz melhor do que o atual volante da Seleção, Lucas.

Henrique. Convocado e desconvocado para a Copa América, Henrique vivia uma grande fase no Cruzeiro. Mas não tem repetido as boas atuações, mostrando-se apenas um jogador comum. Terá de suar muito se quiser pensar em Seleção Brasileira.

Ibson. Precisa evoluir absurdamente se quiser sonhar com a amarelinha, ainda mais considerando que terá 30 anos na próxima Copa do Mundo.

Elano. Com 30 anos, não apresenta o mesmo futebol de antigamente. Lento, não marca e não corre. Ainda conserva a qualidade de passe e a técnica, mas não será o bastante para 2014, quando contará com 33 anos.

P.H. Ganso. Começou como a grande esperança para 2014, com o título de meia armador titularíssimo da Seleção Brasileira. Mas depois de fraca atuação na Copa América, acabou como reserva no jogo contra a Alemanha, e se machucou na última partida contra Gana. Neste ano, mais preocupado em sua venda ao exterior, não apresenta o mesmo futebol de 2010. Com as constantes lesões, Ganso é uma incógnita para 2014: pode tanto deslanchar quanto ser uma grande decepção.

Neymar. Tem totais condições de ser eleito o melhor jogador do mundo em 2014, atuando pelo Brasil. Tem espaço garantido na Seleção.




Borges. Apesar de fazer muitos gols, não acredito que Borges tenha mais espaço na Seleção Brasileira. Já com 30 anos, não é veloz nem se apresenta para o jogo, características necessárias no futebol atual, principalmente a nível internacional, quando se fala em confronto entre Seleções. Mas pratica o objetivo de um jogo de futebol: marcar gols. E talvez por isso poderia ser reserva em 2014. Mas acho extremamente improvável.


















Muricy Ramalho. Com a possível queda de Mano Menezes no comando da Seleção, Muricy apresenta-se como opção número 1 da CBF. E o próprio treinador já manifestou em entrevista coletiva que dessa vez não deixaria escapar a chance de treinar a Seleção Brasileira.