A solução para Leandro Damião

A solução para Leandro Damião
É Damião, chegou a hora de você pegar o bonde para longe da Vila Belmiro




















Enfim, meus amigos, trago a vocês uma ideia do que fazer com Leandro Damião.

Como sabem, o centroavante foi comprado junto ao Internacional por R$ 42 milhões, a serem inteiramente pagos pela empresa Doyen Sports, que emprestou esse dinheiro ao Santos, a juros de 10% ao ano, devendo o Peixe devolver todo o valor investido no jogador mais os juros de cada ano.

Com isso, a cada ano, em média, o valor que o Santos precisa pagar por Damião aumenta R$ 4 milhões, podendo chegar a uma exorbitante quantia superior a R$ 60 milhões ao final dos 5 anos de contrato com o atleta, em 2018.

O diretoria atual arriscou demais a instituição Santos Futebol Clube.

Porque um clube sem dinheiro para contratar, que atrasa salários de seus jogadores na fase final do Campeonato Paulista, que não tem R$ 2 milhões para investir em uma jovem promessa da base (Giva), que antecipa suas cotas de televisão de 2015 (algo que a atual diretoria prometeu nunca fazer), jamais poderia ter se comprometido a pagar R$ 42 milhões que não possui, correndo o sério risco de, se não pagar, ter bens penhorados (inclusive a Vila Belmiro).

Com péssimo futebol e 5 anos de contrato com o Peixe, recebendo na Vila Belmiro R$ 500 mil reais mensais, o camisa 9 é uma bomba-relógio, prestes a explodir na próxima gestão.

Um negócio arriscadíssimo, irresponsável, insensato, insano...

Mas, faltando 10 dias para o fechamento da janela internacional de transferências, encontramos uma saída.

Sim, sim!

Há uma solução para o gigante problema chamado Leandro Damião.

Qual?

Repassá-lo inteiramente a um clube europeu, que ficaria obrigado a arcar com todos os custos de sua contratação junto à empresa Doyen Sports.

Em outras palavras: o clube europeu que o contratar ficaria inteiramente responsável pelo pagamento dos R$ 42 milhões que o Santos deve hoje à empresa Doyen Sports, nos mesmos moldes da negociação com o Internacional, isto é, o valor poderia ser pago até o final do contrato de Damião com o clube, em 5 anos.

Como tecnicamente parece Damião não ter solução, o jeito é repassar o jogador (e consequentemente a dívida que ele traz junto) para outro clube!

A bomba vai explodir alguma hora, não há como pará-la, então precisamos passá-la adiante.

É simples: a batata está fervendo na mão do Santos, e está na hora da atual diretoria chacoalhar os braços e passar a batata para outro clube.

Para que exploda ou pegue fogo bem longe da Vila Belmiro.

Essa, meus amigos alvinegros, é a única saída que vejo para o meu querido Santos Futebol Clube.

Pois a manutenção de Leandro Damião no clube já começa a provocar efeitos terríveis.

Por exemplo, o cenário caótico de que o atacante Gabriel poderia ser vendido para pagar a contratação de Damião (já comentado aqui no blog em fevereiro deste ano), já começa a aparecer, com notícias no site Globoesporte informando que a diretoria santista já estipulou um preço de venda de Gabriel, em valor estranhamente próximo ao que o clube necessita para pagar Damião (13 milhões de euros, ou R$ 39,2 milhões).

Sem falar do péssimo custo-benefício de pagar um salário de R$ 500 mil para um jogador medíocre.

Sem falar que Damião tira a oportunidade de Gabriel brilhar como centroavante, desvalorizando-o.

Sem falar de possíveis novas antecipações de cotas emergenciais.

Sem falar que o clube pode quebrar financeiramente por não conseguir pagar essa dívida...

Por isso, meus amigos, o blog buscou e encontrou uma solução para Leandro Damião.

Repassá-lo junto com a dívida contraída com a Doyen Sports.

Qual clube aceitaria comprá-lo nessas condições?

Bem, se até o Barcelona contratou o péssimo Douglas, do São Paulo, não há motivos para desacreditar no surgimento de algum clube "louco" para contratar nosso atual centroavante.

Milagres acontecem.