Resumão da semana do Santos Futebol Clube

Modesto Roma paga jogadores do Santos

Hoje o blog inicia uma nova fase, estreando 11 fatos que marcaram a semana do Peixe, seguidos sempre de meus comentários.

Vamos a elas.


1) O presidente Modesto Roma finalmente pagou os salários atrasados dos jogadores

Ontem, no Globoesporte, li feliz que o novo presidente santista começou sua jornada no clube com o pé direito, quitando 2 meses de salários atrasados dos jogadores (que se chegassem a 3, poderiam levar atletas a deixarem o clube de graça, na justiça - essa, aliás, é uma das razões que levaram ao empréstimo de Leandro Damião ao Cruzeiro, pois o clube já lhe devia 2 meses). No discurso, o presidente alvinegro disse "conto o milagre, mas não mostro o santo". Tudo bem. Dos males o menor. Afinal, nem preciso comentar a importância do ato de pagar efetivamente o salário dos jogadores... portanto, ponto para Modesto!


2) Leandro Damião bate as asas para Minas Gerais

Damião, enfim, foi-se embora para a Pasárgada de Aécio Neves e Dilma Rousseff. Para o Cruzeiro. Para a Libertadores. Para a exposição. Para os salários em dia. Para longe do Santos.

Inicialmente, conforme eu já havia comentado aqui no blog, afirmei ser um péssimo negócio mandar nosso patrimônio de R$ 42 milhões praticamente de graça (emprestado com o Santos pagando 30% de seu salário) para o campeão brasileiro.

Mas, por fim, depois de muito refletir, percebi que o negócio será bom para o Santos Futebol Clube.

Por 4 motivos.

1º - O Santos não correrá mais o risco de perder Damião de graça, tendo ainda que arcar com os R$ 42 milhões firmados com a Doyen Sports (porque o clube já lhe devia 2 meses de salários atrasados, e faltavam só mais um para Damião rescindir unilateralmente seu contrato com o Peixe na Justiça e deixar o clube a ver navios).

2º - Atuando dentro do Barcelona brasileiro na Liga dos Campeões tupiniquim, o camisa 9 mais supervalorizado do Brasil poderá, enfim, se valorizar e ser vendido, para recuperarmos, no mínimo, parte do prejuízo.

3º - Com a saída de Damião, o jovem Gabigol, enfim, poderá assumir a titularidade da camisa 9 e brilhar como nunca atuando de centroavante (correndo-se o risco, que alerto desde fevereiro de 2014, do menino se valorizar e logo em seguida ser vendido para que o Santos possa pagar os R$ 42 milhões - ou R$ 60 milhões - por Damião...).

4º - Sobrará dinheiro ao Santos para manter Robinho por aqui.

Dos males o menor... afinal, sem Damião seria ruim, mas com seria pior...


3) Vão tarde!

Até a divulgação deste post, os seguintes atletas deixaram o alvinegro praiano: Alan Santos (Coritiba), Rildo, Neto, Bruno Uvini (Napoli), Souza (Cruzeiro), Giva (Coritiba) e Jorge Eduardo. O volante Souza foi devolvido de forma humilhante ao Cruzeiro (o Santos exigiu como condição para liberar Damião que o atleta - que recebe um alto salário - voltasse ao clube mineiro). Quanto ao volante Alan Santos, o Peixe ainda mantém seus direitos econômicos.


4) Quem fica?

A atual diretoria, ao que tudo indica, renovará os contratos do goleiro Vladimir, do zagueiro da base Naílson e do volante Renato. Por outro lado, a permanência do zagueiro Vinicius Simon segue indefinida, a depender do aval dos médicos do clube.


5) Chiquinho, a contratação solitária

Para contrabalancear com os 7 jogadores que deixaram o clube, o Peixe contratou apenas o lateral-meia-atacante-que-faz-de-tudo-um-pouco-e-nada-bem Chiquinho (por empréstimo de 1 ano), segundo esta pesquisa do Globoesporte o atleta mais rejeitado pela torcida do Fluminense, mas que o técnico Enderson Moreira jura ser um bom jogador.

Manifestamente sem dinheiro para contratar, é provável que Chiquinho seja a primeira e única contratação para o primeiro semestre de 2015.


6) Especulações de contratações: Jefferson? Ricardo Oliveira? Walter? Elano? Jackson?

Muita hora nessa calma!

Comentemos cada negociação e especulação envolvendo os atletas acima citados.

Jefferson: segundo as últimas informações, o goleiro botafoguense não virá para o Santos, pois se acertou com o Botafogo, e lá deverá permanecer pelos próximos 2 anos.

Ricardo Oliveira: o centroavante de 34 anos pede R$ 180 mil mensais para fechar com o Santos, que acha o valor muito alto, considerando que o jogador passou 5 anos no futebol do Qatar e possui grande histórico de lesões. Por hora, segue a indefinição.

