O jogo da redenção

Léo em Santos x Corinthians 2013
Fonte: divulgação Santos FC/Ricardo Saibun


A atitude mudou na Vila Belmiro.

A postura da equipe ontem pode ser resumida nas palavras de Léo e do técnico Claudinei:

– Foi o Santos Futebol Clube que jogou. Foi o orgulho do torcedor santista. Acredito que recuperamos o orgulho do torcedor santista. Fomos uma equipe que nunca se omitiu do jogo, contra uma equipe que hoje é a melhor do Brasil (Léo).

- A entrada do Alison foi positiva. Ele fez um grande primeiro tempo. Infelizmente, levou amarelo. Então tivemos que tirá-lo. Mas o Arouca, na função dele, fez um grande jogo. O Edu Dracena fez uma partida brilhante, acho que a melhor no meu comando. O Durval encerrou o jogo com ânsia de vômito e câimbras, mas foi até o final. Enfrentamos a equipe que todos consideram a mais arrumada do Brasil, com tudo que envolvia esse jogo, mas mantivemos o equilíbrio, mesmo saindo atrás no placar.


A proposta tática 

Claudinei postou o Santos em um 4-3-1-2, com a novidade Cicinho pela direita, Arouca como primeiro volante (eventualmente revezando com Alison, para subir à frente), Alison à direita e Cícero à esquerda, Montillo no meio, na armação, Neílton jogando como um legítima ponta esquerda e William José centralizado, fazendo o papel de pivô.

No segundo tempo, o marcador Alison deu lugar ao versátil e habilidoso Leandrinho, que ofereceu mais opções ofensivas ao time. Léo, cansado, deu lugar a Eugenio Mena, e Cicinho, machucado, teve seu lugar ocupado por Galhardo.

A entrada dos laterais não alterou taticamente a equipe, mas a de Leandrinho sim. O Santos perdeu o poder de marcação de Alison (desnecessário àquele momento do jogo) e ganhou mobilidade pelo setor direito, que contou com Cicinho e depois Galhardo.

Defensivamente, Neílton voltava para fechar o flanco esquerdo, enquanto William José encarregava-se de fechar o flanco direito. Montillo pouco ou nada participava da marcação.

Na jogada do gol santista, destaque para Arouca, que lançou Montillo, que por sua vez emendou um passe com perfeição até William José, que de cavadinha não desperdiçou.

Análise Tática: Santos x Corinthians 2013



















Análise técnica

Durante o jogo, Aranha foi pouco exigido, mas levou gol na única finalização certa do adversário.

Edu Dracena e Durval, incomodados com as críticas, trataram de fazer uma ótima partida, ganhando todas do ataque corintiano (Edu colocou Pato no Bolso, enquanto Durval recorria aos chutões, aliviando o perigo). O primeiro gol surgiu a partir de uma bola sobrada na área santista após o escanteio. Não os culpo.

Léo correu mais que o normal. Dedicou-se ao extremo, apesar de algumas falhas de passe que irritaram o torcedor, e sufocou o lateral-direito Edenílson. Falta fôlego ao velho guerreiro.

Cicinho foi a grande surpresa positiva para o torcedor santista. Subiu bastante ao ataque, marcou com eficiência e jogou até não aguentar mais correr. Matou as subidas dos atacantes corintianos por aquele setor. Excelente estreia na lateral.

Arouca marcou e no primeiro tempo arriscou algumas subidas ao ataque, sempre sem sucesso (como em uma bola isolada, com o gol livre).

Alison marcou, com menos qualidade com Arouca, levou um cartão amarelo com pouco tempo de jogo, e limitou-se a isso. Bom na marcação, mas péssimo com a bola nos pés.

Cícero foi discreto. Pouco apareceu no jogo, tanto defensivamente quanto ofensivamente.

Montillo foi o jogador mais acionado e participativo da equipe santista. Tentou muitas jogadas, arriscou chutes a gol, e foi premiado com uma assistência. Mas ainda precisa melhorar.

William José gol contra Corinthians
Fonte: divulgação Santos FC/Ricardo Saibun
Neílton não teve o brilho dos outros jogos, mas participou bastante da partida pela ponta esquerda. Sofreu perigosas faltas, mas geralmente não conseguia concluir suas jogadas.

William José é tipo um Borges piorado... ficou lá na frente, ajudou na marcação, entrou pilhadíssimo em campo, não desperdiçou a chance de gol que teve e foi expulso.

----------

Leandrinho entrou e deu mais mobilidade ao time. Rápido e habilidoso, tem pinta de craque. Ainda dará muitas alegrias ao torcedor santista.

Galhardo errou alguns passes, deixou muitos espaços atrás e tentou atacar, sem sucesso.

Eugenio Mena apresentou um futebol abaixo do de Léo. Parece mal fisicamente. Levou um drible da vaca de um atacante corintiano, e parecia meio "com sono", lento em campo. Precisa participar mais da partida, chamar mais o jogo para si, e não se omitir.

----------

Claudinei Oliveira errou ao colocar Alison para iniciar o jogo. O garoto foi mal. Mas corrigiu o erro à tempo, com a entrada de Leandrinho. As substituições de Cicinho e Léo foram por razões físicas. Conseguiu de alguma forma motivar os jogadores e não levar o clube a uma grande crise.

----------

NOTAS

Aranha - 5
Edu Dracena - 7
Durval - 6,5
Léo - 5,5
Cicinho - 6,5
Arouca - 5,5
Alison - 4
Cícero - 4
Montillo - 7
Neílton - 6
William José - 6

Leandrinho - 6
Galhardo - 3,5
Eugenio Mena - 4

Claudinei Oliveira - 7

Neílton encara Gil e Corinthians
Fonte: divulgação Santos FC/Ricardo Saibun