Resumão da Semana do Santos Futebol Clube

Santos 0 x 0 São Paulo - Geuvânio x Ganso


Mais uma semana agitada na vida do Peixe!

Semana de clássico, semana de definição dos 28 inscritos no Paulista, semana de uma inexistente crise com o atacante Gabriel, do museu itinerante, da equivocada aposta no marketing, pelo presidente Modesto Roma, e do vale-tudo para manter Robinho.

Vamos a elas!

1) São Bernardo 0 x 1 Santos

Sem sustos, o Santos cumpriu o seu dever neste sábado vencendo o fraco time do São Bernardo, no interior paulista.

Em um jogo amarrado, repleto de faltas e erros de passes, o alvinegro da Vila Belmiro conseguiu a vitória com um gol do zagueiro David Braz, após mergulhar de peixinho no cruzamento de Chiquinho.

Ricardo Oliveira ainda chegou a marcar um gol, após cruzamento do lateral Victor Ferraz, mas estava impedido.

O 1 x 0 foi merecido, com destaque para as boas atuações de Geuvânio (o melhor em campo), Robinho, David Braz (pelo gol) e Vanderlei.

Destaque negativo para o atacante Marquinhos Gabriel, que entrou no segundo tempo e nada fez, e para o zagueiro Werley, por, pela segunda vez em 3 jogos, perder um gol claríssimo na cara do gol (na defesa ele foi bem).


2) Santos 0 x 0 São Paulo

O Peixe empatou com o São Paulo no meio da semana com uma boa atuação, dentro da Vila Belmiro.

Na primeira metade do primeiro tempo, domínio total do clube paulistano, e muito nervosismo por parte dos santistas, salvos em muitas ocasiões pelo goleiro Vanderlei, para mim o melhor daquela partida, ao lado dos atacante Geuvânio e Ricardo Oliveira.

Dos 25 minutos do primeiro tempo em diante, só deu Santos.

E poderia ter terminado em goleada, se não fossem as boas intervenções do milagreiro goleiro Rogério Ceni, de 42 anos.

A zaga santista deu muitos sustos no primeiro tempo, principalmente o zagueiro David Braz, que em média entrega 1 gol por jogo ao adversário (que por sorte não é bem finalizado).

O volante Alison seguiu batendo, e cometendo perigosas faltas próximas à grande área santista.

Na frente, o sacrificado Lucas Lima não tem rendido como o esperado, por ter agora a dupla função de meia-armador e "volante-armador", pois o time não tem mais um jogador como Arouca, capaz de efetuar com facilidade a transição entre a defesa, o meio de campo e o ataque.

Robinho parecia um extraterrestre jogando, tão grande que é sua técnica em comparação aos demais jogadores, apesar da óbvia desvantagem física de um atleta de 30 anos.

Ficou claro, assistindo ao jogo da Vila Belmiro, que o principal problema do Peixe é a transição entre defesa e ataque, que inexiste na ausência de um jogador como Arouca (o volante Alison se esconde dessa função).

Sem transição, o time abusa dos amadores chutões para frente, ou tenta desafogar o jogo pelas laterais, quando a marcação adversária permite (a do Mogi Mirim não permitiu).

Na vitória contra o São Bernardo, o problema da transição persistiu.


3) A importância de Geuvânio

Na era "Enderson Moreira", quando o atacante foi titular, o Santos conquistou o aproveitamento de 82% dos pontos disputados, com apenas 1 derrota.

Na ausência de Geuvânio, o aproveitamento foi de 39% dos pontos, e o clube acumulou 7 derrotas.

Uma pequena informação para ilustrar a grande importância desse menino da base para o time.


4) O problema da "transição"

Estive na Vila Belmiro para o San-São.

E nada me chamou mais a atenção do que a falta de transição entre defesa e ataque do Peixe.

Quem fazia essa função com maestria no ano passado? Arouca.

O técnico santista ainda não encontrou um substituto à altura.

Esse é o motivo pelo qual os zagueiros santistas continuam recorrendo aos chutões como técnica de transição entre defesa, meio campo e ataque (principalmente David Braz).

Essa também é a razão pela qual o meia Lucas Lima não está rendendo o mesmo do ano passado, pois está sacrificado, uma vez que, na ausência de Arouca, tem voltado para buscar a bola na defesa para iniciar as jogadas.

A única opção, que por enquanto tem dado certo, é iniciar as jogadas pelos lados do campo, com os velozes Victor Ferraz - Geuvânio e Chiquinho - Robinho.

Muito pouco para o Santos brilhar.

Precisamos de um novo Arouca.


5) Definidos os 28 inscritos do Campeonato Paulista

O Santos definiu a lista dos 28 jogadores que disputarão o Campeonato Paulista.

Lembrando que ninguém de fora da lista poderá entrar posteriormente, somente na segunda fase da competição (e com a exceção dos goleiros, em caso de lesão), quando o clube poderá fazer a troca de inscritos.

Restavam 3 vagas, que foram conquistadas por Gabriel, Caju e Jubal.

Com isso, o volante Thiago Maia, o meia Léo Cittadini e o atacante Diego Cardoso (campeão e artilheiro da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2013), buscam um clube para serem emprestados em 2015, para adquirirem experiência.

