Os primeiros sinais da crise

Crise no Santos

A crise invisível vivida pelo Santos Futebol Clube finalmente começa a dar as caras.

O atacante Gabriel, que ironicamente acaba de renovar contrato com o Santos por 5 anos com aumento de seu salário, foi o primeiro jogador santista a falar publicamente sobre o atraso de salários.

Ontem, ao participar de entrevista coletiva, comentou o atraso nos pagamentos da seguinte forma:

"O elenco está tranquilo. Temos de jogar futebol, trabalhar bastante. Confiamos muito no presidente, ele vai pagar quando der. Jogamos por amor, porque gostamos, não pelo dinheiro. Estamos muito tranquilos quanto a isso. Não falamos disso na minha negociação. Estávamos querendo acabar com isso logo ".

Um dia antes da coletiva, o repórter Samir Carvalho, do Portal Uol, publicou matéria noticiando o atraso de salários e direitos de imagem por parte do Santos FC.

De acordo com a matéria, os jogadores santistas estão atuando com 1 mês de salários atrasados na carteira profissional (CLT) e 2 meses de direitos de imagem não pagos

Para quem não sabe, os chamados "direitos de imagem" nada mais são do que o próprio salário dos jogadores, assim dividido como uma forma de estratégia do clube para pagar menos impostos ao governo.

Assim, jogadores que recebem R$ 400 mil, por exemplo, na verdade recebem R$ 100 mil de salário na carteira e R$ 300 mil pagos na forma de "direitos de imagem".

Por isso, importante ressaltarmos o fato de que a maior parte dos vencimentos dos atletas não vem sendo pagas há 2 meses.

Como se não bastasse, o clube ainda deve aos atletas o pagamento de "bicho" a diversos atletas do elenco.

Noticiou-se que os jogadores recorrem diariamente ao gerente de futebol, Zinho, para que ele convença o Comitê Gestor do Peixe a liberar o pagamento.

O elenco começa a ficar irritado com a situação, pois não é a primeira vez que a diretoria santista atrasa o ordenado nesta temporada (em março e abril os pagamentos também foram atrasados).

Até o salário de Robinho, o mais alto do elenco, também está em atraso, apesar de garantido em R$ 200 mil por mês das cotas de televisão de 2016, uma das exigências do camisa 7 para assinar contrato com o clube.

Com a chegada do craque, a folha de pagamento mensal do Peixe saltou para R$ 11 milhões por mês, que envolvem, além do pagamento de salários, acordos e parcelamentos de luvas com jogadores.

Só com jogadores, o Santos paga mais de R$ 7 milhões por mês em direitos de imagem.

A folha salarial de funcionários, somando o pagamento da CLT dos atletas, custa ao clube cerca de R$ 4 milhões por mês.

Lembrando ainda que o clube ainda paga R$ 200 mil por mês ao técnico Oswaldo de Oliveira, fruto da multa rescisória ao ser paga por demiti-lo, valor que chegará, ao final do ano, em R$ 800 mil.

Com isso, pela primeira vez em muitos anos, mesmo com o adiantamento das cotas de televisão de 2015, o Santos começa a viver uma grave crise financeira, acabando com sua boa fama de clube cumpridor de suas obrigações com os atletas.

Torcedores alvinegros, não se enganem com as suaves palavras de Gabriel, de que "jogamos por amor, não pelo dinheiro".

Por amor, Neymar teria ficado no Santos.

Por amor, Ronaldinho Gaúcho teria voltado ao Grêmio.

No primeiro mês de atraso, os jogadores ainda suportam.

No segundo mês, eles começam a ficar irritados, e com razão.

E quando os atrasos se tornam uma prática constante no clube, quando começa a faltar dinheiro para pagar o colégio dos filhos e as contas de casa, os atletas pedem para sair, assim como Cícero pediu em maio, e assim como outros poderão pedir daqui em diante, caso a situação não seja resolvida.

Mais um gol contra da atual diretoria...