Os meninos da Vila e o segredo do Santos FC



O Santos e os meninos.

Os meninos e o Santos.

A simbiose histórica entre o Peixe e suas categorias de base, aliado ao bom trabalho de Oswaldo de Oliveira, vem rendendo bons frutos em 2014.

Disparado o melhor ataque do Campeonato Paulista (37 gols em 14 jogos), com média de quase 3 gols por jogo, é um time que joga e encanta.

Com também o melhor saldo de gols do Campeonato Paulista (22 contra 15 do Palmeiras) e a 3ª melhor defesa da competição (levou apenas 15 gols, atrás de Palmeiras, com 11 gols sofridos e, pasmem, Ituano, com apenas 10 sofridos).

O Santos caminha firme para o clássico contra o Palmeiras, neste domingo, quando deverá assumir a primeira posição geral da competição, ganhando a vantagem de jogar em casa todos os jogos do mata-mata e o segundo jogo da grande final.

O segredo?

Como sempre, os meninos da Vila.

Dos 28 jogadores utilizados por Oswaldo de Oliveira, nada menos que 11 foram campeões da Copa São Paulo de Futebol Júnior nos últimos 2 anos.

Além desses 11, o time ainda conta com Geuvânio e Gabigol, que vêm se destacando em 2014.

A juventude do time santista é a outra arma do Peixe neste Campeonato.

Do time titular considerado "ideal" por Oswaldo, 6 jogadores possuem 27 anos de idade ou mais: Aranha (33), Edu Dracena (32), Neto (28), Arouca (27), Cícero (29) e Thiago Ribeiro (28).

Na outra ponta, 5 jogadores bastante jovens completam a lista: Cicinho (25), Eugenio Mena (25), Geuvânio (21), Gabigol (17) e Leandro Damião (24).

Até agora, Oswaldo já aproveitou neste ano 14 jogadores com idade entre 17 e 21 anos.

Os zagueiros Gustavo Henrique e Jubal , os laterais Emerson Palmieri e Zé Carlos, os volantes Alan Santos, Lucas Otávio, os meias Leandrinho, Serginho e Léo Cittadini, os atacantes Gabriel Barbosa, Diego Cardoso, Stefano Yuri, Geuvânio e Victor Andrade.

O forte trabalho com a base é sustentado pelo próprio Oswaldo de Oliveira:

"Essa é a nossa intenção aqui. A cada vez que eu tiver mais oportunidades de botá-los para jogar, de "quebrar a caixa" e ter um trabalho iniciado, vou fazer. Na medida em que a gente tiver oportunidade de fazer a promoção, melhor. Temos que acompanhar a formação deles com sensibilidade, para que eles aproveitem e amadureçam".

A crítica perfeita, na mosca, vem do Conselheiro Celso Leite, ao portal Uol:

"O Oswaldo me surpreendeu favoravelmente. O Santos gastou muito tempo com um treinador de R$ 700 mil por mês, e o Oswaldo é absolutamente melhor. Para um clube revelador como o Santos, para o DNA ofensivo do clube, ele é muito mais necessário que o Muricy. Se perder, perde jogando pra frente. Ele é mais interessante, mais necessário, mais barato e mil vezes mais corajoso que o Muricy para revelar jogadores".

Por fim, para concluir, ninguém melhor que o próprio Oswaldo de Oliveira:

"Estou feliz com o meu trabalho. Acho que a minha maneira de ser e de trabalhar tem um casamento muito bom com o Santos. Gosto de futebol alegre. Todo brasileiro gosta, todos nós gostamos"