Atlético Mineiro 2 x 1 Santos



Não há como analisar individualmente jogador por jogador, pois o time como um todo foi muito mal.

O principal motivo?

A absurda falta de ligação entre os 3 volantes e os 3 atacantes.

A bola simplesmente não chegava lá na frente, só mesmo por meio de chutões.

Deixo algumas observações da minha visão deste jogo:


Jogadas do Santos

Como já falei em outro post, o Santos só tem uma jogada: pelas laterais.

Ou Léo avança para encostar nos três atacantes ou Danilo faz esse papel.

Fora isso, o Santos não tem simplesmente nenhuma jogada no meio de campo.

Os três volantes não sabem sair para o jogo, e acabam presos na marcação, sem realizar a ligação meio-ataque.

E isso não é de hoje.

Em todos os jogos em que o Peixe atua com três atacantes a história tem se repetido.

Outras possíveis jogadas santistas: chutão para frente (normalmente dado por um zagueiro ou pelo goleiro) e bolas paradas (sim, hoje o Santos - do tão aclamado DNA ofensivo - vive de bolas paradas).

Muito pouco para o tricampeão das Américas, cujo futebol decaiu miseravelmente durante o Campeonato Brasileiro.


As expulsões

Crystian não merecia a bronca de Muricy, muito menos ter sido expulso.

A começar pelo primeiro cartão amarelo do garoto, originado por um escorregão de um atacante da equipe mineira, sem nenhum contato físico do jogador santista (como bem observado hoje no Globo Esporte, pelo jornalista Thiago Leifert).

E a continuar pelo pênalti escandalosamente não cometido pelo lateral santista. Réver simplesmente pulou para cabeçear a bola e não a alcançou, desabando na frente de Crystian.

Resultado de uma péssima arbitragem: a expulsão de Crystian, por uma falta que não fez e um pênalti que não cometeu, levando ainda à injusta bronca de Muricy Ramalho.

Crystian que, aliás, foi o melhor santista em campo, pelo menos quanto a vontade de jogar.


Neymar

Neymar errou ao chingar o árbitro e depois ao bater palmas pra ele, ok.

Mas o juiz exagerou. Um cartão amarelo bastaria. A expulsão foi exagero, que coroava uma péssima arbitragem.

A joia santista não deveria ter atuado ontem; poderia ao menos ter entrado no segundo tempo e ajudado a equipe.

Mas o jogo todo Muricy?

Será que o senhor não viu que Neymar estava morrendo de cansaço em campo, após a volta da Seleção Brasileira, em longa viagem de avião do México?


Individual x Coletivo

Hoje, tenho de admitir: o Santos perdeu completamente o jogo coletivo.

O time se baseia na individualidade de Ganso, Borges e Neymar.

Principalmente daquele último.

Sem atuar bem coletivamente, o Santos enfraquece, se torna um time mediano, de "únicas jogadas", "previsíveis" e "marcadas" pelos adversários.

O Barcelona, só a título de comparação, possui excelentes individualidades, atuando em total sincronia com o jogo coletivo, fator que torna a equipe da Catalunha praticamente imbatível.

Assim era o Santos do primeiro semestre de 2010... individualidades que arrasavam no jogo coletivo...


Defesa santista

Ontem levamos mais dois gols de bola parada: um de falta e outro de pênalti.

Será que tanto treino não serve para nada?

Pô Rafael, quando foi a última vez que você pegou um pênalti?

Rafael, que, fazendo-se justiça, impediu ontem que o Santos sofresse uma goleada.


Basta esperar

O retorno de Ganso e de seu "belo futebol".

O descanso de Neymar e Danilo, que estão jogando sem parar desde o final de 2010, em uma maratona que envolveu: Campeonato Brasileiro, Sul-Americano Sub-20, Campeonato Paulista, Libertadores, Copa América e novamente Campeonato Brasileiro.

Repito: sem parar, direto.

Precisam de um descanso.

Assim como os vovôs Edu Dracena e Durval.

E o veterano Léo, de 36 anos, que após a venda de Alex Sandro tem tentado segurar a bronca na lateral esquerda durante 90 minutos, mesmo sem condição de jogar esse período de forma integral.

Olha...

Estou sentindo falta do Alan Patrick...

2 comentários :

  1. Reinaldo Fernandes14 de outubro de 2011 21:53

    ...só complementando, pois a maioria dos santistas estão sacrificando o menino Crhistian, o gol do Santos originou de bela jogada dele, que deu dois dibles desconcertantes no zagueiro mineiro e passou para o Danilo cruzar e que originou o gol de penalte. Por incrível que pareça, já senti a falta do Ibson no meio de campo, agora o Henrique não ata e nem desata. Acho que o Santos pensando em reforços poderia já ficar de olho em jogadores dos times intermediários, Bahia, Coritiba e principalmente o Figueirense e também porque não no América, deve ter algum jogador bom por lá.

    ResponderExcluir
  2. O Crystian não tem culpa alguma nos cartões, no pênalti e na expulsão! Totalmente injustas as críticas de qualquer santista ou mesmo de Muricy Ramalho. E seria uma boa o Santos já começar a olhar para esses jogadores de equipes intermediárias, selecionando os melhores. Mas o problema mesmo é R$

    ResponderExcluir