A injusta demissão de Oswaldo de Oliveira

Santos demite Oswaldo de Oliveira















A demissão do técnico Oswaldo de Oliveira vem na pior hora possível para o Santos.

Exatamente no meio do Campeonato Brasileiro (19ª rodada), a prematura dispensa do técnico santista demonstra apenas o amadorismo de nossos dirigentes e a falta de um planejamento sério.

Claro que a 11ª posição na tabela incomoda.

Claro que os míseros 42,6% de aproveitamento no Brasileiro incomodam.

Claro que o fato do time ter vencido apenas 2 dos 9 jogos disputados fora de casa no Brasileiro abalam o torcedor.

Mas não era o momento certo para demitir o técnico Oswaldo de Oliveira.

Que, contra todos os prognósticos, conseguiu uma vitória fantástica por 2 x 0 contra o Grêmio e praticamente selou a classificação do Santos para a próxima fase da Copa do Brasil.

Que armou bem o time que goleou o Corinthians na Vila Belmiro por 5 x 1 no início do ano.

Que garantiu ao Santos a melhor campanha na primeira fase do Campeonato Paulista e o melhor ataque da competição, com 47 gols em 18 jogos (apesar da perda do título para o Ituano - lembrando que nossos maiores rivais também foram eliminados por clubes pequenos e sequer chegaram à final).

Que garantiu até agora ao Peixe o posto de 3ª melhor defesa do Campeonato Brasileiro.

Que soube trabalhar com os meninos da base, firmando-os aos poucos no time titular ou reserva, como Zé Carlos, Alison, Gabriel e Geuvânio (no primeiro semestre), sem desvalorizá-los alardeando supostos "defeitos de fábrica".

Que não sai na imprensa pressionando a atual diretoria pedindo reforços, quando toda a torcida sabe que o clube precisa contratar melhores jogadores.

Além disso, devemos considerar o fato de que o Santos perdeu no Campeonato Brasileiro somente para clubes tecnicamente superiores a ele, como Cruzeiro, Internacional, Fluminense, São Paulo, Corinthians e Atlético Mineiro (Botafogo é exceção).

E sejamos sinceros.

Vocês acham, honestamente, que um time com David Braz, Thiago Ribeiro e Leandro Damião merece uma vaga na Libertadores?

O que faríamos naquela competição com o atual time? Passar vergonha?

Oswaldo fez um verdadeiro milagre de melhorar o futebol do péssimo zagueiro David Braz.

Além de dar ampla oportunidade para o menino Gabriel, de apenas 17 anos, brilhar como centroavante (qual outro técnico lhe daria essa oportunidade, tirando Damião do time titular?).

Ainda com Oswaldo, o goleiro Aranha e o volante Arouca tornaram-se intocáveis, ambos jogadores que sofreram oscilações técnicas em 2013.

Com a demissão de Oswaldo de Oliveira, o Santos faz, na minha opinião, uma grande bobagem, prejudicando o clube.

Afinal, qual técnico no mercado é hoje superior a Oswaldo de Oliveira?

O desconhecido Enderson Moreira, que fracassou no Grêmio, único clube grande onde foi treinador? (onde ficou 6 meses, não conquistou nenhum título, e sofreu uma das maiores goleadas do clube gaúcho em Gre-Nais, levando 4 x 1 na final do Campeonato Gaúcho de 2014).

Enderson Moreira que, quando treinava o Goiás em 2013, precisando apenas de uma vitória para garantir a classificação para a Libertadores, perdeu em casa por 3 x 0 para o Santos de Claudinei Oliveira, na última rodada.

Demitir técnico no meio de uma competição é algo extremamente amador, não-condizente com a grandeza do Santos Futebol Clube.

Não é à toa que os 5 primeiros colocados do Brasileiro não trocaram de técnico.

Enquanto Vitória (20º), Bahia (19º), Coritiba (18º), Criciúma (17º), Palmeiras (16º), Chapecoense (15º), Figueirense (14º) e agora o Santos (11º) trocaram de treinador, sem nenhum impacto na tabela (com exceção do Flamengo de Luxemburgo, que teve a coragem de reconhecer a deficiência técnica de seus jogadores e fazê-los jogar como um time pequeno, ganhando pontos).

Que os deuses do futebol ajudem o Santos...