Aquecimento: Santos x São Paulo

Análise tática: Santos x São Paulo
clique na imagem para ampliá-la





















Análise tática. O Santos iniciará a partida com uma formação um pouco diferente da habitual. Sem Montillo, Claudinei deverá optar pelo 4-2-2-2, com dois volantes marcadores (Alison e Arouca), dois meias, um na direita (Leandrinho) e outro na esquerda (Cícero), um atacante pela ponta (Thiago Ribeiro) e um centroavante (Willian José).

Do outro lado, o São Paulo de Muricy jogará no 4-2-3-1, com dois volantes marcadores (Rodrigo Caio e Wellington) – com o primeiro exercendo muitas vezes a função de terceiro zagueiro, um meia pela direita (Jadson), um meia pela esquerda (Osvaldo) e um meia armador centralizado (Ganso), com um centroavante atuando de cara para o gol (Luís Fabiano).

O jogo promete bons duelos. Thiago Ribeiro terá embates diretos com Douglas, Cícero encontrará Jadson pela frente, Leandrinho disputará espaço com Osvaldo, e caberá à dupla Alison e Arouca parar Ganso e Luís Fabiano.

Análise técnica. Jogador por jogador, os do Santos dão um banho no São Paulo (7 a 4).

Goleiro
Aranha
Rogério Ceni

Zagueiros
Edu Dracena
Paulo Miranda
Durval
Edson Silva
Lateral direito
Cicinho
Douglas
Lateral esquerdo
Mena
Reinaldo

Volantes
Alison
Rodrigo Caio
Arouca
Wellington

Meias
Cícero
Ganso
Leandrinho
Jadson
Atacante
Thiago Ribeiro
Osvaldo
Centroavante
Willian José
Luís Fabiano


Análise física. Ambos os times jogaram domingo, e a equipe tricolor terá de descer a serra para encarar o Peixe. O cansaço equivale para os dois.

Análise emocional. Tanto Santos quanto São Paulo vêm de derrotas, mas a do São Paulo é mais dolorosa e perigosa. O Santos perdeu do atual campeão da América fora de casa, enquanto o São Paulo perdeu do Grêmio em casa, com casa cheia. A moral do São Paulo está bem abaixo da do Santos, melhor paulista no Campeonato Brasileiro.

Desfalques. O Peixe jogará sem Montillo, Alan Santos (machucados) e Gabriel (seleção brasileira sub-17)

Vai brilhar. Com a zaga são-paulina montada por zagueiros reservas (Paulo Miranda e Edson Silva), Thiago Ribeiro tem totais condições de brilhar no jogo de hoje.

Pode surpreender. Cícero vem marcando gols importantes nos últimos jogos, e, na falta de Montillo, é o destaque técnico do time no meio de campo. Ainda mais jogando contra seu ex-time, que não o valorizou como deveria, pode surpreender.

Estão devendo. Prováveis companheiros de ataque de Thiago Ribeiro, Giva e Willian José estão devendo. Contra a defesa reserva do seu ex-clube, Willian José tem a chance de dar a volta por cima. Da mesma forma Giva, que no primeiro turno marcou um gol na vitória contra o São Paulo no Morumbi.

Olho nele! Irregular, Paulo Henrique Ganso tem sido o destaque técnico do São Paulo nos últimos jogos. Mas não deve brilhar com Alison grudado a seus pés.

Ataque x Defesa. O Santos neste Brasileiro marcou 29 gols e sofreu 25, desempenho parecido com o do São Paulo, que marcou 21 e sofreu 24. O ataque do Santos é mais forte, mas as defesas se equivalem.

Retrospecto. Jogando na Vila, o Santos venceu 5 partidas, empatou 6 e perdeu apenas uma, que pôs fim à invencibilidade de 1 ano (de agosto de 2012 a agosto de 2013). Jogando fora de casa, o São Paulo venceu 3, empatou 5 e perdeu 4.

Palavra do treinador. “Nada que venha de fora me contamina, nem positivamente, nem negativamente. Tem comentaristas com 'C' maiúsculo que tem me elogiado bastante e, se um dia me criticarem, vou ouvir. São caras que estão há bastante tempo trabalhando com idoneidade e são conceituados. Ele (Cembranelli) tem direito de falar livremente, não vou polemizar, mas considero o doutor Francisco Cembranelli um promotor com 'P' maiúsculo.”

Palpite. Empate.

Dúvida pertinente. Como será a recepção de Muricy no alçapão alvinegro?

Comente!