Neílton e Victor Andrade: rejeitados e esquecidos

Neílton e Victor Andrade: esquecidos


É a maldição da Vila Belmiro.

No Santos, todo menino da base que não entrar em acordo com a diretoria sofrerá na carreira.

Será ignorado, desprezado, rejeitado e, por fim, esquecido pelo mundo do futebol.

Pelo menos é isso que tem acontecido recentemente com as promessas que saíram brigadas do Santos.

Essa sina começou em 2008, com o atacante Alemão, uma grande promessa da base que saiu brigado com a diretoria.

Resultado: ele foi dispensado recentemente pela Ponte Preta, onde se arrepende até hoje de ter saído do Santos naquela época, e acaba de ser contratado pela Portuguesa, na série B.

Em 2011, o caso de repetiu com o atleta Jean Carlos Chera, antes uma estrela da base maior que Neymar, agora um jogador do CS Universitatea Craiova, um clube perdido da Romênia.

Com apenas 19 anos de idade, Chera já é um dos atletas mais rodados do futebol brasileiro, com passagens fracassadas por Genoa (Itália), Flamengo, Atlético/PR, Cruzeiro, Oeste de Itápolis e agora CS Universitatea Craiova (sem contar o Santos e o Sinop/MT, seus primeiros clubes).

Mais detalhes sobre o caso Jean Carlos Chera basta acessar este link (sobre a saída conturbada do Santos) e este aqui (sobre o desemprego...).

Em 2013, infelizmente, o atacante Neílton, de 20 anos, que brilhava no time principal na ocasião, optou pelo mesmo caminho.

Resultado: titular absoluto no Santos, Neílton ainda não estreou oficialmente com a camisa do Cruzeiro, não é nem relacionado para as partidas, e não disputa um jogo oficial há inacreditáveis 10 meses.

Em 2014, o atacante Victor Andrade (18 anos) também sofreu com a crise de estrelismo, e saiu brigado do clube para o Benfica, de Portugal.

Resultado: mal chegou e acaba de ser dispensado.

Giva será o próximo.

Mas dessa vez não há briga nenhuma: o Santos não quer comprar seu passe, hoje avaliado em R$ 2,3 milhões.

O atacante, que fez dupla de ataque com Neílton no ano passado (inclusive jogando muito bem), perdeu espaço com Oswaldo de Oliveira, e disputou apenas 4 partidas oficiais em 2014.

Bom, melhor pagar R$ 2,3 milhões em Giva que R$ 42 milhões em Damião.

Mas agora a diretoria já fez a bobagem, que pode mudar o futuro do Santos Futebol Clube.

E fiquem de olho no caso Gabigol, pois o garoto de 17 anos ainda não renovou com o Peixe (seu contrato vence em setembro de 2015 e seu empresário... é Wagner Ribeiro, o terror dos dirigentes).

De tudo, uma coisa é certa: se você é um menino da base do Santos, e é bom de bola, não saia brigado com o clube.

Afinal, quem realmente perde são os dois...