Santos 2 x 0 Botafogo - Leandro Damião!

Santos 2 x 0 Botafogo - Leandro Damião!

Mesmo desajeitado, Leandro Damião finalmente saiu nas capas dos principais jornais do país!

E não por conta da esdrúxula negociação que a atual diretoria fez para trazer o jogador.

Mas sim por uma boa atuação!

E dois gols marcados em um único jogo!

No qual atuou por apenas 45 minutos!

Um milagre!

Mas não vou aqui - como já fiz tantas vezes - criticar Damião.

Ele tem sim claras deficiências técnicas, e certamente Enderson Moreira o deixou na "geladeira" justamente para transformar essas deficiências em qualidade, com base em muito treinamento (algo praticamente exclusivo dos reservas, pois os titulares quase só descansam e não treinam).

Mas ontem ele se superou.

No primeiro gol, consegue (ainda que de forma desajeitada) enganar um zagueiro botafoguense com um drible simples, de cabeça baixa, olhando apenas para a bola, e ajeita a bola para o potente e certeiro chute rasteiro com a perna direita, que termina no canto esquerdo do goleiro santista-de-coração Jefferson (OBS: Damião dominou a bola dentro da área após receber passe do lateral Caju).

Se no primeiro gol o lateral Caju teve participação decisiva, no segundo gol foi a vez do jovem e estreante lateral Daniel Guedes fazer boa jogada pela direita do ataque santista e tocar para o centro da área, onde Leandro Damião tentaria um chute (e erraria), para logo em seguida, na raça, correr loucamente em direção à bola para bicá-la com tudo para o gol.

Fim de jogo: Santos 2 x 0, com dois gols de Leandro Damião.

Sim, é verdade.

O que prova uma coisa: o lugar de Leandro Damião é dentro da grande área, de preferência na pequena área!

Com os passes e a técnica de Lucas Lima, Robinho, Geuvânio, Gabriel e Thiago Ribeiro, ele pode muito bem desempenhar a função única de um camisa 9: empurrar a bola para o fundo das redes!

Apesar dos elogios, meu destaque vai para o lateral-esquerdo Caju, hoje na minha opinião titularíssimo na posição, desbancando o titular da seleção chilena Eugenio Mena.

No jogo de ontem, Caju destruiu: defendeu bem, roubou bolas, era onipresente na defesa, no meio e no ataque, participava do jogo sem medo, correndo, driblando, cruzando para a área, fazendo tabelas e até chutando a gol, razão pela qual merece um belo e redondo 10 pela participação na partida.

Contra o fraquíssimo time do Botafogo, que errava muitos passes, não conseguia construir uma jogada e isolava todas as finalizações, a defesa do Santos, formada por Edu Dracena e David Braz, não pôde ser testada de verdade.

A prova de fogo para Edu Dracena e David Braz veio mesmo contra Cruzeiro, Internacional, Fluminense, São Paulo, Corinthians e Grêmio, e o resultado dessa história já sabemos muito bem... (não só os zagueiros, mas todo o sistema defensivo alvinegro).

O goleiro Aranha também se inclui nesta lista, apesar de ter falhado muito menos do que os jogadores citados (e mais salvado o Santos do que outra coisa).

O lateral-direito Daniel Guedes fez uma boa estreia, mostrando-se mais um ala do que propriamente um lateral (em outras palavras, ataca bem porém deixa uma avenida aberta pela lateral-direita, a qual o Botafogo tentou explorar, mas sem sucesso, tendo em vista a "ruindade extrema" de seus jogadores).

A dupla de volantes Alison e Renato funcionou bem, e o último quase marcou de cabeça em duas oportunidades contra o clube que o trouxe de volta ao futebol brasileiro.

Mas, lembremos, foi contra o Botafogo...

Renato não tem fôlego para acompanhar um time com jogadores velozes, como o Cruzeiro.

Se vale a pena renovar seu contrato?

Como novo gerente de futebol do clube, talvez fosse uma boa.

Mas como jogador, está na hora de fazermos uma merecida placa de homenagem e darmos adeus.

Ainda mais agora com a volta do bom volante Lucas Otávio, que formará ano que vem uma bela trinca com Alison e Arouca (se a diretoria que assumir, claro, não resolver vender este último).

Lucas Lima desempenhou novamente uma partida de um jogador acima da média, participando de praticamente todas as jogadas ofensivas do time (ironicamente, não dos gols).

Thiago Ribeiro continua demonstrando, ao mesmo tempo, boa técnica e péssima capacidade de finalizar, mas por algum motivo seu futebol vem em uma decrescente tremenda, na qual acumula seguidamente erros básicos de passe, lançamento e drible. Se o Santos conseguisse reaver aqueles R$ 10 milhões nele investidos...

Robinho no primeiro tempo mostrou a todos que fisicamente não é mais o mesmo. Os 30 anos de idade pesaram na carreira de um jogador marcado pelos dribles em velocidade. Mas, mesmo assim, oscila momentos de brilhantismo com a bola nos pés e instantes de pura displicência, perdendo a bola de forma infantil e gerando contra-ataques para os adversários. O Botafogo perdoou, mas outros clubes não perdoaram...

Gabriel oscilou novamente, algo perfeitamente normal para um menino de 18 anos artilheiro da Copa do Brasil e goleador do Santos na temporada, mas conseguiu uma bola na trave no primeiro tempo, além de participar ativamente das jogadas de ataque da equipe, ainda que sem a costumeira efetividade.

Essa é a minha opinião pessoal sobre o jogo de ontem.

Concorda? Discorda? Sinta-se livre para comentar!

Saudações alvinegras!