Eugenio Mena renova com o Santos até 2017

Eugenio Mena renova com Santos até 2017

Enfim, uma boa notícia para o torcedor santista! (com um porém)

Eugenio Mena renovou com o Santos até 2017.

O lateral esquerdo, titular no Santos e na Seleção Chilena, tem 25 anos e vem apresentando um bom futebol, tanto no Peixe quanto no Chile (mais lá do que aqui, é bem verdade).

No ano passado, após o clube viver problemas crônicos nas laterais ao longo dos anos, a diretoria alvinegra acertou a contratação de Cicinho, para a lateral-direita, e Eugenio Mena, para a lateral-esquerda, resolvendo definitivamente o problema.

Cicinho foi contratado por R$ 10 milhões.

Eugenio Mena por menos: cerca de R$ 7,5 milhões (3,5 milhões de dólares).

Apesar da boa notícia, a diretoria alvinegra, aproveitando-se da onda de valorização causada pela Copa do Mundo, pretende vender Eugenio Mena.

Para um clube europeu, para um chinês, do Qatar, não importa.

Mas por que se desfazer de um bom jogador?

Para fazer caixa.

Para contratar?

Não.

O dinheiro de Mena deverá ser usado para pagar os salários dos atuais jogadores do elenco, cujos direitos de imagem (que correspondem geralmente à maior parte dos salários dos atletas) o clube vem atrasando há algum tempo, inclusive não pagando (até hoje) os valores dos meses de abril e maio.

Com muitas dívidas a pagar, e utilizando-se do dinheiro das vendas de 2014 (Montillo, Cícero e Bruno Peres) para pagar os salários do atual elenco, falta dinheiro ao Santos Futebol Clube.

Com isso, estabeleceu-se na Vila Belmiro o rol dos jogadores negociáveis: Cícero, Neto, Eugenio Mena, Arouca e Thiago Ribeiro.

Destes, o único de cuja venda sou radicalmente contra é a de Arouca.

Por razões óbvias: total identificação com a cidade e com a torcida, por ser o melhor jogador tecnicamente hoje nesta equipe, por ser o motorzinho do time, por ter altíssimo custo-benefício, por não querer deixar a Vila Belmiro, e por ser insubstituível no coração do santista.

Eugenio Mena, por outro lado, seria sim uma grande perda, mas não insubstituível.

Afinal, nas últimas rodadas antes da paralisação do Campeonato Brasileiro, quando Mena já estava com a Seleção Chilena, todos vimos a incrível ascensão do futebol de um garoto de 20 anos chamado Zé Carlos.

O jovem lateral-esquerdo da base santista foi um dos destaques santistas antes da paralisação, demonstrando muita personalidade, boa técnica e grande capacidade ofensiva.

A estrela de Zé Carlos brilhou tanto que ele acabou se tornando o reserva imediato de Mena, deixando para trás o lateral Emerson Palmieri, também de 20 anos, e presença constante nas Seleções Brasileiras de base.

Saindo Mena, acredito que Zé Carlos e Emerson Palmieri assumiriam a lateral-esquerda sem muitas dificuldades, ganhando reais oportunidades como titulares, apesar da pouca idade.

Afinal, quando a coisa fica preta, são os meninos das base que salvam.

Sempre eles...

Sempre a base...