Princesa 1 x 2 Santos - vitória amarga

Princesa 1 x 2 Santos

Uma vitória com gosto de derrota.

Assim pode ser definido o resultado da questionável atuação do Santos contra o pequeníssimo clube amazonense Princesa do Solimões.

Como no ano passado, revimos o filme de Santos x Flamengo do Piauí, quando o alvinegro praiano abriu 2 x 0, afrouxou as pernas, e deixou o clube nordestino empatar.

Ontem, não fosse por Aranha, o resultado teria sido o mesmo do ano passado.

Analisemos o jogo.

Nos primeiros 15 minutos, um bombardeio: só deu Santos.

Tanto que os dois primeiros gols vieram logo antes dos dez minutos de jogo.

O primeiro, com Gabigol, após assistência de cabeça de Leandro Damião.

E o segundo, com Alan Santos, após a bola sobrar na meia lua da grande área do time adversário.

2 x 0, um jogo fácil, uma partida tranquila.

Pelo menos parecia.

Até que o time misto santista resolveu parar de jogar.

Isso mesmo!

Recuaram, colocaram o salto alto, e, ao melhor estilo "Muricy" de jogar, tentaram "segurar a partida" até o final.

Uma enorme bobagem, da qual o Santos pagaria um preço alto momentos depois!

Antes do segundo tempo, o time santista ainda marcou outro gol, com Gabigol, mas Leandro Damião, após entrar todo estabanado na área, derrubou o goleiro e o zagueiro adversário, e o juiz marcou falta...

E que falta faria esse terceiro gol...

No segundo tempo, o time santista definitivamente mostrava que não estava a fim de jogar.

O pequeno Princesa do Solimões se agigantou para cima do recuado Santos.

E, ataque após ataque, não lhe faltou oportunidades para abrir o placar.

Até que, em boa jogada em linha de fundo, após Emerson falhar na marcação, houve o cruzamento para a pequena área, uma puxada de bola para trás, um cabeceio não cortado pelo "morto" Jubal, e o primeiro gol do Princesa, que evitou a eliminação da equipe no jogo de ida.

O Princesa só não ampliou por conta de Aranha, que praticou defesa sensacional com a ponta dos dedos lá pelos 30 minutos do segundo tempo.

No final do jogo, uma cena resume o segundo tempo: as cãinbras dos zagueiros e laterais santistas, que correram muito atrás dos jogadores do Princesa.

Quando os zagueiros, e não os atacantes, sentem cãinbras, algo certamente está errado.

Analisando os atletas individualmente, posso destacar a atuação de Aranha, que salvou o time no segundo tempo, quando foi preciso, o bom jogo de Alan Santos, o grande destaque de Lucas Lima (só no primeiro tempo) e de Gabigol.

Os outros decepcionaram.

Principalmente Leandro Damião, que isolou para muuuito longe ao menos duas bolas cara-a-cara com o goleiro.

Contra o Princesa do Solimões, impossível aos defensores de Damião alegar "falta de oportunidades".

Sem falar que atrapalhou o gol legítimo marcado por Gabigol, com uma falta besta.

O cara é ruim mesmo, perna-de-pau, e fim de papo.

Geuvânio me decepcionou; confesso que esperava muito mais futebol dele nesta fácil partida.

Alison fez o de sempre: bateu, bateu e bateu, até levar o cartão amarelo e parar de bater.

O lateral Emerson, por sua vez, mostra grande qualidade ofensiva, mas imensa dificuldade na marcação defensiva e na cobertura dos zagueiros - como todo bom lateral brasileiro, diga-se de passagem.

Bruno Peres ontem não mostrou nem uma nem outra qualidade, só defeitos.

Jubal fez péssima partida, com muitas faltas (zagueiro bom é aquele que desarma sem fazer faltas, lembremos), erros de posicionamento na linha de zaga, e muitos, mas muitos chutões!

Bruno Uvini foi um pouco melhor, mas nada espetacular que lhe credencie a ser titular neste time, muito menos que justifique seu salário de R$ 100 mil mensais na Vila Belmiro até o fim do ano (lembremos que hoje Bruno Uvini é o 5º reserva, atrás de Edu Dracena, Gustavo Henrique, David Braz e Jubal...).

E onde estava Oswaldo de Oliveira quando o time precisava ser motivado para desempenhar um bom segundo tempo?

Indignado com a falta de vontade de vencer dos jogadores de futebol do meu clube, termino este post...

Agora que o clube arque com os custos de uma Vila Belmiro vazia e deficitária no jogo da volta.

Podem apostar.