Resumão da semana do Santos Futebol Clube

Arouca deixa o Santos FC

A última semana da vida do Santos Futebol Clube pode ser resumida em passado e presente.

Dívidas a serem pagas, saídas de atletas importantes, a falta de patrocínios e o fracasso do programa Sócio-Rei são elementos que fazem parte do passado.

O presente alvinegro começa com a contratação de 7 reforços, com a vitória por 4 x 0 no primeiro jogo-treino, com a volta das dançarinas à Vila Belmiro, com a prometida "chuva de camisas" no jogo de estreia, e a esperança de uma boa vitória contra o Ituano, amanhã, as 19:30, na Vila Belmiro.

Por outro lado, também fazem parte do nosso presente a reformulação do programa de sócios, a busca incessante por patrocínios, a análise do porquê a torcida santista não comparece ao estádio e o pagamento de 4 meses de direitos de imagem dos atletas.

Neste contexto, a esperança surge em meio ao caos financeiro, que ainda precisa ser resolvido.

Dito isso, vamos às principais notícias da semana do Peixe!

E comecemos com as notícias referentes ao passado do clube.

Começando a PRIMEIRA NOTÍCIA com a saída de Arouca para o Palmeiras.

Ao completar 3 meses de salários atrasados, o volante buscou a Justiça, e posteriormente firmou um acordo com o Santos para ser liberado de graça, sem que o clube precisasse arcar com a alta multa de R$ 10 milhões pela rescisão contratual por falta de pagamentos.

O presidente Modesto Roma conseguiu o melhor negócio possível para o clube: pelo acordo, o Palmeiras assumiu os 4 meses de salário atrasado de Arouca (valor próximo de R$ 1,4 milhão), o Santos seguiu com 40% dos direitos econômicos do atleta (podendo ainda lucrar com sua futura venda) e o jogador desistiu da ação judicial que movia contra o Santos (evitando que o clube pagasse R$ 10 milhões pela rescisão contratual), em troca da rescisão amigável de contrato com o Peixe.

Após deixar o alvinegro praiano, o volante de 29 anos, que desapareceu do clube desde o dia 9 de janeiro, assinou com o Palmeiras por 4 anos.

Talvez arrependido, ou buscando evitar futura hostilização por parte da torcida santista, Arouca escreveu uma carta aos santistas e a publicou em seu perfil no facebook, na qual me chamou a atenção a seguinte passagem:

"Infelizmente, porém, fui mais uma vítima da precária condição financeira do nosso futebol, que promete salários com os quais não pode arcar e está se afogando em dívidas. E um fato em especial me deixa bastante chateado: quando os atletas se veem obrigados a entrarem com ações judiciais para receberem seus salários, são acusados de não ter amor à camisa, de só pensar em dinheiro e não no time, e ainda são chamados de mercenários, entre outros adjetivos pejorativos. Isso é uma imensa inversão de valores! Sei que o torcedor é movido pela paixão e que alguns estão chateados com a atitude que tomei, mas peço que tentem entender o meu lado no caso."

Realmente, o Santos foi ingrato com Arouca quando lhe prometeu pagar um salário que não poderia cumprir.

Por outro lado, como muitos santistas me convenceram durante a semana, o volante perde a coisa imaterial mais importante para um jogador de futebol: a idolatria de uma torcida.

Deixando o clube pela porta dos fundos (e não pela porta da frente, como o jogador tenta insinuar na carta), por não ter tentado sequer conversar com a nova diretoria santista para resolver seus problemas salariais, Arouca rasgou sua bela história construída durante 5 anos com a torcida santista.

É curioso como, em uma atitude, podemos destruir o trabalho de uma vida inteira, e Arouca conseguiu.

Ficam as lembranças da bola tirada em cima da linha contra o Santo André, na final do Campeonato Paulista, do passe preciso para Neymar no gol do título de Libertadores e do gol do título na final do Paulista, contra o Corinthians.

