Santos 3 x 0 Chapecoense - voltando a jogar bem

Santos 3 x 0 Chapecoense - voltando a jogar bem

O Santos venceu a Chapecoense na Vila Belmiro e pulou momentaneamente para a 2ª posição do Campeonato Brasileiro (pouco depois tomada pelo Internacional).

Dependendo dos resultados de Corinthians, Sport, Grêmio e São Paulo, o Santos ainda pode terminar a rodada dentro do G-4, algo que não acontece há 4 anos (!).

Da partida de ontem, um aspecto foi o que mais me agradou: o time voltou a jogar bem.

Os chutões para frente começaram a ser evitados, a saída de bola de zagueiros para laterais e voltantes começaram a ser vistas, e a volta de Thiago Ribeiro trouxe uma incontestável melhora ao ataque santista.

A prova de que o time jogou bem são os gols santistas, principalmente o segundo e o terceiro, originados a partir de jogadas trabalhadas com bola no chão.

Balizado o fato de que o Peixe jogou contra um time fraco (Chapecoense - que venceu o São Paulo em pleno Morumbi, diga-se de passagem), podemos sim ficar otimistas com o novo comportamento da equipe.

Infelizmente, como é de praxe no Santos, o time costuma atuar muito mal fora de casa, como vimos na derrota para o Fluminense, jogo no qual cheguei até a criticar o nível técnico do futebol brasileiro.

Por outro lado, na bela vitória sobre a Chapecoense, o trabalho coletivo alvinegro funcionou.

Com grande destaque para Gabriel, o melhor jogador da partida, com um gol, uma assistência e a armação da jogada do terceiro gol.

O primeiro gol partiu de um escanteio cobrado por Lucas Lima, que originaria um bate-rebate na grande área da Chapecoense, calhando em uma corajosa cabeçada de Alison para o miolo da área, quando o esperto Gabriel se adiantou e levantou a bola com precisão para os pés de Rildo: Santos 1 x 0.

O segundo gol começou nos pés de Bruno Uvini, que, percebendo a zaga da equipe catarinense adiantada, desferiu um lançamento sensacional para a ponta direita do ataque santista, encontrando Thiago Ribeiro, o qual por sua vez cruzaria rasteiro para o gol do oportunista Gabriel: Santos 2 x 0.

O terceiro gol surge novamente dos pés de Gabriel, que viu a passagem veloz de Thiago Ribeiro pela ponta direita, que novamente cruzaria rasteiro para o gol do também oportunista Diego Cardoso, o menino de 20 anos da base santista que marcou gols em todos os amistosos santistas disputados neste período de Copa do Mundo: Santos 3 x 0.

Pela simples análise dos gols, podemos ver como Gabriel é essencial para esta equipe, assim como um dia Neymar foi.

Infelizmente, no dia 4 de agosto Gabriel se apresentará na Seleção Brasileira sub-20 para a disputa do Torneio de Cotif, em Valência, na Espanha, e com isso não jogará o clássico contra o Corinthians, no dia 10 de agosto (na Vila Belmiro), nem a partida contra Cruzeiro, em 17 de agosto (no Mineirão), e Atlético Paranaense, no dia 20 (na Vila).

Pelo menos Gabriel ainda estará em campo contra o Internacional, na Vila Belmiro, no dia 03 de agosto.

Saindo Gabriel, quem entra?

Leandro Damião...

Esperemos um verdadeiro milagre de Damião contra Corinthians, Cruzeiro e Atlético Paranaense...

Mas voltando ao jogo de ontem, vamos encerrar o post com as análises e notas das atuações individuais.

Aranha - 8,5. O goleiro completou 100 jogos com a camisa do Peixe e a cada jogo escreve mais uma importante página na história santista. Ontem fez ao menos 4 grandes defesas que garantiram a vitória santista e o time como a 2ª melhor defesa do Campeonato Brasileiro.

Eugenio Mena - 6. Bastante participativo, bem defensivamente, mas errando muito. Sua parceria com Rildo não funcionou (muito por conta da deficiência técnica deste). Não estava em seus melhores dias.

Bruno Uvini - 7. Deu lançamento excepcional para Thiago Ribeiro no segundo gol santista, e teve uma atuação segura. Vem crescendo de produção com a camisa alvinegra.

David Braz - 6,5. Alguns sustos, como sempre, mas vem melhorando seu futebol com o passar do tempo. Como sempre falo, David Braz compensa sua falta de técnica com muita raça, e ontem foi bem, apesar de quase ter entregado um gol para a Chapecoense no final do jogo.

Cicinho - 6. Bem no primeiro tempo, com boas tabelas com Thiago Ribeiro, e apagado no segundo tempo.

Arouca - 7. Uma partida séria, segura e tranquila, como sempre.

Alison - 6,5. Um pouco abaixo de Arouca, é o destruidor que sabe jogar com a bola nos pés.

Rildo - 5. Tudo bem, Rildo fez o primeiro gol. E só... porque jogou muito mal. Muito mal mesmo! Rildo é daqueles jogadores que corre demais e pensa de menos. Errou quase todos os dribles que tentou, errou muitos passes, atrapalhou a parceria com o lateral Eugenio Mena, e mostrou baixa qualidade técnica (assim como já havia mostrado no jogo contra o Fluminense). Seu único ponto positivo é o fato de sofrer muitas faltas, e com isso provocar boas jogadas para o Santos e cartões para os rivais. Só...

Thiago Ribeiro - 8. Destaque na seção "pode surpreender" do aquecimento para o jogo, Thiago Ribeiro mostrou-se muito participativo no primeiro tempo, tentando boas jogadas pela direita com a companhia de Cicinho. No segundo tempo, deu duas assistências para os gols de Gabriel e Diego Cardoso. Uma bela atuação que fez a torcida santista esquecer de vez de Geuvânio.

Gabriel - 9. O centroavante santista de apenas 17 anos (sim ele tem 17 anos!) barbarizou tudo ontem. Deu a assistência para Rildo, marcou o segundo gol e serviu Thiago Ribeiro na origem do terceiro gol alvinegro. Mostra-se cada vez mais titular e absolutamente essencial para esta equipe, aumentando o tamanho do ponto de interrogação sobre o que fazer com Leandro Damião?

Agora, o Santos volta a campo na próxima quinta-feira, as 21h, contra o Londrina, no estádio do Café, pela Copa do Brasil, partida na qual Oswaldo de Oliveira já adiantou que utilizará reservas, para não aumentar o desgaste dos jogadores com uma viagem para o Paraná.

Curtiu a análise?

Comente!