Santos 3 x 1 Vitória - vibrando e vencendo

Santos David Braz Vitória

O Santos vibrou, reviveu, e venceu.

Apesar de ambas as equipes apresentarem um futebol tecnicamente fraco, não faltou vontade para os times de Enderson Moreira e Ney Franco.

Principalmente para o alvinegro praiano, que vivencia os efeitos inicialmente positivos da chegada de um técnico novo.

A vitória contra o time baiano cujo nome não corresponde à sua realidade era esperada, já que aquele ocupa hoje a última posição no Campeonato Brasileiro.

E, pelo futebol apresentado pelo maior rival do Bahia, podemos ver que se trata de um time com qualidade técnica sofrível.

O Peixe, por outro lado, enfrentou grandes dificuldades no primeiro tempo, e foi salvo somente no segundo tempo pela bola parada.

Bola parada que funciona muito bem dentro de uma "filosofia de resultados", a qual começa a ser implementada por Enderson Moreira.

Por este primeiro jogo, não podemos ainda julgar o trabalho do novo técnico santista que, com apenas 3 dias disponíveis para treinar a equipe, ainda não teve tempo de mostrar seu trabalho.

Mas algumas pequenas evoluções podem ser notadas no time do novo treinador.

1º - O time "reviveu" em campo, vibrou como nunca sob os gritos do novo comandante, correu durante os 90 minutos, e espantou a apatia apresentada sob o comando de Oswaldo de Oliveira nos últimos jogos;

2º - O novo posicionamento de Leandro Damião (de frente para o gol e não de costas) favorece o futebol do centroavante, que ainda esbarra em sua própria falta de qualidade técnica;

3º - Enderson mexeu bem no time, ao notar a péssima atuação de Thiago Ribeiro e não ter medo de tirá-lo para colocar o veloz Rildo, que em 15 minutos fez mais que Thiago em 75; no final do jogo, ainda colocou Alan Santos para garantir o resultado.

Com a vitória de ontem, o Santos dá um passo importante na busca pela Libertadores, ao saltar temporariamente para o 9º lugar, posição a qual nenhum clube conseguirá roubar neste domingo.

Mas atuar em casa contra o Vitória não valeu como teste para Enderson Moreira.

O verdadeiro teste virá nas duas partidas contra o Botafogo, pela Copa do Brasil (com a partida de volta a ser disputada na Vila Belmiro).

E, se passar, um teste ainda mais válido contra o Cruzeiro, que deve passar com facilidade contra o frágil time do ABC, para quem o fraquíssimo time do Vasco perdeu.

Não há como negar que a vitória de ontem teve um dedo ainda de Oswaldo de Oliveira.

Por que?

Porque o ex-técnico santista transformou o principal destaque da partida, o ex-horrível David Braz, em um bom jogador de futebol.

Vamos, então, falar sobre o jogo.

Os grandes destaques do Santos na partida foram David Braz, Edu Dracena, Arouca, Lucas Lima e Leandro Damião (este último só mesmo pelo gol).

Os dois primeiros gols santistas foram marcados de forma absolutamente idêntica: dois escanteios cobrados por Lucas Lima pelo lado direito do ataque alvinegro, cabeceadas por Edu Dracena, que deu, de cabeça, duas assistências para dois cabeceios certeiros para os gols de David Braz.

O terceiro gol santista foi iniciado por Lucas Lima, que avançou pelo meio com a bola, passou-a para Leandro Damião, que se atrapalhou com a bola (algo normal), sobrando a pelota nos pés do meia santista, que finalizou para o gol, o goleiro bateu roupa e a bola sobrou limpa para os pés do camisa 9 santista, para bater de perna esquerda e fechar o placar: Santos 3 x 1.

O gol do Vitória saiu após grave momento de desatenção da defesa santista, que simplesmente "parou" e olhou o cruzamento, pela esquerda, e o cabeceio certeiro de Dinei, o gigante marcado pelo pequeno Cicinho.

Apesar do gol de Leandro Damião, o camisa 9 não fez um bom jogo.

Se atrapalhou com a bola, "sumiu no primeiro tempo", atrapalhou várias jogadas de ataque santista, com pouca movimentação, quase não pegou na bola (e quando pegava errava, como no inacreditável gol perdido com o gol livre aos 3 minutos do segundo tempo, conforme podemos ver abaixo), e jogou muito mal.


Com 26 jogos pelo Santos e 7 gols marcados, já seria possível fazer um vídeo com os "piores momentos" de Leandro Damião, jogador do qual não mudo a minha opinião de que se trata apenas de um "perna-de-pau" supervalorizado.

Meu outro destaque negativo vai para o esforçado Thiago Ribeiro, que correu, lutou, tentou, mas errou todas as jogadas que tentava, errando passes, lançamentos e jogando nos ares finalizações, chegando a perder um gol cara-a-cara com o goleiro.

No gol, Aranha fez novamente uma partida segura, sem comprometer e sem culpa no gol do Vitória.

Na zaga, Edu Dracena e David Braz só não foram impecáveis porque "dormiram" no gol do time adversário. Até então, faziam excelente atuação, sempre seguros na defesa, pelo chão e pelo alto, e participando ativamente dos dois primeiros gols alvinegros (Edu Dracena ainda tem uma grande falha, pois comete muitas faltas desnecessárias fora da área).

Nas laterais, Cicinho e Zé Carlos movimentavam-se bastante, mas, por serem mais alas que laterais, sempre sofriam perigosos ataques por seus setores.

Arouca atuou muito bem, roubando bolas importantes no meio de campo.

Souza não jogou tão mal quanto eu esperava, não comprometeu e levou bastante perigo nas bolas paradas.

Lucas Lima esteve "sumido" em grande parte do jogo, mas, no final, acabou participando ativamente das jogadas dos 3 gols santistas.

Gabriel foi o jogador alvinegro que mais criava jogadas de ataque perigosas pelo chão, com boas arrancadas e bastante movimentação, muito superior a seus companheiros de ataque Thiago Ribeiro e Leandro Damião.

Dito isso, eis as minhas notas para os jogadores alvinegros.

Aranha - 6
Edu Dracena - 8
David Braz - 9
Cicinho - 6
Zé Carlos - 6,5
Arouca - 7
Souza - 5,5
Lucas Lima - 7
Thiago Ribeiro - 3
Gabriel - 6
Leandro Damião - 6

Rildo - 7
Alan Santos - sem nota
Geuvânio - sem nota

E você, torcedor santista, o que achou da estreia vitoriosa de Enderson Moreira?

Comente!