Costa Rica vive a mágica da Vila Belmiro

Costa Rica na Vila Belmiro

A Costa Rica não chegou pela primeira vez às quartas-de-final de uma Copa do Mundo por acaso.

Treinar na mágica Vila Belmiro, palco dos shows de Pelé, Robinho e Neymar, influenciou, e muito, o desempenho da seleção da América Central.

A seleção chegou à Copa totalmente desacreditada.

Afinal, deu o maior azar: caiu justamente no mais temido grupo da morte, com Itália, Inglaterra e Uruguai.

A missão não seria nada fácil.

Mas, contra todas as expectativas, a Costa Rica venceu o Uruguai por 3 x 1, bateu a Itália por 1 x 0 e empatou (jogando melhor) por 0 x 0 com a Inglaterra, passando à segunda fase de forma invicta e na primeira colocação do grupo.

Nas oitavas-de-final, um adversário chatíssimo se postava no seu caminho: a Grécia.

Os costa-riquenhos sofreram, mas venceram a seleção dos antigos espartanos nos pênaltis, após um 0 x 0 no tempo normal e na prorrogação.

A Vila Belmiro transformou o goleiro Keylor Navas em Gylmar dos Santos Neves.

O meia Bryan Ruiz em Diego.

E o atacante Joel Campbell em Juary.

O técnico da Costa Rica, o colombiano Jorge Luis Pinto, se emocionou com a belíssima homenagem do Santos à sua seleção:

"Estamos a aprendendo a ganhar como o Santos. Vi muitas conquistas do Santos. Será difícil esquecer esse momento. Sempre recordarei desse estádio, da grama, do vestiário onde nos trocamos. A Vila Belmiro será o escritório da minha casa. O campo de Pelé, não esquecerei jamais".

"Temos estado bem aqui, trabalhando muito bem, nos sentindo como em casa, emocionados, estimulados pelo estádio e tudo o que representa o Santos. Os jogadores têm sentindo, transmitido a alegria de estar treinando na Vila Belmiro. Graças também a todos nas ruas, casas, o carinho, para fazer de Santos uma cidade que lembraremos para sempre".

Hoje, as 17h, a Costa Rica encara mais uma pedreira em sua vida: a poderosa Holanda.

Mas nada é impossível para uma seleção que venceu Itália e Uruguai e eliminou a Inglaterra da Copa do Mundo.

A surpresa da Copa aspirou na Vila Belmiro a essência do bom futebol.

Bom futebol que levaria um clube do litoral paulista a conquistar o mundo duas vezes com Pelé e companhia.

Agora, a Costa Rica, um país pequeno e litorâneo, também pretende conquistar o mundo.

Afinal, se para o Santos nada é impossível...

Para a Costa Rica menos ainda...