Resumo da semana do Santos Futebol Clube

Santos 2 x 2 Maringá

1) Hoje, as 18h30min, tem Santos x Avaí

O Peixe hoje enfrenta o Avaí, em Florianópolis, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro 2015.

Após serem poupados na Copa do Brasil, no confronto de quarta-feira, os titulares, campeões paulistas, estarão em campo.

O técnico Marcelo Fernandes deverá iniciar a partida em 4-3-3 clássico, com Vladimir; Victor Ferraz, Werley, David Braz, Chiquinho; Valencia, Renato, Lucas Lima; Robinho, Geuvânio e Ricardo Oliveira.

Na era dos pontos corridos, o Santos é o pior clube em aproveitamento na primeira rodada do Brasileiro.

Eis a chance de começarmos a mudar essa história.

Tabela numerólogos aproveitamento estreia
2) De 2003 a 2014, o Santos é o 4º nos pontos corridos

Apesar das últimas péssimas campanhas no Campeonato Brasileiro, o Santos segue em 4º lugar no ranking de pontos conquistados no Campeonato Brasileiro.

Em 476 jogos, o Santos conquistou 727 pontos, resultando em um aproveitamento de 50,91%.

Dos grandes, os duplamente rebaixados Palmeiras e Vasco ocupam a 13ª e 14ª posição, respectivamente.

Tabela somatório pontos corridos série A

3) Analisando: Maringá 2 x 2 Santos

O alvinegro praiano deixou escapar aos 30 minutos do segundo tempo um excelente resultado no Paraná.

O atacante Marquinhos Gabriel foi o grande destaque, iniciando a jogada do primeiro gol e marcando o segundo.

A grande decepção foi o goleiro Vladimir, que após excelentes atuações na fase final do Campeonato Paulista, voltou, ao menos por um jogo, a ser "aquele velho Vladimir", tão criticado pela torcida (e por mim).

Mas qual será o Vladimir do Campeonato Brasileiro? O do Campeonato Paulista, ou o da Copa do Brasil? Torço pelo primeiro.

Fora o resultado, fora Marquinhos Gabriel e fora a falha do goleiro Vladimir, o que mais me chamou a atenção foram os meninos da Vila.

Afinal, o Santos havia entrado em campo com 8 titulares formados em suas categorias de base.

Destes, honestamente, vejo grande potencial em apenas 3: Gabriel (pelo poder de finalização - chegou a marcar um gol, mas estava impedido), Lucas Otávio (pela qualidade no passe e pela grande capacidade de em realizar desarmes sem cometer faltas) e Caju (pela força física e velocidade).

Vejo um belo futuro no futebol para estes 3 atletas, caso continuem com suas boas atuações.

Ao contrário, não vejo tanto potencial assim em Vladimir, Gustavo Henrique, Paulo Ricardo, Leandrinho, Serginho e Lucas Crispim.

Vladimir alterna momentos de excelentes defesas e absoluta falta de segurança.

Tanto Gustavo Henrique como Paulo Ricardo são excelentes pelo alto, bons pelo chão, mas péssimos com a bola nos pés, com imensa dificuldade em acertar passes simples.

Leandrinho é um guerreiro, um lutador, mas é um volante que comete muitas faltas, a maioria delas desnecessárias, desarma pouco e não faz gols.

Serginho, como meia armador, não apresentou, até agora, nenhuma excepcional qualidade, seja em visão de jogo, lançamentos, passes ou chutes.

Lucas Crispim ontem mais errou do que acertou, mostrando deficiências ainda nos fundamentos do passe e da finalização.

Todos os jogadores acima citados ainda podem se tornar, no futuro, grandes jogadores, mas se treinarem de forma intensa para melhorar suas evidentes deficiências técnicas.

O mesmo caso de Gabriel, que não tem a perna direita, de Caju, que deixa muito espaço na defesa, e de Lucas Otávio, que em alguns momentos parece perdido em campo.

Mas para estes 3, na minha opinião, o futuro reserva grandes conquistas com a camisa do Peixe.

Para os demais, talvez, quem sabe, espero estar errado.


4) Elano deve renovar

O meia Elano, de 33 anos, chegou a um acordo com a diretoria santista para estender seu contrato com o Peixe.

Ele deve renovar com o alvinegro praiano até o final de 2015, e deve se aposentar no clube, apesar de já ter manifestado desejo de continuar atuando profissionalmente até o fim de 2016.

