Santos 3 x 1 Figueirense - salvos pelos deuses

Santos 3 x 1 Figueirense

Os deuses do futebol definitivamente salvaram o Santos de sofrer uma goleada na Vila Belmiro.

Porque, se dependesse do futebol apresentado pelos alvinegros praianos no primeiro tempo, nada menos que uma chuva de gols por parte do adversário seria esperada.

Afinal, nos primeiros 45 minutos de partida só deu Figueirense.

Dois pênaltis a seu favor (o primeiro não marcado, por conta da ajuda dos deuses), uma bola na trave, duas vezes mais finalizações que o Santos, chegadas ao ataque com facilidade e domínio completo da partida.

O jogo coletivo do Figueirense, comandado pelo desconhecido técnico Argel Fucks, estava em sincronia perfeita.

Mas faltava qualidade individual.

Qualidade individual que, posteriormente, daria a vitória ao Santos.

No primeiro tempo, o time do Peixe era um desastre defensivamente.

Por que?

Porque o quarteto ofensivo não ajudava na marcação.

Nenhum deles.

Os laterais Cicinho e Caju e os volantes Alison e Souza se desdobravam na marcação, para ocuparem os amplos espaços deixados pela total ausência e Lucas Lima, Gabriel, Robinho e Leandro Damião na marcação.

Principalmente os dois últimos, os quais nunca voltavam para marcar.

Sem dobrar a marcação nas laterais, o time catarinense tinha plena liberdade para atacar, ante a total desorganização defensiva do Santos.

Isso explica o banho de bola que levou o Santos do Figueirense em plena Vila Belmiro, conforme podemos demonstrar nas imagens abaixo (todas de propriedade exclusiva do canal SPORTV):
























































































        Por outro lado, o Figueirense dobrava a marcação quando o Santos atacava

















































































Esta última imagem mostra o Santos acertando a marcação, com Gabriel ajudando na direita, Souza no meio e Lucas Lima na esquerda


No segundo tempo, Enderson Moreira corrigiu o problema, fez o time voltar a dobrar a marcação nas laterais, com as voltas de Lucas Lima e Gabriel (Robinho e Damião permaneciam lá na frente, sem marcar), o que levou o Peixe a não sofrer mais ataques tão perigosos do clube catarinense.

No fim, as individualidades santistas prevaleceram sobre o bom coletivo do Figueirense.

Lucas Lima teve uma brilhante atuação, participando dos três gols santistas.

No primeiro, cruzou para a grande área e comemorou a assistência para o gol de cabeça de Leandro Damião.

No segundo, carregou sozinho a bola desde o meio de campo, driblou 3 jogadores do clube catarinense e, logo antes de sofrer o contato, tocou a bola para Robinho chutar de perna esquerda no ângulo do gol do goleiro Thiago Volpi.

Robinho, aliás, não teve uma boa atuação, mas brilhou com sua técnica apurada no segundo gol santista.

No terceiro gol, Thiago Ribeiro conduz a bola em um perigoso contra ataque santista, e vê Lucas Lima passando pela esquerda, que recebe a bola e com toda a categoria encobre o goleiro para fechar o placar: Santos 3 x 1.

Os destaques alvinegros na partida de ontem foram Caju, Lucas Lima, Thiago Ribeiro (entrou muito bem no segundo tempo), Robinho (pelo gol) e Leandro Damião (pelo gol).

O lateral Caju, de apenas 19 anos de idade, buscado da base por Enderson Moreira para atuar na lateral esquerda (e assim evitar a improvisação de Zeca) foi uma das gratas surpresas da partida de ontem, com uma boa atuação.

E assim, com o brilho individual de Lucas Lima, Robinho, Thiago Ribeiro e Leandro Damião, o Santos venceu o Figueirense na Vila Belmiro.

Apesar do resultado, o alvinegro praiano continua a 7 pontos do 4º colocado Corinthians, que no último domingo venceu o clássico contra o São Paulo, e também garantiu seus 3 pontos.

A próxima partida, nesta quinta feira as 20:30, contra o Atlético Mineiro, mostrará realmente se a equipe de Enderson Moreira está qualificada para brigar pela Libertadores.

Afinal, esta será outra boa oportunidade para, pela primeira vez na competição, vencer fora de casa um clube melhor colocado na tabela.

Algo ainda não conseguido nem por Oswaldo de Oliveira nem por Enderson Moreira.

E para vencer um time como o Atlético Mineiro, que venceu o Cruzeiro no último domingo em pleno Mineirão por 3 x 2, precisaremos muito mais que boas atuações individuais.

Precisaremos de um bom jogo coletivo.

E isso é responsabilidade exclusiva do técnico Enderson Moreira.

Pois os "buracos" no meio campo santista continuam.

A defesa continua defendendo com 6 jogadores, e o ataque atacando com apenas 4.

O jogo coletivo do Santos, até agora, inexiste.

Sem uma melhora coletiva até quinta feira, será difícil bater o time de Levir Culpi no estádio Independência.

Aguardemos a prova de fogo...