Resumo da semana do Santos Futebol Clube

Resumo da semana do Santos Futebol Clube

















1) Hoje tem Santos x Audax, as 16 horas, no Pacaembu

O Santos de Marcelo Fernandes entra hoje em campo com um único objetivo: vencer o Audax e garantir definitivamente a primeira colocação do Grupo 4, sem poder mais ser alcançado pelo segundo colocado Capivariano.

O alvo, porém, é terminar a fase de grupos com a melhor colocação no geral, à frente do Trio de Ferro, para obter a vantagem de atuar em casa na fase de mata-mata.

Sem o volante Valencia, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, a tendência é que o técnico santista dê nova chance ao volante Lucas Otávio, o qual tem se mostrando um jogador de muito mais qualidade técnica para a posição, e já deveria ter desbancado o colombiano.

Valencia é lento, forte e alto (1,85 m), mas tem se mostrado um primeiro volante de pouca movimentação, pouca agilidade, pouca velocidade, pouco tempo de reação, pouca qualidade no passe e pouca chegada ao ataque

Lucas Otávio, por outro lado, cria da base santista, é jovem (20 anos), veloz, ágil, forte, com bom tempo de reação, boa qualidade no passe e faz ótima transição entre o meio e o ataque. Seu único pecado é ser muito baixinho para um primeiro volante (1,64 m), mas lembremos que um dos melhores volantes do mundo, o holandês Edgar Davids, tinha apenas 1,70 m.

Assim, o time do Santos deverá iniciar a partida com: Vanderlei, Cicinho, Werley, David Braz e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Renato e Lucas Lima; Geuvânio, Robinho e Ricardo Oliveira.

PS: o volante Renato, a que tanto critiquei no começo de temporada, felizmente tem calado a minha boca com excelentes atuações nos últimos jogos. Que continue assim!


2) Contratação à vista?

O Santos observa de perto o meia-atacante Rafael Longuine, do Audax, atual artilheiro do Campeonato Paulista, com 8 gols.

O jogador, dono de 100% de seus direitos econômicos e com contrato até o fim de abril com a equipe de Osasco, poderia vir para o Peixe de graça, sem custos - apenas o do salário, obviamente.

O atleta foi indicado ao alvinegro praiano pelo ex-volante Clodoaldo, hoje consultor do departamento de futebol do clube da Vila Belmiro e próximo ao diretor-executivo Dagoberto Santos.

As conversas com o jogador ainda não foram iniciadas, mas fontes ligadas ao clube confirmaram ao portal Globoesporte que o meia de 24 anos já sabe do interesse santista.

Neste sábado, a comissão técnica do Santos terá a chance de observar o jogador, que será titular pelo Audax contra o Santos, no Pacaembu.

Torcida santista, olho nele!


3) Londrina 0 x 1 Santos - golpe de sorte

Mesmo bombardeando o goleiro Vitor no segundo tempo, o alvinegro praiano deixou Londrina com um gostinho amargo, por não eliminar o jogo da volta.

A atuação do Peixe não foi das melhores, tanto que a vitória só foi garantida por um pênalti inexistente e bem cobrado por Robinho.

Mas a importante vitória fora de casa pela Copa do Brasil dá plena vantagem ao Santos para o jogo da volta, dia 16/04/2015, uma quinta-feira, as 21h30min, na Vila Belmiro, quando o alvinegro deverá garantir um bom resultado e sua classificação para a próxima fase da competição.


4) Marília 1 x 4 Santos - show de Gabriel e Thiago Ribeiro

Gabriel, o Gabigol, foi o grande destaque da goleada santista sobre o Marília, no último final de semana.

Com 2 belas asssitências e 1 gol, o garoto de apenas 18 anos liderou o time reserva na goleada, ao lado do experiente Thiago Ribeiro, que finalmente desencantou, marcando 2 gols.

Depois de um início de temporada conturbado, ambos os jogadores usaram a partida para darem a volta por cima de todas as críticas e questionamentos, muitas delas injustas e exageradas.


5) Primeiro classificado do Campeonato Paulista

O Santos é o primeiro clube classificado para a fase de mata-mata do Campeonato Paulista, para inveja de corintianos, palmeirenses e são-paulinos.

O alvinegro praiano consegue sua classificação invicto, com 8 vitórias e 2 empates, com o melhor ataque da competição (22 gols), melhor aproveitamento (86,7%), melhor saldo de gols entre as equipes (16) e melhor campanha geral, com 26 pontos ganhos.

A missão agora é buscar o primeiro lugar da classificação geral, para garantir o jogo da volta em casa na fase de mata-mata.


