Santos 1 x 0 Palmeiras


























No primeiro tempo, um jogo fraco, com pouca técnica e muita disputa pela bola no meio de campo, sem que nenhuma equipe ostentasse a superioridade sobre a outra, somando ao final do período 2 bolas na trave, uma de falta cobrada por Marcos Assunção (a única jogada do Palmeiras) e a outra em bela cabeçada de Alan Kardec, após cruzamento de Danilo, em boa jogada criada pela equipe santista.

No segundo tempo o Santos acordou. Os jogadores lembraram que estavam jogando em casa, que precisavam da vitoria para reanimar o grupo depois de 3 derrotas consecutivas, e foram para cima. Uma blitz de 5 minutos foi o bastante para obrigar Deola a realizar pelo menos duas grandes defesas. E, ao final, quando tudo se encaminhava para um empate, o Santos, melhor na partida, marcou seu primeiro e único gol, em jogada de Léo pela direita, que cruzou com perfeição com o pé esquerdo para Borges, que não perdoou, decretando a vitoria santista.

Fiquei indignado com os dois pênaltis não marcados a favor do Santos!

No primeiro, em que o jogador palmeirense meteu a mão na bola, o juiz parou o jogo e deu falta de Léo, que não houve.

No segundo, Bruno Rodrigo é puxado e derrubado de forma escandalosa dentro da pequena área, quando detinha a bola em seus pes, situação novamente em que o juiz se fez de sonso.

E o pior foram os comentaristas da Globo, concordando com o juiz em ambos os lances.

Se o Santos venceu mas ainda não convenceu, o jogo de ontem mostrou pelo menos vontade pore  parte dos atletas, principalmente de jogadores criticados e outros que poderiam ganhar a posição de titulares.

Muricy escalou bem o Santos em um 4-3-1-2, com as melhores pecas que tinha em suas mãos.

Liberou os laterais para atacarem, deixando Adriano na cobertura do lado direito, por onde jogava Crystian, e Henrique na cobertura do lado esquerdo, por onde atuava Léo.

E o sistema armado pelo treinador santista funcionou, não deixando o Palmeiras criar quase nenhuma chance de gol durante toda a partida.

Com a vitoria, o Santos se afasta um pouco mais da zona de rebaixamento, aumenta a crise no Palestra Itália, e diminui sua distancia para o líder (13 pontos).


Analises Individuais

Rafael. Outra excelente e regular apresentação do goleirão santista. Sempre seguro nos chutes de longa distancia, encaixando as bolas com firmeza, Rafael mostrou no jogo contra o Palmeiras que tem aprimorado a saída do gol em bolas cruzadas, a principal arma da equipe alviverde.

Durval. Ontem não deixou a desejar, mas sua lentidão é algo irreversível.

Bruno Rodrigo. Critiquei esse rapaz muitas vezes no blog, por lhe faltar qualidade tecnica. Mas hoje tenho que reconhecer: o zagueiro jogou demais e foi um dos destaques do time santista. Ganhava todas de cabeca na zona defensiva, sempre mostrando bastante disposição nas disputas de bola. No ataque também chegava com perigo de cabeca. Ainda que mostre evidentes deficiencias de passe e velocidade, Bruno Rodrigo ontem atuou de forma a deixar Edu Dracena no chinelo. Torco para que repita essas boas atuações.

Crystian. Com liberdade pela lateral direita, subia com perigo ao ataque - não tanto quanto se esperava, mas subiu. Defensivamente foi mal e poderia ter complicado o Santos com faltas infantis próximas a grande área. Se melhorar defensivamente, ganha a vaga de Para, podendo Danilo ficar de opção pelo meio.

Léo. Ontem também com mais liberdade, Léo, como é de praxe, correu demais, sempre buscando Alan Kardec, que se aproximava para tentar armar o jogo. Espertamente, no momento do gol, Léo não colocou a bola para fora, e fez muito bem. Se jogasse a redonda pela lateral, provavelmente o Palmeiras devolveria a bola no campo de defesa do Santos, matando a grande oportunidade de ataque que se desenhava, a qual acabou por resultar em bola na rede.

Adriano. Fez bem a cobertura de Crystian pelo lado direito, mas ainda mostra deficiências no quesito passe, motivo por que talvez Muricy tenha o preterido por Henrique.

Henrique. Ontem jogou apenas para marcar e fazer a cobertura de Léo, na lateral esquerda. E exerceu bem sua função, não permitindo ataques dos verdes por aquele setor.

Danilo. Atuou como uma especie de ala direita, local onde Elano costuma atuar. Fez importante cruzamento que quase resultou no primeiro gol santista, em cabeçada de Alan Kardec. Sua movimentação ofensiva deu bastante opções para o time, assim como a velocidade na recomposição defensiva, tornaram Danilo peca importante no jogo de ontem.

Ibson. Melhor em campo do Santos no primeiro tempo e sumido na segunda etapa, Ibson parece que aos poucos vai readquirindo aquele bom futebol da época do Flamengo. Razoável defensivamente, o meia santista era ontem a única peca criativa no elenco, e, apesar de alguns erros de passe e perdas de bola infantis, a contratação da janela de inverno brasileira tende a evoluir.

Alan Kardec. Ontem deveu futebol, apesar de ter pedalado. Quase marcou um gol de cabeça, mas permanecia muito isolado la na frente junto com Borges.

Borges. Participou ativamente no primeiro tempo, e, quando não se narrava seu nome no segundo tempo, eis que aparece para garantir a vitoria santista.


Renteria. Entrou para segurar a bola la na frente, e o fez e forma apenas razoável, por pouco tempo.

Bruno Aguiar. No pouco tempo que esteve em campo, não decepcionou.


Muricy Ramalho. Montou o time com as melhores pecas que tinha, designou Adriano e Henrique para a cobertura das laterais, colocou o colombiano Renteria para segurar a bola no campo de ataque e depois Bruno Aguiar para garantir a magra vitoria.


Notas

Rafael. 8
Durval. 6,5
Bruno Rodrigo. 7
Crystian. 6
Léo. 6,5
Adriano. 6
Henrique. 5,5
Danilo. 6
Ibson. 5,5
Alan Kardec. 5,5
Borges. 7

Muricy Ramalho. 7,5

2 comentários :

  1. Só Arouca e Tiago Alves entrando para "degolear" o galo.Santos joga 20 minutos de bom futebol e "com 9 em campo" vence dos periquitos.Os papagaios continuam no nosso time.Pra mim? copie no seu favoritos também, lrsantista.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Quem seriam os dois a menos? Henrique e Alan Kardec?

    ResponderExcluir