Ronaldinho Gaúcho não virá para o Santos

Ronaldinho Gaúcho não vem para o Santos

Ronaldinho Gaúcho é um ícone do futebol mundial.

Duas vezes eleito o melhor jogador do mundo, em 2004 e 2005, quando atuava pelo Barcelona, o menino que saiu do Grêmio se tornou homem, e envelheceu.

Hoje com 34 anos, Ronaldinho não quer mais saber de futebol.

Com a vida ganha, o atleta não é mais aquele craque veloz e driblador dos tempos de Barça.

Voltou ao Brasil e pouco fez no Flamengo.

No Atlético Mineiro, deu a volta por cima e se tornou o maior ídolo da história do clube, conquistando a inédita Libertadores de 2013.

Seu salário? Astronômicos R$ 1,1 milhão por mês.

Após o péssimo desempenho no Mundial de Clubes, Ronaldinho perdeu a vontade de jogar.

E, após sucessivos atrasos e faltas nos treinamentos, descompromissos com o clube, e falta de respeito com o torcedor atleticano, rescindiu seu contrato em comum acordo com o Atlético Mineiro.


Ronaldinho Gaúcho não vem para o SantosRonaldinho não é mais "aquele" de antes.

Está milionário.

E cada vez mais cansado da rotina do futebol sério, como bem destacou o jornalista Cosme Rímoli.

Não parece mais tão a fim de jogar futebol profissional.

Mas aí segue Ronaldinho Gaúcho se apresentando ao mercado.

Com tantos clubes carentes de bons jogadores, não é pra menos.

Se valeria a pena trazer o craque para o Peixe?

Sim e não.

Sim, desde que cumpridas algumas condições, como: um salário de R$ 300 mil mensais e um contrato por produtividade apenas até o final do ano.

Aí sim haveria negócio.

Até porque Ronaldinho aos 34 anos com uma só perna joga mais do que o time inteiro do Santos (com exceção de Robinho).

Mas fora desses parâmetros qualquer negociação tornaria-se inviável.

Mesmo que o promissor Lucas Lima ainda não consiga segurar a bronca no meio de campo.

Para sepultar de vez o assunto, ontem à noite o presidente santista Odílio Rodrigues veio a público desmentir a negociação por Ronaldinho Gaúcho, afirmando que "não pretendemos contratar mais ninguém".

Se, por um lado, a vinda de Ronaldinho Gaúcho (cumpridos os requisitos acima citados) poderia trazer um ânimo a mais para o torcedor santista, poderia, por outro, rachar o elenco, agora liderado pelo alegre e compromissado Robinho.

Para não correr riscos, e evitar o pagamento de mais um salário astronômico (Robinho e Damião recebem R$ 400 mil mensais no Peixe cada), a diretoria santista optou corretamente - na minha opinião - por não contratá-lo.

A triste verdade, meus caros, é que Ronaldinho, assim como Adriano ex-imperador, não está mais a fim de jogar futebol profissional.

Em fim de carreira, com a vida ganha, sua prioridade não é mais jogar bola, mas sim se divertir.

Uma pena para o futebol.

Uma pena para o Santos.

(Outra grande verdade é que o Santos "perdeu o bonde" quando Ronaldinho deixou o Flamengo, em maio de 2012 - aquela sim era uma boa oportunidade para ver o craque atuando em alto nível ao lado de Neymar. Mas águas passadas não movem moinhos...).

ATUALIZAÇÃO: Apesar do post de hoje ter afirmado categoricamente que Ronaldinho Gaúcho não virá para o Santos, conforme ontem esclareceu o presidente Odílio Rodrigues, o portal "Globoesporte.com" segue noticiando com firmeza que o clube ainda negocia a vinda do camisa 10.

Vamos aguardar.

ATUALIZAÇÃO 2: A contratação de Ronaldinho divide os membros do Comitê Gestor. 

Os que são favoráveis sustentam a qualidade técnica, experiência e entrosamento de Ronaldinho e Robinho em campo, apostando também na maior visibilidade do Santos na mídia e consequentemente na facilidade em encontrar um patrocinador-master. 

Os contrários à contratação do craque temem que Ronaldinho possa exagerar nas noitadas e com isso influenciar os atletas mais jovens, ressaltando também que seu alto salário (algo em torno de R$ 500 mil mensais) fariam o clube estourar a folha salarial e terminar o ano no vermelho.