6) Lucas Lima, essencial e polivalente

Titular absoluto do Santos desde 2014, o meia - que deveria ser o legítimo dono da camisa 10, e não Gabriel - é o líder de assistências do Campeonato Paulista (5 gols em 10 jogos) e é o maior ladrão de bolas santista, contabilizando 28 desarmes.

Ninguém dá assistências nem desarma mais que o meia, nem os volantes, nem os zagueiros.

Não é à toa que o Cruzeiro baba desesperado de inveja


7) Lucas Lima fica, pelo menos até julho

O Cruzeiro recentemente tentou a contratação do meia santista, mas foi barrado pelo presidente Modesto Roma, que negou interesse em negociá-lo.

Nas palavras do presidente cruzeirense: "Tentamos sim (Lucas Lima), mas o Santos não quer vender. O Cruzeiro não vai insistir em um jogador que o clube não quer vender".

Lucas recebeu no início do ano um aumento de salário, e agora ganha R$ 200 mil mensais na Vila Belmiro, além de possuir com o Peixe um contrato de mais 4 anos de duração, além de um acordo com a diretoria de que somente saíra da Vila Belmiro, caso receba uma proposta, a partir de julho, na abertura da janela de transferências.

Com a eventual negociação do meia, o Santos não lucraria praticamente nada, isto é, apenas 10% dos direitos econômicos do atleta e 20% do lucro da Doyen sobre a negociação (Doyen que possui 80% dos direitos do meia, pois o Santos, na gestão Odílio Rodrigues, ao contrário do combinado, não pagou à empresa por seus direitos econômicos, que hoje - caso a negociação tivesse sido feita conforme o combinado - estariam 80% nas mãos do clube.

Por isso a pressão que a própria Doyen faz constantemente para que o Santos venda o atleta.

No entanto, essa novela por enquanto acabou, mas aguardemos seus próximos capítulos no meio do ano...


8) Gustavo Henrique convocado

Cria da base alvinegra, o zagueiro Gustavo Henrique foi convocado pelo técnico Alexandre Gallo para integrar a Seleção Brasileira Sub-23 na disputa dos amistosos contra Paraguai (dia 28 de março) e México (dia 29)

O zagueiro de 21 anos comemorou a oportunidade, e desfalcará o Peixe nos confrontos contra Ponte Preta e São Bento, ambos pelo Campeonato Paulista.


9) Justiça obriga Santos a pagar R$ 1,3 milhão a Muricy

Sob pena de ter bens e rendas penhoradas, o Santos terá 3 dias para pagar R$ 1,3 milhão a ex-técnico Muricy Ramalho, referente à cláusula de rescisão contratual do treinador com o alvinegro.

Conforme já havíamos comentado aqui no ano passado, o Santos deve R$ 4 milhões a seus ex-técnicos Muricy Ramalho, Oswaldo de Oliveira e Enderson Moreira, incluindo no valor multas rescisórias, direitos de imagem e salários na CLT.

A maior dívida é com Oswaldo de Oliveira, a quem o Santos deve R$ 1,6 milhão, referente a 4 meses de direitos de imagem não pagos.

Os dirigentes santistas estão de parabéns.

Uma verdadeira aula de como jogar dinheiro fora...


10) Gerente da base sofre AVC 

Na madrugada de terça-feira, o gerente de futebol das categorias de base do Santos, Paulo Mayeda, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC), e foi internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), da Santa Casa de Misericórdia de Santos, onde segue em tratamento.

O profissional de 61 anos havia assumido as categorias de base do Peixe há 1 mês.

Torcemos todos por sua recuperação!


11) O último em faturamento de bilheteria

Dos 4 grandes paulistas, o Santos possui o pior faturamento de bilheteria no ano até o momento.

O Palmeiras é o líder em bilheteria, tendo arrecadado R$ 12,25 milhões em 6 partidas.

O Corinthians vem logo atrás, com R$ 12,23 milhões arrecadados em 7 confrontos.

O São Paulo é o terceiro no raking, tendo arrecadado R$ 4,7 milhões em 7 jogos.

O Santos tem o pior desempenho, com a arrecadação de apenas R$ 1,5 milhão em 5 jogos (mesmo se fosse em 7, a arrecadação não alcançaria a do São Paulo).

A fórmula "estádios modernos + bons programas de sócio-torcedor" tem dado certo para os rivais Corinthians e Palmeiras (o alviverde recentemente ultrapassou a marca dos 100 mil sócios, torando-se o segundo maior programa de associados de clubes do Brasil, atrás apenas de Internacional).

