1 ano sem Neymar

1 ano sem Neymar

Há exatamente 365 dias, Neymar se despedia do torcedor santista rumo a Barcelona.

E deixava no Santos uma terra arrasada.

O bom time não existe mais.

Fomos humilhados internacionalmente pelo Barcelona.

Os títulos sumiram.

O patrocínio master não veio.

A visibilidade com a televisão desapareceu.

Até o número de novos sócios minguou (de 4.823 novos associados em 2013 para 1.669 em 2014).

Os salários começaram a atrasar.

Parcerias obscuras foram firmadas.

O déficit do clube aumentou.

E, principalmente, não temos mais um ídolo.

Aquele que nos fazia ter orgulho de torcer pelo Santos.

Gabigol é o maior candidato a esse posto, com 13 gols em 2014, mas sabemos: ele não é Neymar.

Com muitos problemas, e ainda sem um estádio novo - o que em médio prazo poderá levar o clube ao segundo escalão do futebol brasileiro - o Santos tenta se reerguer.

Inserido em uma imensa crise política, após o afastamento por motivos de saúde e posterior renúncia do antes venerado L.A.O.R., e após a declaração de Odílio Rodrigues de que não pleiteará sua reeleição, o cenário é propício para a mudança.

Mudança esta que pode ser tanto para melhor quanto para pior, dependendo de quem assumir o clube (certamente para pior, se Marcelo Teixeira assumir).

Eleições nas quais o veterano Léo pleiteará uma vaga, estreando como dirigente.

Apesar de todos os percalços, a realidade, no entanto, nos mostra que temos um bom time, com todos os titulares em campo.

Aranha é o camisa 1 incontestável.

Edu Dracena e Gustavo Henrique são ótimos zagueiros.

Eugenio Mena, lateral-esquerdo titular da Seleção Chilena, e Cicinho, são certamente bons jogadores, que resolveram nosso eterno problema das laterais.

Alison e Arouca formam uma dupla de volantes implacável.

Cícero é certamente um jogador acima da média, apesar de não valer o quanto pensa que vale (Geuvânio segue como o dono do maior número de assistências do Santos na temporada, seu futebol se apagou, mas continua sendo uma das boas promessas santistas).

Thiago Ribeiro é experiente, brilhou na reta final do último Campeonato Brasileiro e durante o Campeonato Paulista, e era disputado por muitos clubes brasileiros à época, mas o Santos levou.

Lucas Lima se firma a cada dia como o camisa 10 santista.

Gabigol, por fim, faz jus a seu apelido, mostrando que tem faro de gol.

O que fazer com a péssima contratação de Leandro Damião são outros 500..

Sugiro vendê-lo agora, na janela europeia de transferências internacionais, antes que o mundo perceba que o grandalhão atacante perdeu seu posto de titular para um moleque de 17 anos.

Além disso, no Campeonato Brasileiro de 2013 o time terminou na 7ª posição, seu melhor desempenho desde 2007.

Por fim, o time fez uma boa campanha durante o Campeonato Paulista, do qual sagrou-se vice-campeão.

Sem o trunfo da Vila Belmiro, vencer os jogos em casa continuará sendo uma atividade hercúlea.

Mas aposto infinitamente mais neste Santos após a parada da Copa do Mundo.

Aí sim, com todos os titulares em campo, não vai ter pra ninguém... (menos para o Cruzeiro, o óbvio campeão brasileiro de 2014).

Fiquem ligados! Dia 02 de Junho estreia o "VOZ DA VILA", o podcast do blog, onde analisarei juntamente com meu parceiro Bruno Eiroz as últimas notícias do Peixe. Confira o teaser: