Odílio admite vender jogadores para aliviar crise


"Se aparecer proposta boa, o Santos entende que tem de vender. Se o custo benefício mostrar, venderemos. Em outras palavras: não tem jogador que seja inegociável. Se tiver uma oferta boa a gente vende o jogador, como compramos também. Se você recebe uma proposta por um jogador e ele quer ir embora, você é obrigado a vender. Por que o clube precisa? Sim..."

A frase acima é saiu da boca do presidente santista Odílio Rodrigues, há 3 dias atrás, em entrevista para o Lance!Net.

Não se trata de mera especulação.

O que mais temíamos aconteceu.

Sem patrocinador master desde janeiro de 2013, antecipando cotas de TV de 2015 (o que em futuro próximo pode "quebrar" o clube), atrasando o pagamento dos direitos de imagem de alguns jogadores durante a final do Campeonato Paulista 2014, o Santos dá sinais de péssima saúde financeira.

Mesmo com o recebimento de R$ 24 milhões pela venda do argentino Montillo a um clube chinês, soluções emergenciais e patrocínios pontuais em jogos importantes, a solução para a crise financeira do clube, segundo Odílio Rodrigues, pode estar na venda de nossos jogadores.

Na entrevista para o portal Lance!Net, o presidente santista Odílio Rodrigues revelou que o Comitê Gestor já admite vender um jogador do clube na janela de transferências do meio do ano para recuperar os cofres do clube.

De acordo com Odílio, o clube não pretende se desfazer de jovens promessas, como Gabigol e Geuvânio, mas a saída deles pode se tornar inevitável para reequilibrar as contas.

O que reforça a minha tese de que, um dia, Gabigol pode ser vendido para pagar Leandro Damião.

Os jogadores santistas visados para venda são Arouca e Eugenio Mena - que disputará a Copa do Mundo como titular pela seleção chilena -, ambos com mercado na Europa.

Vale lembrar que, até agora, o clube não gastou 1 centavo na contratação de nenhum dos 4 jogadores que aterrissaram na Vila Belmiro em 2014 (Leandro Damião, Rildo, Lucas Lima e Bruno Uvini).

Desses 4, apenas 2 foram efetivamente contratados (Damião e Lucas Lima), enquanto 2 estão emprestados e devem deixar o clube no final do ano (Rildo e Bruno Uvini).

Apesar de toda a crise financeira, ainda podemos esperar mais dificuldades com Leandro Damião e Lucas Lima.

Damião precisa "se vender" o quanto antes, pois já custa ao clube R$ 45 milhões, que terão de ser devolvidos, centavo a centavo, à Doyen Sports.

Assim como Lucas Lima, que custou aos cofres do clube R$ 5 milhões.

Lembrando que o Santos não teve no final de 2013 nem R$ 1,7 milhões para a compra de Giva (que está emprestado ao clube), que hoje, por incompetência da diretoria, custa R$ 2,3 milhões.

Com muitas decisões erradas, a diretoria santista vai afundando o clube em dívidas.

E nós, torcedores, ficamos sem reforços de qualidade.

No meio de um Campeonato Brasileiro.

À espera de um milagre...