De acordo com Elano:

- Já nos acertamos, estão apalavrados todos os nossos projetos daqui para frente, os meus e os do Santos. Temos de fazer sempre o melhor para a instituição Santos. Esse é um clube que eu amo muito, tenho um carinho grande. Não posso apontar nada porque ainda não assinamos contrato. Só posso dizer que é positivo para mim e para o Santos. Espero que o torcedor fique feliz também. A certeza é que eu vou continuar no Santos enquanto eu jogar no Brasil. Sinto que tenho condições físicas e psicológicas de continuar jogando, mas é uma decisão que será tomada com a minha família. Há a possibilidade de parar no ano que vem. Esta é uma nova fase, fico feliz por estar colaborando de outras maneiras (falando sobre a reserva). Estou no clube que pode me proporcionar um futuro brilhante em outros sentidos.

Renovar com Elano até o fim deste ano parece mesmo ser a medida mais sensata a se tomar, tanto para o Santos quanto para o atleta.

O meia ainda poderá passar muitas dicas e boas experiências de vida aos mais jovens.

Quanto ao futebol, tecnicamente ele continua o mesmo, mas não possui mais fôlego para atuar por 90 minutos.

Nestes termos, será bom para ambas as partes.


5) Modesto Roma veta ida de Lucas Lima ao Cruzeiro, mas meia deve deixar o Santos em agosto

O Santos recebeu do Cruzeiro uma proposta extraordinária de 14 milhões de euros (R$ 47,9 milhões) por 50% dos direitos econômicos de Lucas Lima, com a primeira parcela de 7 milhões de euros sendo paga à vista.

Mas o presidente santista, acertadamente, vetou a ida de Lucas ao clube mineiro, cumprindo sua palavra dada durante todo o período do Campeonato Paulista.

A venda de Lucas Lima é boa somente para apenas 2 pessoas: Doyen Sports, que detém 80% do jogador, e Edson Khodor, seu empresário, que possui 10% do atleta (os 10% restantes pertencem ao Santos).

A pressão da Doyen e de seu empresário para que o Santos venda Lucas Lima é gigantesca.

Tanto que seu empresário, Edson Khodor, revelou recentemente ao portal Uol que "há um acordo para que ele deixe o clube somente a partir do dia 1º de agosto. Não quer dizer que isso acontecerá a partir desta data, mas é uma conversa que tivemos com a diretoria do Santos no início do ano, quando tivemos algumas propostas e optamos pela permanência".

Lucas Lima, portanto, deve mesmo sair do Santos no mês de agosto de 2015.

Esse é o acordo que os empresários do atleta fizeram com o presidente santista.

E o presidente Modesto Roma fica de mãos atadas, sem poder fazer nada, já que o Santos possui apenas 10% dos direitos econômicos do atleta.

Com essa imensa pressão, a tendência mesmo é que Lucas Lima deixe o clube em agosto, preferencialmente para a Europa, conforme revelou seu agente na citada entrevista.

Caso o venda, o Santos terá direito a apenas 10% do total da transferência de seu melhor jogador e mais 20% da mais-valia (lucro obtido com a valorização do jogador durante sua passagem pelo Santos), que seria paga pela Doyen.

Por exemplo, se o Santos tivesse aceitado a proposta do Cruzeiro, o clube ficaria com apenas R$ 4,7 milhões dos R$ 47,9 milhões envolvidos na negociação.

Por essas e outras razões, a FIFA tratou de impedir, a partir deste dia 1º de maio de 2015, a participação de empresários nos direitos econômicos dos atletas de futebol (os negócios realizados antes disso ainda são válidos).

Que esse verdadeiro câncer do futebol seja extinto com essa medida da FIFA, para que futuramente nosso principal atleta não seja "forçado" a deixar o Santos unicamente para render lucro aos empresários que investiram nele.


6) Santos usa premiação do Paulista para pagar salários atrasados

O Santos recebeu R$ 3 milhões pelo título do Campeonato Paulista 2015.

Deste valor, cerca de R$ 1,7 milhão da premiação foi utilizado para quitar parte dos direitos de imagem atrasados do elenco, dívida que se arrasta desde o final do ano passado, que beira os R$ 8 milhões.

O restante da premiação da competição (R$ 1,3 milhão) está bloqueado pela justiça para pagamento dos salários atrasados do técnico Muricy Ramalho.

Os atrasos de salário são também apontados pelo presidente santista como o principal entrave para a permanência de Robinho, que possui com o clube contrato de empréstimo até o dia 30 de junho, e ainda não se sabe se permanecerá no Peixe para o restante da temporada.


