Lucas Lima de saída?

Lucas Lima de saída?

Vice-líder em assistências no Campeonato Brasileiro (77, com 39 pelo alto e 38 pelo chão, das quais resultaram em 5 gols), somente atrás do craque Everton Ribeiro, e recentemente escolhido por internautas como uma das grandes revelações do campeonato, Lucas Lima pode deixar o Santos.

Pode, não deve.

Tudo depende da postura de seus empresários daqui para frente.

E, principalmente, do Santos.

Para entender todo o atual problema em torno do atleta, vamos começar pelo começo.

No dia 07 de fevereiro o Santos anunciou a contratação do meia Lucas Lima, de 23 anos, ex-Internacional (na época emprestado para o Sport), por 4 temporadas, firmando com o atleta um contrato até o final de 2017.

Para viabilizar a transação, o alvinegro praiano pegou emprestados R$ 6 milhões com a empresa Doyen Sports, para adquirir 80% dos direitos econômicos do atleta, em uma operação nos mesmos moldes da de Leandro Damião (devolução do valor pago com juros de 10% ao ano).

Mas - e aí que está o ponto central da questão - a atual diretoria, ao invés de adquirir o mencionado percentual de Lucas Lima, preferiu colocar o dinheiro recebido no fluxo de caixa do clube.

Resultado: a própria Doyen Sports acabou comprando 80% dos direitos econômicos do atleta.

O restante, 20%, pertence ao Internacional.

(Portanto, se o Santos vendesse hoje Lucas Lima para o exterior, não lucraria nenhum centavo.)

Por conta da atitude do Santos, o empresário do atleta, Edson Khodor, e a empresa Doyen Sports ficaram irritados com o clube, e hoje ameaçam tirar Lucas do Peixe e transferi-lo para um time de melhor qualidade técnica e que pague os salários em dia (outra reclamação, justa, de seus empresários), como o Cruzeiro.


A má gestão dos dirigentes alvinegros, somada à quebra de confiança com os empresários de Lucas Lima, aliada ao atraso nos salários dos jogadores, são os principais fatores que conduziram ao atual cenário, de "pré-crise".

Com 80% de seus direitos econômicos na mão de investidores, a tendência é que a Doyen pressione cada vez mais o Santos (e o jogador) para negociar o atleta, a fim de reaver o valor nele investido.

Apesar disso, Lucas Lima tem contrato com o Santos até o final de 2017, e o clube possui 100% de seus direitos federativos - significando que o jogador só sairá do clube se o clube quiser negociá-lo.

Mas, como sabemos, esse papo de "o jogador só sai se o clube quiser" é balela.

Lembremos de um caso muito parecido, o de Paulo Henrique Ganso.

O Santos tinha seus direitos, possuía com o jogador um contrato longo, mas seus empresários começaram a fazer sobre o atleta uma pressão insuportável para ele deixar o clube, a fim de reaver o investimento nele realizado.

Resultado: Ganso hoje joga no rival São Paulo.

E assim, meus amigos, começa a despontar os primeiros capítulos da novela Lucas Lima, um dos destaques solitários do Santos na temporada, que atua em uma posição carente no futebol mundial (meia-armador).

Veremos como o próximo presidente, a ser eleito hoje, tratará dessa questão!

Saudações alvinegras!