Como jogará o Santos de Claudinei?


"Se para ser campeão, tivesse que optar por trair as tradições do clube e não jogar futebol bonito e ofensivo, eu prefiro não ser campeão."

Essa frase foi proferida pelo atual técnico santista, Claudinei Oliveira, logo após a conquista da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2013.

E com esse pensamento o Peixe foi campeão da Copinha, jogando em um 4-4-2 (ou 4-2-2-2), o esquema de jogo ideal de Claudinei ("dois volantes, dois meias e dois atacantes abertos"), conforme demonstra a  análise tática realizada pelo blog Tático FC:





















Caso Claudinei opte por adaptar esse esquema tático ao atual elenco, o provável time seria o seguinte:

Análise Tática do Santos de Claudinei Oliveira
As setas PRETAS mostram possíveis posicionamentos de ATAQUE
As setas BRANCAS mostram possíveis posicionamentos de DEFESA

No esquema acima proposto, o Santos ataca no 4-2-2-2, armado por Leandrinho e Montillo, os responsáveis por distribuir bolas em velocidade para Giva e Neílton.

A montagem dessa equipe tem por finalidade favorecer o futebol de Montillo, que atuaria como armador e segundo atacante, mais próximo à grande área (como rendia melhor no Cruzeiro), liderando as ações ofensivas do time.

Giva (que jogou de ponta-direita na Copa SP de Futebol Júnior) poderia atuar tanto como ponta direita como segundo atacante, auxiliado principalmente por Leandrinho e Galhardo.

Neílton, na outra ponta, também pode atuar tanto pela beirada quanto centralizando a jogada em diagonal, em direção ao gol (como fazia Neymar), sempre auxiliado por Montillo, Cícero e Léo.

Arouca, como primeiro volante. não atacaria, ficando preso apenas à função exercida no Santástico time de 2010, que o consagrou no futebol brasileiro: marcar, marcar e marcar.

Os laterais poderiam ficar mais presos ou atacar, dependendo do setor do campo em que a jogada se desenvolve.

Ao defender, o time se fecharia em um 4-1-4-1, com Arouca no enganche entre a primeira e segunda linhas de quatro, Leandrinho fechando o meio com Cícero, Giva e Neílton voltando para compor a segunda linha de quatro defensiva (ou marcando a saída de bola do adversário sob pressão) e Montillo sendo o responsável pelo primeiro combate lá na frente.

Willian José, Léo Cittadini e Renê Júnior são boas opções no banco para reforçar tanto as características da equipe (finalização, armação ou marcação) quanto para modificar sua formação tática.
Treino do Santos FC 2013
fonte: www.santosfc.com.br

No "meu novo Santos da era Claudinei", a única mudança seria a troca de Durval por Neto.

Tenho bastante esperança nessa equipe e no trabalho de Claudinei.

Por hora, aguardemos o fim da Copa das Manifestações.



E, principalmente, os prometidos "reforços de peso".