Soluções caseiras para 2015

Base Santos FC


Não é segredo para ninguém que as categorias de base vêm salvando o Santos desde sua fundação.

E esse fato, somado ao fato de que o Santos não terá dinheiro para contratar em 2015, exige que olhemos com carinho, mais uma vez, para a base.

Com imensa dificuldade até de pagar o salário dos atletas, é fantasia pensar que o próximo presidente santista, independentemente de quem assumir, resolverá todos os problemas da noite para o dia e trará para o clube uma grande contratação (da qual o clube não poderá pagar).

Considerando tudo isso, quais as soluções caseiras que temos na Vila Belmiro?

Iniciando pela posição de GOLEIRO, temos Vladimir e Gabriel Gasparotto.

O contrato de Vladimir termina no final do ano e não deve ser renovado.

Com isso, o jovem Gabriel, de 20 anos, destaque na conquista da última Copa São Paulo de Futebol Júnior, em cima do Corinthians, deve assumir o posto de reserva imediato de Aranha.

Na ZAGA, destacam-se os jovens Gustavo Henrique e Jubal, os quais serão os substitutos naturais de Edu Dracena e David Braz no próximo ano, caso a diretoria santista opte mesmo por não renovar o contrato do zagueiro Neto, que termina no final de 2014.

Nas LATERAIS, destaque para os jovens Caju e Zeca, nas laterais esquerda e direita, respectivamente.

Ambos os jovens laterais têm muito potencial e poderão assumir a titularidade em 2015, dependendo das atuações de Eugenio Mena, Cicinho e Victor Ferraz.

Como VOLANTES, temos o jovem Alison (praticamente titular ao lado de Arouca), Alan Santos, Leandrinho e Thiago Maia, este último um jovem recentemente promovido da base alvinegra, presença constante nas seleções brasileiras de base.

Destes volantes, apenas Alison e Thiago Maia aparecem com reais condições de brigar pela titularidade de Alison (Arouca é intocável).

Alan Santos tem muita grife e pouco futebol.

Leandrinho, por sua vez, nem grife nem futebol: começou bem mas sumiu em 2014.

No MEIO DE CAMPO, destaque para os meia armadores Serginho e Léo Cittadini, dois dos quais poderiam ser preparados para assumir a vaga de Lucas Lima, em caso de lesão deste, mas que, até agora, não parecem maduros e preparados o suficiente para jogar no futebol profissional.

Temos, portanto, uma grande carência no meio de campo, a qual só poderia ser suprida com uma contratação.

No ATAQUE, temos o jovem titular Gabriel, o renascido Geuvânio, o promissor Diego Cardoso e os não tão promissores Jorge Eduardo e Stéfano Yuri.

Destes, me parece que apenas os 3 primeiros vingarão em 2015.

Giva, outro que, assim como Leandrinho, desencantou em 2013 mas sumiu em 2014, está de saída da equipe.

A verdade é que a atual geração de meninos da Vila não é tão boa quanto a de 2002 ou a de 2010.

Não há nenhum Alex, nenhum Diego, nenhum Robinho, nenhum Rafael, nenhum Wesley, nenhum Ganso, nenhum Neymar.

Apenas jogadores comuns que precisam amadurecer.

A única estrela prematura chama-se Gabriel Barbosa que, com apenas 18 anos, tornou-se o artilheiro do Santos na temporada, esbanjando boa técnica, mas também muita irregularidade.

Tirando ele, nenhum dos jogadores acima citados parece preparado para assumir a titularidade da camisa do Santos no profissional (talvez Gustavo Henrique e Caju, e só).

Mas, em tempos de crise, a esperança em nossas categorias de base nunca perecerá.

Afinal, o ditado "santo de casa não faz milagre" nunca valeu para o Santos.