Mas a lembrança mais pulsante na imagem dos santistas é a da ingratidão com  o clube que lhe projetou ao futebol e o levou à Seleção Brasileira, e que lhe pagou salários mesmo quando permanecia no Departamento Médico sem jogar.

Por essas e outras, o confronto entre Santos x Palmeiras, no dia 11 de março, as 22 horas, na Vila Belmiro, promete uma chuva de tristeza e rancor para cima de Arouca e Aranha, que também deixou o Peixe rumo ao alviverde da capital.

A SEGUNDA NOTÍCIA do alvinegro também percente (ou já deveria pertencer) ao passado: a crise financeira ainda continua.

O Santos quitou recentemente todos os salários da CLT de seus jogadores e funcionários, mas ainda deve aos atletas 4 meses de direitos de imagem (a parte mais gorda do salário).

Com isso, ainda corremos o risco de perdermos atletas de graça, caso eles ingressem com uma ação judicial, uma vez que a Justiça Trabalhista já equipara os direitos de imagem a salários.

Além disso, pululam várias dívidas herdadas da gestão Odílio Rodrigues, tais como contas atrasadas de luz (R$ 130 mil), de água (R$ 180 mil), de telefone (R$ 12 mil), de uma floricultura (R$ 2 mil), do plano de saúde dos jogadores (3 meses de atraso), e até da empresa que administra o gramado da Vila Belmiro, que permaneceu sem manutenção durante todo o mês de dezembro.

Além disso, de todos os patrocínios, sobrou apenas o da Corr Plastik, que já pagou ao Santos no ano passado R$ 7 milhões para estampar sua marca no clube em 2014 e 2015.

O Santos, assim como o São Paulo, iniciará o ano zerado em patrocínios, deixando em seu espaço nobre da camisa a propaganda da SANTOS TV (não seria mais inteligente deixar a publicidade do programa Sócio-Rei, que realmente poderia trazer mais recursos ao clube?).

Nossos rivais Corinthians e Palmeiras saíram na frente na corrida por patrocínios, recebendo, respectivamente, R$ 32,5 milhões e R$ 30 milhões em 2015.

O alvinegro da Vila Belmiro ainda negocia com as empresas chinesas Huawei e Cherry para estampar o patrocínio no espaço nobre da camisa em 2015, por um valor próximo de R$ 18 milhões.

A TERCEIRA NOTÍCIA, que também deve faze parte do passado, consiste na constatação de que o programa Sócio-Rei é um grande fracasso.

A única saída capaz de tornar o Santos um clube auto-suficiente, sustentado por sua própria torcida, é hoje muito mal administrada, e dá péssimos resultados.

Dos 57 mil associados que o clube alega ter, apenas 20 mil estão com a mensalidade em dia, os quais fizeram com que o Santos recebesse em 2013 míseros R$ 12,6 milhões de seu programa de sócio-torcedor.

O Internacional, por outro lado, um clube de abrangência regional (Rio Grande do Sul), e sem espaço na televisão fora do seu estado, consegue lucrar, com muita competência administrativa, nada menos que R$ 85 milhões por ano com seu programa de sócios.

Essa gigantesca renda que sustenta o Internacional, que não por acaso é conhecido por montar bons times e disputará em 2015 a Libertadores da América.

Por que o Santos não consegue guinar seu programa de Sócio-Torcedor?

Será que os dirigentes do clube não percebem que esta pode ser a única saída para a crise financeira?

Para refletir.

A QUARTA NOTÍCIA vem de uma interessante enquete do SPORTV, na qual se perguntou "por que a torcida não vai ao estádio"?

A resposta? Os ingressos são muito caros.

A opção "ingressos caros" venceu com 43,3% dos votos, seguido de "violência", com 37,9%, má qualidade dos jogos, com 12% e serviços ruins, com 6,8%.

O alto custo dos ingressos não é novidade: recente estudo da Pluri Consultoria apontou que no Brasil se cobra os ingressos mais caros do mundo, considerando a renda per capita de seus habitantes.

