Santos: rumo a 2 anos sem patrocinador master

Patrocinador do Santos em 2014















A diretoria santista começou o ano com o pé esquerdo.

O patrocínio pontual com a empresa "Óticas Diniz" para o clássico contra o São Paulo demonstra o desespero dos cartolas alvinegros.

Até agora, não se vê no manto santista um patrocinador master, o qual, junto com os patrocínios menores, representa a segunda maior fonte de renda de um clube de futebol.

No final de dezembro do ano passado fiz um post destacando a necessidade do Santos conseguir um patrocinador master em no máximo 28 dias, o exato número de dias faltantes para o início do Campeonato Paulista, ressaltando o quanto é importante para o patrocinador ser exposto pelo clube desde o começo do ano, antes mesmo do clube entrar na disputa de uma competição oficial (como no caso o Paulista).

62 dias depois, nada.

E pior: a cada dia que passa, menores são as chances de uma empresa querer patrocinar o clube em 2014, por conta da exposição cada vez menor (em razão dos jogos já realizados).

Esse fato é preocupante por vários motivos.

Os salários dos jogadores precisam ser pagos.

Assim como a compra de Leandro Damião e Lucas Lima, caso não rendam o esperado.

O Santos precisa continuamente de reforços, e para isso precisa do aporte do patrocinador master.

Até agora, noticia-se apenas que o único interessado em patrocinar o lado nobre do manto alvinegro é a Caixa Econômica Federal.

A qual, segundo consta, o Santos procurou para fazer uma proposta, e não o contrário.

Informação que, por si, já é preocupante.

Atualmente, o Santos recebe R$ 7,5 milhões da escola de idiomas CNA (mangas), R$ 3,5 milhões da Corr Plastik por ano - contrato de 2 anos (calção e barra da camisa) e R$ 2 milhões da CSU (números).

No total, até agora, o clube recebe R$ 13 milhões em patrocínio.

A meta no ano era atingir R$ 40 milhões de patrocínio no total.

Para isso, faltam R$ 27 milhões.

O patrocínio master, se vier, virá na casa dos R$ 20 milhões.

A meta não será batida.

Mas o clube não sairá no prejuízo.

Fernando Montanha, o gerente de marketing santista, precisa se apressar.

Ele tem muito a se preocupar nos próximos meses.

Cada jogo do Santos representa 1 dia a menos de exposição da camisa em 2014.

Repetir 2013, ano em que tinham Neymar e mesmo assim não conseguiram fechar um patrocínio master, seria de extrema incompetência.

Ainda mais com o midiático Leandro Damião e o experiente Oswaldo de Oliveira.

Acorda diretoria!