O presidente Modesto Roma Júnior, por outro lado, não enxerga o potencial do programa de sócio-torcedor no Santos, e age como cego em tiroteio quando se toca no assunto. 

O mandatário alvinegro, quando questionado sobre o porquê do Santos não investir em um programa forte de sócio-torcedor, respondeu isso à reportagem do Globoesporte:

- Nós temos um problema sério. O Palmeiras está em uma campanha de sócios vitoriosa, a nossa está mal das pernas. Eu também queria entender (como funciona a gestão do programa), não entendi nada. Não está dando certo. Temos de recomeçar e tomá-lo de volta para o Santos. O Santos tem uma base de cerca de 67 mil sócios, mas a inadimplência é muito alta, o controle é muito ruim. Temos de reavaliar tudo isso. Não adianta apontar falhas pontuais, o todo está errado.

Acontece, senhor presidente, que já estamos no final do mês de março, e até agora o programa de sócio-torcedor do Santos Futebol Clube foi simplesmente ignorado pela atual gestão.

Modelos de sucesso temos de monte no Brasil: o modelo do Internacional, do Grêmio, o Fiel Torcedor do Corinthians (tenho um amigo corintiano que não tem o mínimo problema para comprar ingressos do rival santista, e que avalia a excelência desse programa) e o Avanti do Palmeiras.

O Santos, remando ao contrário da maré, perdeu o timing da construção de um novo estádio (na época de Neymar) e hoje convive com 50% de inadimplência de seus sócios, cujo programa até agora não se falou uma palavra sobre ampliação, além de ignorar completamente planos eficientes de marketing para divulgação do clube.

Já disse e nunca cansarei de repetir: os sócios-torcedores são a única forma de tornar um clube auto-suficiente, independente do dinheiro da televisão e de patrocinadores.

Mas o Santos de Modesto Roma Júnior, que tantos acertos tem feito, insiste em ignorar essa realidade, o que pode nos custar caro mais para frente, pois hoje já nos custa na inexistente arrecadação do clube com bilheteria.


12) Santos não assumirá o Pacaembu, mas continuará mandando seus jogos lá

O presidente santista fez o correto: rejeitou o chamamento público lançado pela Prefeitura de São Paulo em busca de gestores para o estádio do Pacaembu.

Por que?

Porque assumir o Pacaembu, no atual momento financeiro do clube, é absolutamente inviável.

Quem assumir a gestão do Pacaembu terá que aplicar pelo menos R$ 200 milhões na modernização do estádio, cujo custo de manutenção é hoje de R$ 9 milhões por ano.

E o Santos não tem esse dinheiro para investir, ainda mais sendo a sede do clube na cidade de Santos.

Arcar com tais valores só seria viável se o Santos Futebol Clube transferisse sua sede para São Paulo, uma alternativa absolutamente absurda.

Diante desse cenário, o presidente santista Modesto Roma agiu corretamente, se comprometendo a mandar no máximo 30% de suas partidas no estádio paulistano, cuja reforma não caberia ao Santos.

Com a palavra, o presidente:

- O Santos se compromete a jogar 30% de seus jogos no Pacaembu. Ponto. O Santos não investe, não gasta, não faz manutenção. O Santos é um usuário do Pacaembu. Pode ser sua segunda casa? Pode, desde que não traga ônus ao clube. Não é momento de investir. Precisamos jogar em São Paulo, temos torcida em São Paulo, temos que ter atenção à torcida em São Paulo. O Santos é de Santos, de São Paulo, do mundo. É gigantesca a torcida do Santos que já lotou o Maracanã diversas vezes, que lota as arenas em Brasília, em Cuiabá e outras. O Santos precisa ter essa grandeza, precisamos estar acordados para isso. Agora, não dá para se aventurar no Pacaembu.

Atuar no Pacaembu, no entanto, não invalida outra proposta que está em discussão, apresentada no início do ano pela empresa W-Torre, construtora responsável por erguer o estádio do Palmeiras, que busca a construção de um novo estádio para o Santos, em terreno próximo ao atual CT Rei Pelé.

Sobre isso, novamente o presidente:

- É um projeto, uma conversa que tivemos com o Walter. Uma conversa muito boa, com um profissional muito sério, que sabe que o Santos não tem dinheiro para investir. Se o Walter Torre, que é especialista na área, acha que tem espaço comercial para uma arena em Santos, ótimo, estaremos lá.

Realmente.

Santos é uma cidade com moradores de alto poder aquisitivo, e uma arena multi-uso em Santos poderia substituir o Mendes Convention Center para abrigar, além das partidas de futebol, shows musicais, eventos religiosos, eventos comerciais, dentre outros, assim como hoje o faz a nova arena do Palmeiras.