Os dirigentes do futebol santista precisam estar atentos a essa realidade, um dos motivos pelos quais a Vila Belmiro, que hoje cobra R$ 40 pelo seu ingresso mais barato, permaneceu vazia em 2014.

E sem torcida no estádio, a televisão não se interessa, os patrocinadores somem, o clube desaparece da atenção da imprensa, perde torcedores mirins pela falta de exposição e entra em crise financeira.

Para refletir (2).

A QUINTA NOTÍCIA, agora sobre o presente do alvinegro, falará finalmente sobre coisas boas.

E a principal delas é o retorno do Santos ao futebol em 2015!

Neste domingo, as 19:30, na Vila Belmiro, o Santos pega o Ituano na Vila Belmiro, buscando se vingar da perda do título sofrida em 2014, em pleno Pacaembu repleto de santistas (eu incluso).

Otimista para a temporada, o técnico Enderson Moreira deve colocar o time no esquema 4-2-3-1, utilizado no ano passado, com o seguinte time titular: Vladimir, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Chiquinho; Alison, Renato e Lucas Lima, Geuvânio, Thiago Ribeiro e Robinho.

O goleiro Vanderlei (ainda não regularizado), o lateral Cicinho (lesionado), o volante Valencia (readquire forma física), o atacante Marquinhos Gabriel (readquire forma física), o lateral Caju (Seleção Brasileira Sub-20) e o atacante Gabriel (Seleção Brasileira Sub-20) não foram relacionados para a partida.

Com o esquema, o técnico alvinegro dará oportunidade ao goleiro Vladimir e ao lateral Victor Ferraz para mostrarem seu futebol, eis que os titulares Vanderlei e Cicinho seguem fora de combate por enquanto.

Gustavo Henrique e David Braz devem formar a zaga titular do Santos em 2015, tendo em vista a debandada de zagueiros do clube (Bruno Uvini, Neto, Edu Dracena, Vinicius Simon e Naílson), posição para a qual o Santos ainda busca um reforço (apesar da contratação do mediano Werley - ex-Grêmio).

Os volantes titulares para a temporada deverão ser mesmo Alison (primeiro volante) e Renato (segundo volante), perdendo muito o Santos no setor com a saída de Arouca, tornando bastante frágil a marcação alvinegra no meio de campo.

Lucas Lima, Geuvânio, Thiago Ribeiro e Robinho completam o quarteto ofensivo titular do Peixe em 2015, sendo que o centroavante Ricardo Oliveira ainda disputa vaga com Thiago Ribeiro (casso em que Robinho seria recuado para sua posição de origem, ao invés de atuar como centroavante).

Sem Dracena e Arouca, o novo capitão do Santos deverá ser Robinho, Renato ou David Braz, segundo o próprio técnico Enderson Moreira.

Para a partida, a diretoria santista, por meio de Robinho, em inteligente ação de marketing, prometeu uma "chuva de camisas".

Além disso, o jogo também contará com a volta das dançarinas nos intervalos dos jogos, que dançarão de graça até a situação financeira do clube ser regularizada.

Que o Peixe faça uma boa estreia amanhã! Estarei na torcida!

A SEXTA NOTÍCIA lembra da vitória do Santos sobre o Cotia por 4 x 0 no único jogo-treino antes do Campeonato Paulista começar.

No jogo, destaque para o fato do Santos ter, segundo o técnico Enderson Moreira, dominado todas as ações ofensivas, não deixando espaço para o adversário jogar.

Os gols foram marcados por Thiago Ribeiro, Ricardo Oliveira, Elano (gol olímpico) e Lucas Crispim.

Os gols e melhores momentos da partida podem ser vistos no vídeo abaixo:


A SÉTIMA NOTÍCIA é a contratação, em definitivo, do goleiro Vanderlei, do Coritiba, de 30 anos de idade, por 3 anos.

Ao contrário do que havia se noticiado na ocasião, o goleiro Vanderlei não veio ao Peixe por empréstimo, mas sim em definitivo, após o Santos comprar uma parte de seus direitos econômicos do Coritiba (não se sabe quanto o alvinegro pagou).