Walter: há 4 dias, o empresário de Walter falou ao Lance!Net: "Se tivermos a certeza de que o Walter não vai ficar no Fluminense, a prioridade seria o Santos. Ele tem ótima relação com o Enderson, eles conversam sempre, têm uma boa amizade".

Elano: após encerrado seu contrato com um time da Índia, o ex-meia demonstrou interesse em voltar ao Peixe, mas seu entusiasmo não foi correspondido pelo presidente Modesto Roma (corretamente, na minha opinião, segundo a qual, como jogador, Elano não teria mais espaço no Peixe, mas sim, talvez, como dirigente, gerente de futebol, etc.).

Jackson: o zagueiro do Internacional, que disputou o último Campeonato Brasileiro vestindo as cores do Goiás, está sendo sondado pelo Peixe.

Dos 5 nomes acima citados, acredito que apenas Jefferson e Jackson seriam bons nomes para o momento, além, talvez, de Ricardo Oliveira (caso viesse por um salário baixo e com um contrato de produtividade, porque esses jogadores que voltam de países muçulmanos costumam desaprender a jogar futebol).

Walter traria mais problemas que soluções, e Elano não tem mais condições físicas de jogar futebol em alto nível.


7) Especulações de saídas: Robinho? Arouca? Alison? Lucas Lima? 

A atual diretoria também tem buscado meios de tentar manter Robinho por mais tempo no clube (seu atual contrato com o Peixe vai só até o meio de 2015), mas parece certo que o atacante permanecerá pelo menos até a metade do ano.

A situação do volante Arouca se complicou ontem, quando o portal Globoesporte noticiou que o atleta entrou na Justiça para se desvincular de graça do Santos, que não lhe paga salários há 3 meses.

Segundo notícias recentes, o volante Alison foi oferecido pelo banco BMG, detentor de 80% de seus direitos econômicos, ao Internacional, e sua situação segue indefinida no Santos.

Lucas Lima, por outro lado, com o pagamento dos salários atrasados, deve permanecer no Peixe, onde diz querer marcar seu nome na história, conquistando títulos.


8) Gestão Odílio Rodrigues vendeu parte dos direitos econômicos de Gabriel, Geuvânio e Daniel Guedes

Uma grande bola fora da antiga diretoria santista foi, sem que ninguém soubesse, vender a preço de banana (R$ 10 milhões) para a investidora Doyen Sports porcentagens dos direitos econômicos de alguns dos meninos mais promissores do alvinegro praiano.

De Gabriel foram repassados à Doyen 20% de seus direitos econômicos, bem como 35% de Geuvânio e 25% de Daniel Guedes.

Para que serviu esse dinheiro? A maior parte dele para pagar dívidas referentes à contratação de Leandro Damião, repito, o pior negócio da história do futebol brasileiro.

De um certo modo, o atacante Gabigol já começa aos poucos a ser "vendido" para pagar a péssima contratação de Damião.

E a conta ainda nem chegou.


9) A eliminação precoce da Copa São Paulo de Futebol Júnior

Após perder para o Linense por 2 x 1, o Santos sub-20 foi eliminado de forma melancólica da Copa São Paulo de Futebol Júnior, ainda na fase de grupos, após empatar por 0 x 0 o primeiro jogo e vencer apertado por 4 x 2 a segunda partida (venceu com o time adversário com um jogador a menos, expulso).

A eliminação precoce do atual campeão da Copinha têm, no entanto, uma explicação razoável: nesta edição, o Santos resolveu entrar em campo praticamente com seu time sub-18 (ou 19), uma vez que os meninos campeões no ano passado já foram integrados ao elenco profissional.

Outra explicação, também aceitável, é de que a safra de meninos de 2015 não é tão boa quanto a propaganda.

Dos atletas que vi (assisti aos 3 jogos), destacaram-se somente aos meus olhos o lateral-direito que não lembro o nome e o meia Caio - e só.

Não vi nada demais no badalado volante Fernando Medeiros (que tem apenas 18 anos, sejamos justos) nem no meia Serginho, o qual apenas tentava, quase sempre sem sucesso, construir as jogadas.

Uma decepção que, no entanto, pode se tornar uma alegria em 2016, com o crescimento físico, técnico e tático desses meninos.


10) Excesso de laterais

O Santos agora conta com um excesso de jogadores nas laterais para 2015.

Neste ano, contaremos na lateral-direita com Cicinho, Victor Ferraz, Rafael Galhardo, Chiquinho, Zé Carlos e Daniel Guedes.

Enquanto a lateral-esquerda seguirá com Eugenio Mena e Caju.


11) O otimista Enderson Moreira

Apesar de todos os problemas enfrentados pelo Santos nos últimos meses, desde falta de salários até a saída conturbada de Leandro Damião, o técnico alvinegro segue otimista para 2015, prometendo o melhor bolo possível com os ingredientes que lhe foram dados.


E assim termina o TOP 11 semanal do Peixe!

O que achou?

Deixe abaixo seu comentário que o responderei ao longo da semana.

Saudações alvinegras e até o próximo sábado!