Aquecimento: Santos x Coritiba



Hoje, as 21h, na Vila Belmiro, o Santos pega o Coritiba buscando os 3 pontos para subir na tabela.

O horário do jogo pode ser ótimo para a televisão, mas é péssimo para o torcedor santista, que as nove horas da noite de um sábado fica impossibilitado de assistir seu próprio time jogar.

Além do horário ser péssimo, a partida não será transmitida pelo SPORTV, tirando de mais santistas a oportunidade de ver, pela televisão, seu time jogar.

Em campo, Enderson Moreira voltará a atuar no 4-3-3, formação que o técnico não considera "a ideal", mas é o que tem para o momento (na cabeça dele).

Sem os lesionados Thiago Ribeiro, Eugenio Mena (que voltou da Seleção Chilena machucado), Renato, Vinicius Simon e Gustavo Henrique, mas com a volta dos selecionáveis Robinho e Alison, o Santos deve iniciar a partida contra o Coxa com a seguinte formação:

Santos x Coritiba


Acredito haver, para o momento, apenas uma dúvida na cabeça do técnico santista: se Souza sairá da equipe para a entrada do volante Alison.

O zagueiro Edu Dracena e o volante Arouca, com dores e desgastados do último jogo, não treinaram ontem (fizeram apenas um trabalho regenerativo na academia), mas devem iniciar o jogo.

Edu Dracena, Alison, Lucas Lima precisam tomar cuidado pois estão pendurados: mais um cartão amarelo e não enfrentarão o Grêmio, nosso próximo adversário da quinta-feira, as 20:30, na Arena Grêmio - os reservas Jubal e Alan Santos também estão pendurados com 2 cartões amarelos.

Hoje com 26 pontos, se vencer o Santos poderá subir uma posição, para 9º lugar, ou se manter em 10º, dependendo do resultado do Goiás, que pega o Atlético Mineiro em casa.

Se empatar ou perder, o Peixe poderá ser ultrapassado por Figueirense, Atlético Paranaense e Flamengo, terminando a rodada, no máximo, em 13º lugar, bem próximo à zona do rebaixamento.

A 6 pontos da zona de rebaixamento e a 8 pontos da zona de classificação para a Libertadores, o Santos encontra-se hoje no "limbo" do Campeonato Brasileiro.

E, pelo que tenho visto, deve continuar no meio da tabela até o fim do campeonato, sem brigar por Libertadores nem para não cair.

Afinal, quem não consegue vencer nenhum clube melhor colocado fora de casa não merece mesmo ir para a Libertadores, muito menos disputar título.

Mas ainda há uma esperança, chamada Copa do Brasil, onde o Santos está nas quartas-de-final e com grandes chances de passar pelo Botafogo e ir à semi-final, jogos estes que serão os grandes desafios de Enderson Moreira no clube.

Não julgo ainda o trabalho de Enderson Moreira, pois em apenas 2 jogos e com pouco tempo para treinar não é possível avaliar suas mudanças na equipe.

Algumas mudanças certamente merecem destaque, tais como:

1) Colocar o time jogando com 3 volantes fora de casa e mantendo os 3 atacantes quando atuar em casa;

2) Coragem do técnico de ir para o "tudo ou nada" quando o jogo contra o Sport já estava perdido;

3) A insistência eterna com Leandro Damião como camisa 9;

4) A utilização de Gabriel na meia direita, posição onde não rende nada;

5) A opção por Souza ao invés de Alan Santos;

6) A aplicação de treinamentos táticos no dia da reapresentação do elenco, e não só os tradicionais treinos regenerativos.

7) Enderson Moreira não gosta de improvisar: voltou Souza para sua posição original de segundo volante e chamou o meia-armador da base Serginho para ser reserva imediato de Lucas Lima.

Fora isso, vejo que Enderson Moreira ainda não encontrou a formação tática que pretende dar a este time do Santos.

Se buscar a Libertadores com esse time já estava difícil, ficará ainda mais com as convocações de Robinho, Mena e Alison para suas seleções nacionais.

A ausência de Eugenio Mena, aliás, foi determinante para 2 gols dos três gols sofridos contra o Sport na última quarta-feira.

Que agora, com a escolha de técnico definida, a diretoria e a torcida alvinegra deem tempo para Enderson Moreira trabalhar e mostrar resultado.

Para, no final do ano, podermos avaliá-lo e criticá-lo com clareza.

Até porque o problema nunca foi técnico, mas sim falta de bons jogadores...

Que o diga o Cruzeiro, detentor de um elenco excepcional de atletas desde 2013, rumando sólido para seu próximo título brasileiro.

Enquanto o Santos, contratando reservas de outros clubes (Souza e Victor Ferraz) e pagando caro por um péssimo jogador (Leandro Damião), continua desde 2010 sem sequer entrar no G-4 do Brasileiro.

Para refletir...