Victor Ferraz: jogando dinheiro fora

Victor Ferraz: jogando dinheiro fora

Com a saída do mediano lateral-direito Bruno Peres, abriu-se uma vaga na lateral-direita.

Para preenchê-la, a diretoria santista agiu rápido.

E contratou Victor Ferraz, o jovem lateral-direito do Coritiba, que firmou vínculo com o Santos até dezembro de 2015.

Com 26 anos de idade, o lateral coritibano contabiliza passagens por Iraty, São José/RS, Águia de Marabá, Atlético/GO, Vila Nova e Bragantino antes de se transferir ao clube paranaense.

Os valores do negócio não foram informados pela grande imprensa, mas especula-se que o clube da Vila Belmiro já tenha utilizado parte dos pouco mais de R$ 6 milhões recebidos com as vendas de Cícero e Bruno Peres.

Mas, afinal, quem é Victor Ferraz?

Contratado pelo Coritiba em agosto de 2012, firmou-se como titular da lateral direita coritibana desde então.

Baixinho (1,74m), veloz e com características mais ofensivas que defensivas, Victor Ferraz lembra o estilo de jogo de um outro jogador santista, atualmente emprestado para o Bahia, Rafael Galhardo.

Mas me chamaram a atenção alguns fatos preocupantes.

O primeiro: não houve disputa pelo jogador.

Isto é, mesmo com vários clubes brasileiros sofrendo problemas crônicos nas laterais, aparentemente ninguém (além do Sport) procurou o Coritiba para contratar Victor Ferraz.

Temos, então, o primeiro alerta de que o jogador pode não ser tão bom quanto o esperado.

Outro alerta vem dos comentários de torcedores do Coritiba na página do Globoesporte onde se anuncia a assinatura de contrato de Victor com o Santos.

Na seção de comentários, os torcedores do Coxa não parecem sentir saudades do lateral-direito:

Victor Ferraz é contratado pelo Santos
















Pois é...

Mas como essa raiva toda poderia ser em razão da saída do jogador, resolvi buscar fatos.

E voltei meu olhar para as partidas de Victor Ferraz disputadas neste Campeonato Brasileiro.

Das 9 primeiras rodadas do Brasileiro, Victor disputou apenas 5, pois, por conta de más-atuações no começo da competição, alternou partidas como titular e reserva, dando lugar ao lateral-direito Moacir.

Ou seja, o jogador não foi afastado pela diretoria do Coxa após 5 partidas como titular absoluto (como disse a imprensa), mas sim por alternar jogos como titular e outros como reserva, fato que o impossibilitou de completar os 7 jogos do Campeonato, que o tornariam inapto para disputar a competição por outra equipe.

Outra informação importante: nas 5 partidas que o Coritiba disputou com Victor Ferraz em campo, o Coritiba não venceu nenhuma.

Pior: das cinco, perdeu duas (3 x 2 para o Cruzeiro e 2 x 0 para o Atlético/PR) e empatou três (1 x 1 contra o Internacional, 0 x 0 com a Chapecoense e 0 x 0 contra o próprio Santos).

Em 4 dessas 5 partidas, Victor Ferraz teve uma atuação pífia, conforme podemos ver nas análises de jogos realizadas pelo Globoesporte.com, cujos links indico abaixo, logo após os comentários de suas atuações.

No empate contra o Santos, no empate contra a Chapecoense e na derrota para o Atlético Paranaense, Victor Ferraz recebeu a mesma nota dos especialistas do Globoesporte: 5,5.

Suas atuações nestes 3 jogos são comentados da seguinte forma:

"Tímido na primeira etapa, apareceu melhor na reta final, mas sem muito brilho" (contra o Santos)

"Teve chance em que o goleiro bateu roupa em cruzamento de Robinho, mas não teve tranquilidade na hora da finalização e mandou para fora" (contra a Chapecoense)

"Teve trabalho na marcação de Natanael, mas também se arriscou na frente. Perdeu uma boa oportunidade no fim do primeiro tempo ao se enrolar com a bola dentro da área na hora da finalização" (contra o Atlético/PR)

Na derrota para o Cruzeiro, a atuação de Victor Ferraz foi ainda pior: foi avaliado pela torcida como o segundo pior em campo (atrás apenas de Zé Eduardo, o Zé Love), recebendo da torcida nota 4,2.

No entanto, há 1 único jogo em que Victor Ferraz foi bem, e sagrou-se o destaque da partida.

Aconteceu no dia 21 de Maio, quando o Coritiba empatou em casa por 1 x 1 contra o Internacional, quando o hoje lateral santista foi eleito o melhor em campo, após atuação primorosa.

O comentário de sua atuação naquele dia foi o seguinte:

"Excelente jogada pela direita que quase resultou em gol de Zé Eduardo. Deu belo chute rasteiro que levou perigo para Dida. Muito atuante no setor ofensivo".

Sua nota? 7,5.

Mas uma ilha de sucesso em meio a um mar de fracassos não o torna um bom jogador (infelizmente).

No Santos, como reserva, poderá ser útil, caso aprimore sua técnica treinando com Cicinho (apesar do jovem da base Daniel Guedes me parecer melhor opção).

Se não melhorar, principalmente na parte defensiva, se tornará mais uma aposta equivocada da diretoria santista.

Por suas características ofensivas, pode dar certo na Vila Belmiro, ainda mais iniciando como reserva.

Mas, por tudo que foi apresentado e analisado, me parece que o Santos mais uma vez jogou dinheiro fora...