A lista completa:
Goleiros: Vladimir, Vanderlei e Gabriel Gasparotto
Zagueiros: David Braz, Gustavo Henrique, Werley, Jubal e Paulo Ricardo
Laterais: Cicinho, Victor Ferraz, Caju e Zeca
Volantes: Alison, Renato, Leandrinho, Valencia e Lucas Otávio
Meias: Lucas Lima, Elano, Serginho, Chiquinho e Marquinhos Gabriel
Atacantes: Robinho, Thiago Ribeiro, Geuvânio, Ricardo Oliveira, Gabriel e Lucas Crispim


6) Durante a crise, ninguém da base saiu

Esse fato serve para ilustrar a importância das categorias de base para o Santos Futebol Clube, cujos jogadores acabam criando um vínculo afetivo com o clube formador (geralmente - vide P.H. Ganso).

No meio da grave crise financeira que se instalou no clube no final de 2014 para o início de 2015, o zagueiro Edu Dracena, o lateral Eugenio Mena, o volante Arouca e o centroavante Leandro Damião deixaram o clube pela porta dos fundos.

Basta apenas dizer que nenhum dos que saíram eram da base.

Meninos que estavam com seus salários atrasados, como Alison e Geuvânio, escolheram permanecer, mesmo na dificuldade (Robinho também, diga-se de passagem).

O atacante Geuvânio comentou nesta semana que precisou recorrer às suas economias e a empréstimo de seu empresário, para manter as contas em dia e enviar dinheiro para sua família, que sustenta.

A base, sempre a base.


7) Não há crise sobre Gabriel

Alguns setores da imprensa, principalmente o Uol Esporte, tentaram encontrar polêmica onde não tinha, para venderem a matéria.

O fato é que não há nenhum atrito entre o centroavante Gabriel Barbosa e o técnico Enderson Moreira.

Gabriel, ao contrário dos demais jogadores, não teve férias de 2014 para 2015, além de ter perdido bastante massa muscular por não ter atuado como titular na Seleção Brasileira Sub-20.

O atacante sequer havia realizado os exames médicos de rotina, efetuado sempre no início do ano, para avaliar a capacidade física dos atletas.

Por isso, o técnico Enderson Moreira optou por dar um tempo para Gabriel descansar e se recuperar fisicamente para voltar a brilhar no esquadrão alvinegro, medida que conta com meu total apoio.

A polêmica surgiu por causa da seguinte frase de Enderson que, ao ser descontextualizada, como fez o UOL ESPORTE, acaba tornando proporções desproporcionais: "Nós trabalhamos de maneira profissional. O Gabriel não fez um treinamento, não vai chegar aqui e entrar. Todos têm que passar pelo processo de treinamento. Ele não sabe o que foi feito, precisa jogar primeiro, e também teve uma perda significativa de força, precisamos trabalhá-lo melhor. Temos que fazer as avaliações físicas, vamos fazer trabalhos específicos. Naturalmente ele vai retornar".

A relação entre Gabriel e Enderson Moreira segue, portanto, em harmonia.


8) Vale-tudo por Robinho

O Santos tenta de tudo para manter o atacante Robinho em seu elenco por um bom tempo.

Seu contrato de empréstimo com o Peixe termina no dia 30 de junho deste ano, e o alvinegro praiano tenta de todas as formas manter o atleta até o final de 2016.

Há duas propostas em curso: a primeira é uma prorrogação do empréstimo de Robinho, até 30 de junho de 2016, quando se encerra seu vínculo com o Milan.

A segunda proposta é a compra do centroavante, o que pode ser um grande esforço para os esburacados cofres santistas.

Os próximos capítulos desta história veremos nos próximos meses.


9) A equivocada aposta no Marketing

O presidente Modesto Roma afirmou em recente entrevista coletiva que buscará as receitas para o Peixe no marketing ("Precisamos buscar receitas. Onde elas estão? No marketing. Vamos trabalhar, mas dificilmente o departamento vai suprir toda a necessidade de caixa do clube.")

Na minha visão, o marketing é sim importante, mas não essencial para um clube que precisa de dinheiro.

Qual a fonte mais rápida e fácil para se conseguir dinheiro para um clube de futebol?

O seu torcedor.

E como conseguir isso?

Com um plano de sócio-torcedores de qualidade, dando reais oportunidades para todos os santistas do Brasil demonstrarem seu amor pelo alvinegro praiano.

Futebol moderno é cumprir a tríade: salários em dia, programa forte de sócio-torcedor e estádio moderno.

O Santos ainda rema contra a maré nos 3 quesitos...


10) Museu itinerante do Peixe

O Santos inaugurou nesta semana um museu itinerante, dentro de um caminhão.

A interessantíssima ideia, patrocinada pela empresa Truckvan, entregou nesta quinta feira a unidade móvel, que funcionará como um Memorial das Conquistas andarilho.

Além do museu móvel, a empresa acima citada fornecerá ao Santos uma unidade com estúdio e cenário para a realização de um reality show itinerante, no qual ex-atletas do clube, como Léo, Clodoaldo, Juari, João Paulo, Lima, Nenê e Serginho Chulapa, viajarão pelo país em busca de novos talentos para as categorias de base alvinegra, em um projeto de nome "Nasce Um Peixe".

O projeto mencionado será lançado no mês de abril, quando será comemorado o aniversário de 103 anos do clube.

O departamento de marketing alvinegro ainda negocia a ação com algumas redes de televisão.

Curtiu o resumão da semana? Deixe seu comentário!