Balanço negativo das férias (*)

Claudinei Oliveira
Fonte: divulgação Santos FC















O Santos perdeu seu maior craque, segue sem técnico e não trouxe os tão esperados reforços.

Nem os mais otimistas conseguirão argumentos para afirmar que o Peixe se deu bem na pausa para a Copa das Confederações.

A expectativa na Vila Belmiro era aproveitar o mês de férias para formar um novo time.

Encontrar um substituto para Muricy, um suplente para Neymar e trazer mais alguns atletas para compor elenco.

A tentativa de contratar Marcelo Bielsa fracassou, Robinho segue distante e os únicos jogadores a chegarem até agora são os laterais Cicinho e Mena.

Bons, mas que são meros coadjuvantes em uma equipe até então sem protagonistas.

Além disso, o Santos perdeu Rafael e Felipe Anderson na janela.

Edu Dracena e Renê Júnior, machucados, não devem enfrentar o São Paulo… faltam motivos para o alvinegro sorrir.

Numa análise ainda mais ampla, é possível constatar que a folga no calendário também não serviu para o clube excursionar, como era pretendido.

E mais: já estamos em julho e a camisa alvinegra está limpa, sem patrocínio master…

Bem, para não dizer que não falei das flores, julho deve trazer boas novas aos santistas.

A diretoria segue em busca de reforços e, com ajuda da Teisa, deve trazer bons nomes.

No entanto, será muito difícil brigar de igual para igual com outros grandes no Brasileiro.

A exemplo dos últimos anos, o segundo semestre não se apresenta muito promissor.

(* texto publicado ontem pelo jornalista Bruno Cassucci em sua página no Lance!Net)

[OBSERVAÇÃO minha: o único ponto positivo dessa pausa de 2 semanas foi a oportunidade de Claudinei treinar e organizar taticamente o time, o que possibilita aos torcedores começar a julgar seu trabalho à frente do Santos].