Santos 1 x 0 XV de Piracicaba - os meninos e Oswaldo

Gabigol marca contra XV de Piracicaba
foto: Ricardo Saibun/Estadão


Os meninos da Vila mais uma vez mostraram seu valor.

Eles, claro, somados ao novo esquema tático corajoso implantado por Oswaldo de Oliveira, em que até 8 jogadores participam das jogadas de ataque, enquanto apenas 2 defendem.

Posso afirmar (e comprovar), que o Santos joga atualmente no mesmo esquema tático do Cruzeiro.

As análises mais aprofundadas seguem abaixo.

Análise Tática. Como dito no post anterior, Oswaldo de Oliveira armou o Santos em um 4-2-3-1, com Gabigol de centroavante, Thiago Ribeiro na meia esquerda, Geuvânio na meia direita, Montillo como meia armador, e Leandrinho e Arouca (mais fixo) como volantes, como podemos ver no esquema abaixo:

PS: uma análise tática mais aprofundada do time de Oswaldo de Oliveira está sendo preparada para um post especial.

Santos FC Análise Tática




















Analisando o gol. O lance do gol santista começou nos pés de Geuvânio, e voltou para seus pés, de onde saiu o passe para o gol de Gabigol. Veja na sequência de imagens abaixo:

Gol do Santos contra XV de Piracicaba

























Passe de Geuvânio para Gabigol
Vale a pena rever por outro ângulo o passe magistral de Geuvânio





Análise do goleiro. Aranha pouco trabalhou, mas quando foi acionado mostrou segurança.

Análise da zaga. Gustavo Henrique e Jubal repetiram o entrosamento da Copa São Paulo de 2013, e formaram bela dupla de zaga, apesar da pouca idade (20 anos).

Análise das laterais. Na lateral-direita, Cicinho mais uma vez mostrou extrema velocidade na frente e problemas na marcação atrás. Atuação regular. Na lateral-esquerda, Emerson não apenas cumpriu seu papel, como também chegou bastante com perigo à frente, em cruzamentos e infiltrações, destacando-se ao longo da partida.

Análise do meio. Arouca foi regular e comandou a saída de bola santista, juntamente com Leandrinho, fazendo a pelota passar do meio de campo para o ataque (transição essa que era o principal problema do Peixe no ano passado - lembram dos chutões?). Na meia esquerda, Thiago Ribeiro mostrou categoria e sua regularidade habitual, Montillo orquestrava bem as jogadas na intermediária até se machucar, e Geuvânio desencantava na meia direita, infernizando a marcação adversária, com bom posicionamento, dribles, boa visão de jogo e muita disposição.

Análise do ataque. No comando de ataque, Gabigol não decepcionou e mostrou personalidade: marcou o gol de abertura do Santos no Campeonato Paulista, o gol da vitória. É verdade que perdeu um gol com muita displicência (ao tentar encobrir o goleiro e não levantar a cabeça para encontrar Thiago Ribeiro livre), se atrapalhou algumas vezes com a bola, mas Neymar também tinha dessas em 2009, quando começou no time titular do Peixe. Gabigol vai deslanchar.

Substituições. Oswaldo de Oliveira fez as substituições por necessidade, não por estratégia de jogo, devido ao curto tempo de pré-temporada da equipe, que não permitiu deixar os jogadores no nível físico ideal. Por isso, saíram Montillo (lesionado) para a entrada de Léo Cittadini, Emerson para a entrada de Eugenio Mena (que faz reforço muscular) e Leandrinho para a entrada de Alan Santos. Nenhuma posição ou função dentro de campo foi alterada.

Chuteira de ouro. Oswaldo de Oliveira. Não teve medo de ousar, elevou a tática do time a um outro patamar, permitindo agora que joguem um futebol bonito, vistoso e ao mesmo tempo eficiente. A diretoria acertou ao contratá-lo.

Chuteira de prata. Geuvânio. Mostrou que o Santos não precisa de Vargas.

Chuteira de bronze. Gabigol. Com apenas 17 anos, o jovem precoce e habilidoso marcou o gol da vitória santista.

Troféu perna-de-pau. Montillo. Não exatamente um "perna-de-pau", mas sim um azarado. Jogava bem o primeiro tempo, quando, novamente, se lesionou, logo no começo da temporada. Vendê-lo, nesta altura do Campeonato, parece ser a melhor solução (mas devemos trazer outro meia em seu lugar).

Palavra do treinador. “É uma coisa legal (vencer usando garotos). O clube tem méritos nisso. De manhã, na Copa São Paulo já tínhamos visto uma equipe muito boa, com valores. A gente sabe que eles precisam amadurecer, mas é muito bom ver um time que treinou pouco tempo e venceu com tantos meninos em campo. Eles vão amadurecer, vão crescer, mas acho que seria melhor que tivéssemos uma equipe mais equilibrada".

Notas:

Aranha. 7
Gustavo Henrique. 6
Jubal. 5,5
Cicinho. 6
Emerson. 7
Arouca. 6
Leandrinho. 5
Geuvânio. 8
Montillo. 6
Thiago Ribeiro. 6,5
Gabigol. 7,5

Léo Cittadini. 4
Alan Santos. sem nota
Eugenio Mena. sem nota