7) Ainda sem patrocínio master

Na primeira divisão, Santos, São Paulo, Cruzeiro, Goiás, Ponte Preta e Avaí começarão o Campeonato Brasileiro sem patrocinador máster.

Do outro lado, Corinthians, Flamengo, Vasco, Sport, Atlético/PR, Coritiba, Figueirense e Chapecoense estamparão uma marca no peito do patrocínio master porque a Caixa Econômica Federal os patrocina, despejando mais de R$ 100 milhões por ano no futebol, investimento que deve minguar tão logo o ajuste fiscal de Dilma Rousseff e Joaquim Levy chegue ao esporte.

Grêmio e Internacional também possuem patrocínio estatal: do banco Banrisul.

O Palmeiras é patrocinado pela Crefisa e pela FAM, ambas empresas de um grupo empresarial que possui um palmeirense como dono, mesmo caso do Atlético Mineiro, patrocinado pela MRV, pertencente a um atleticano.

Portanto, excluídos os patrocínios políticos e de "torcedores", sobre somente o patrocínio privado da empresa Viton 44 na cota máster do Fluminense.

Essas informações provam que as empresas estão evitando investir no futebol.

E falo de empresas de verdade: Coca-Cola, TAM, Nestlé, Nike, Omo, Samsung, Google, Apple.

Sem obter a Certidão Negativa de Débito (CND), o Santos não consegue ser patrocinado pela Caixa Econômica Federal, e sem contar com um torcedor proprietário de uma grande empresa no cenário nacional, o alvinegro segue sofrendo para encontrar um patrocinador máster.


8) Modesto promete e cumpre: auditoria nas dívidas do clube

O presidente Modesto Roma Júnior prometeu e cumpriu.

Uma auditoria financeira no Santos Futebol Clube realizada na gestão de Modesto apontou vários "contratos danosos" ao patrimônio do clube.

Esses contratos foram firmados na gestão anterior, de Odílio Rodrigues e LAOR.

Ressalte-se, no entanto, que a auditoria não encontrou indícios de prejuízos deliberados ou o recebimento de vantagens indevidas (apropriação indébita, corrupção).

Por outro lado, a investigação apontou erros e acordos danosos aos cofres do clube.

Os auditores do escritório Bonassa Buker, de São Paulo, encontrou ao menos 4 contratos danosos ao Santos:
1) A contratação de Leandro Damião
2) A venda dos direitos econômicos do volante Alison
3) O acordo que deu ao fundo Doyen fatias dos direitos econômicos do lateral Daniel Guedes (25%), do atacante Geuvânide (20%) e do atacante Gabriel (20%)
4) O vínculo com a CSU, empresa responsável pela administração do programa de sócios do clube.

Na contratação do centroavante Leandro Damião, eleita pelo blog a pior da história do futebol brasileiro, obriga o Santos a devolver os 13 milhões de euros (cerca de R$ 44 milhões na cotação atual) ao fundo maltês Doyen Sports, que emprestou dinheiro ao Peixe para a contratação, devendo ser a dívida quitada em 5 anos, com juros de 10% ao ano. Em 2015, o atleta, que está no Cruzeiro, já rende ao Santos um prejuízo de R$ 50 milhões.

A total dilapidação dos direitos econômicos do volante Alison era totalmente desconhecida pela imprensa até então: de acordo com o presidente Modesto Roma o Santos não possui mais nenhuma porcentagem dos direitos econômicos do volante, já que o clube, na gestão de Odílio Rodrigues, negociou 70% de seus direitos com o banco BMG, 20% com seu agente, Giuliano Bertolucci, e 10% permaneceram com o próprio atleta.

As fatias dos direitos econômicos de Gabriel, Geuvânio e Daniel Guedes repassadas à Doyen Sports foram repassadas para pagar dívidas com o próprio fundo, que envolve desde débitos com a venda de Felipe Anderson à Lazio até valores devidos pela contratação de Leandro Damião.

Por fim, o atual contrato com a CSU, empresa que gere o programa Sócio Rei, foi considerada pela auditoria extremamente danosa ao clube, por conta da alta inadimplência do programa.

De acordo com o atual presidente santista:

- Acho que foram feitos (os contratos) por falta de conhecimento administrativo. São contratos de má gestão. Em princípio, não há indicações de má-fé, mas má gestão é tão grave quanto. Existem muitos erros, contratos que foram mal feitos e são danosos ao clube. Vamos ter que caminhar para a resolução, seja judicialmente ou em uma situação negociada.