Caso Neymar: em 2013, pai negou adiantamento

Neymar pai Santos Barcelona


No dia 09 de novembro de 2011, Neymar, seu pai e Luís Álvaro se pronunciariam anunciando a permanência de Neymar no Santos até a Copa do Mundo de 2014.

No dia 15 de novembro de 2011, o pai de Neymar aceitou 40 milhões de euros para garantir a compra do filho pelo Barcelona.

A informação foi confirmada ontem pelo próprio pai de Neymar.

Cidadão o qual sempre negava o tal adiantamento ao ser perguntado.

A partir daí, Neymar pai sustentou por muito tempo uma grande mentira.

Até que, no dia 05 de junho de 2013, o próprio Barcelona confirmou que pagou ao pai de Neymar um adiantamento para ter o jogador.

Na ocasião, ao ser questionado sobre o fato, Neymar sênior afirmou:

- Claro que não houve adiantamento para mim. E esse dinheiro não é problema meu. É do Santos. Nem do Santos é, na verdade. Isso não veio, tem que ver com eles (Barcelona);

- Isso é mentira (o adiantamento), falei com o pessoal de lá sobre a forma como isso está sendo divulgado e eles disseram que o dinheiro foi para o André Cury (representante do Barça na América do Sul) comprar a parte da DIS;

- Não conseguiram comprar e esse dinheiro (10 milhões de euros) voltou para a operação (respondeu ao ouvir que a DIS negava sua versão).


- Tinha que ser muito idiota para acreditar nisso. É claro que não procede.

Até que ontem, enfim, surgiu a verdade.

O próprio Neymar pai confirmou ter recebido o adiantamento no dia 15 de novembro de 2011, a exatamente 1 mês e 3 dias da final do Mundial Interclubes, disputada pelo Santos (clube de Neymar há época) contra o próprio Barcelona. 

Isto é, além de Neymar ter jogado a final do Mundial Interclubes já "acertado" com o Barcelona, o pai de Neymar foi absolutamente imoral com o Santos.

Além de ter firmado o contrato com o clube rival às vésperas do mundial, não informou ao Santos do adiantamento recebido.

A diretoria do Santos foi conivente com o ato, sim, ao entregar nas mãos de Neymar pai a autorização para iniciar negociações pelo filho imediatamente, exigência de Neymar sênior para a assinatura do novo contrato com o Peixe.

No entanto, nada apagará a falta de ética de Neymar pai em negociar o filho em momento tão inoportuno.