É, talvez contrariando a opinião da maioria dos santistas, penso honestamente que um estádio moderno, com capacidade para 40 ou 50 mil pessoas, seria perfeitamente viável na cidade de Santos, futebolisticamente falando.

"Ah mas o Santos não tem torcida em Santos", "Ah mas a torcida do Santos não vai à Vila Belmiro...".

Alto lá!

Pesquisa de 2012 do Globoesporte mostrou que 50% dos moradores de Santos torcem para o Peixe.

Portanto, dos atuais 433 mil moradores da cidade (segundo o IBGE em 2014), pelo menos 216 mil são torcedores do time de Pelé, Robinho e Neymar.

Isso sem contar que a região metropolitana da Baixada Santista, que hoje conta com uma população total de 1.731.403 milhões de pessoas, englobando os municípios de São Vicente, Praia Grande, Peruíbe, Mongaguá, Itanhaém, Guarujá, Cubatão e Bertioga, grandes redutos de torcedores santistas.

Dessas 1,7 milhões de pessoas, se chutarmos baixo, admitindo que 500 mil torcem para o Peixe, teríamos infinitas possibilidades para manter a Vila Belmiro sempre cheia e interessante.

Portanto, cai o primeiro mito, de que não há torcida do Santos na cidade de Santos e na Baixada Santista.

Há sim, o que não existe é o interesse em assistir o clube no estádio, fato que nos leva a discutir o segundo ponto - "a torcida do Santos não vai à Vila Belmiro".

Na minha visão, a torcida santista não comparece ao quase centenário estádio (fará 100 anos em 2016) por dois motivos: falta de estrutura e de interesse.

Sobre a falta de estrutura, podemos mencionar que os setores populares do estádio estão mal cuidados, e até hoje sem nenhuma cobertura (se chover, você se molha - esse fato, levando em conta que Santos é uma daquelas cidades onde chove em 50% do ano, é relevantíssimo para justificar a ausência da torcida), o clube não possui estacionamento próprio e os ingressos ainda são vendidos majoritariamente na bilheteria do clube (e não na internet, como se espera de um clube moderno), e os vendidos para os sócios na internet costumam apresentar muitos erros, falhas e quedas do sistema, que acabam obrigando o sócio a ir à Vila Belmiro comprar ingresso - sem contar o fato de que, um torcedor santista do interior de São Paulo, por exemplo, fica praticamente inviabilizado assistir a um jogo do Santos, por não poder comprar ingresso pela internet.

Sobre a falta de interesse, ela se justifica pelo fato do Santos, depois da saída de Neymar, ter vivido momentos difíceis financeiramente e futebolisticamente. O time só voltou a jogar bem neste ano, despertando novamente o interesse do torcedor santista, que sempre LOTA A VILA BELMIRO (ISSO MESMO, LOTA), estádio onde cabem hoje apenas 13 mil torcedores (em uma contagem absolutamente honesta). Setores populares foram destruídos para dar lugar a inúteis camarotes, privando parte da torcida santista de comparecer ao estádio e gerar renda para o clube, que em 2002 e 2003, no auge de Robinho e Diego, comportava mais de 20 mil pessoas no estádio. A falta de interesse decorre também da falta de participação em competições internacionalmente relevantes, como a Copa Libertadores da América, e do altíssimo preço do ingresso, considerando o pacote (ingresso + transporte + alimentação).

A falta de estrutura pode ser superada estruturando o clube, construindo um estádio novo e moderno, com estacionamento próprio e tornando eficiente a venda de ingressos pela internet.

A falta de interesse é consequência direta da falta de marketing da diretoria santista. Nos últimos meses, tenho visto na televisão e ouvido nas rádios várias propagandas dos programas de sócio-torcedor de Corinthians, Palmeiras e São Paulo. Do Santos, nada. Nenhum investimento em marketing. Nada, nada, nada.

A Santos TV funciona muito bem, mas não é suficiente para atrair novos torcedores ao estádio, visto que é assistida por santistas "já convertidos".

Para converter crianças e jovens em novos "santistas", e transformar os adultos em sócios-torcedores, é preciso uma campanha de marketing agressiva, com veiculação na televisão e nas rádios, em horário nobre, falando das vantagens de ser sócio e da maravilhosa experiência de assistir uma partida de futebol no estádio.

Como já me alonguei demais nesse assunto, deixarei o tema para reflexão dos companheiros santistas.

Bos sorte ao Peixe no jogo de hoje!