Um excelente reforço para a temporada, considerando que no Coritiba, clube no qual Vanderlei defendia há 7 anos, o goleiro era ídolo.

A OITAVA NOTÍCIA consiste na limitação, imposta pela Federação Paulista de Futebol, de 28 atletas inscritos para a disputa da competição.

A medida visa evitar que os clubes utilizem apenas reservas nas partidas, esvaziando o interesse pelo campeonato.

Os clubes terão até dia 10 de fevereiro para apresentarem todos os inscritos à Federação.

A decisão é péssima para o Santos Futebol Clube, que se verá obrigado a não utilizar vários de seus meninos da base, por conta da restrição.

O Santos já enviou à Federação Paulista uma lista preliminar com 22 jogadores inscritos para a competição.

São eles.

Goleiros: Vladimir e Gabriel Gasparotto.
Laterais: Cicinho, Victor Ferraz e Zeca.
Zagueiros: David Braz, Gustavo Henrique, Werley e Paulo Ricardo.
Volantes: Alison, Renato, Leandrinho, Valencia e Lucas Otávio.
Meias: Lucas Lima, Elano e Chiquinho
Atacantes: Robinho, Thiago Ribeiro, Geuvânio, Ricardo Oliveira e Lucas Crispim.
Chama a atenção a ausência do goleiro Vanderlei, do lateral Caju e dos atacantes Gabriel, Diego Cardoso e Marquinhos Gabriel entre os inscritos.

Além deles, os goleiros João Paulo e John, o lateral Crystian, os meias Serginho e Léo Cittadini o atacante Patito Rodríguez ficaram fora da lista.

Restando 6 jogadores a inscrever, a tendência é que Vanderlei, Caju, Serginho, Gabriel, Diego Cardoso e Marquinhos Gabriel completem a lista de inscritos.

Se isso se confirmar, os goleiros João Paulo e John, o lateral Crystian, o meia Léo Cittadini e o atacante Patito Rodríguez ficarão impedidos de disputar o Campeonato Paulista.

E assim, meus amigos, termina o resumão da Semana do Santos Futebol Clube!

Curtiu? Comente!

PS: a diretoria do Santos respondeu com firmeza a carta de Arouca:

"A diretoria do Santos Futebol Clube demonstra indignação com a carta publicada aos torcedores pelo volante Arouca, na tarde de sexta-feira (30/01), e esclarece inverdades citadas:

No dia da reapresentação do elenco profissional (08/01) o atleta Arouca teve a oportunidade de expor seus problemas a atual diretoria, mas mesmo ouvindo a promessa de que em três meses tudo estaria rigorosamente em dia, tomou atitude de ingressar na justiça contra o clube, contrariando carta que publicou em dezembro de 2014, alegando que o Santos era sua segunda casa e que não tomaria medidas judiciais.

O atleta não procurou o presidente Modesto Roma Júnior e membros do Comitê de Gestão antes de tomar tal atitude. O jogador não conversou com ninguém e a caminho dos exames médicos, que foram realizados em São Paulo, deixou o elenco e viajou para o Rio de Janeiro no dia 09, não demonstrando o carinho e profissionalismo citados.

A grave crise financeira vem se arrastando durante todo o ano de 2014 e nos causa surpresa que o atleta não tenha discutido os problemas salariais com os que estavam no clube neste período. Lembrando que a atual diretoria pediu três meses para honrar os compromissos. Com receitas de TV e empréstimos bancários antecipou o pagamento de salários e férias de jogadores e funcionários e está com as obrigações em dia.

No período pedido no início do mandato a diretoria colocará os direitos de imagem em dia, não deixando de pagar os vencimentos que tem pela frente. Um trabalho de esforço, de equipe, de transparência que nem todos podem ter. Deixar o clube pela porta da frente é não faltar com a verdade, princípio básico do bom relacionamento."